Levando a palavra de Deus aos corações

Lc 9,1-6
Naquele tempo, Jesus convocou os Doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças, e enviou-os a proclamar o Reino de Deus e a curar os enfermos. E disse-lhes: “Não leveis nada para o caminho: nem cajado nem sacola nem pão nem dinheiro nem mesmo duas túnicas. Em qualquer casa onde entrardes, ficai aí; e daí é que partireis de novo. Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés, como protesto contra eles”. Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a Boa Nova e fazendo curas em todos os lugares.

Reflexão: O discípulo de Jesus é o discípulo da Palavra, é aquele que escuta a Palavra de Deus, rumina-a no seu coração e na sua mente, deixa-se transformar por ela e a anuncia aos corações.

Vivemos num mundo doente, enfermo, carente, depressivo e marcado pelas maldades. A Palavra de Deus tem o poder de tirar o mal do mundo pela força do bem, o bem que é o próprio Deus. A Palavra de Deus tem o poder de curar os corações, de renovar as vidas.

Às vezes, estamos buscando a luz aqui e acolá para resolver as situações da vida. É importante o auxílio que as ciências humanas nos dão, o quanto é importante a psicologia, a psiquiatria, a medicina, as outras ciências auxiliares, todas elas têm a sua função e importância para o cuidado do ser humano e o progresso da vida humana. Rezo pela medicina, pelos médicos, pelos profissionais da saúde, mas nada substitui a força da Palavra de Deus.

Cada um tem a sua função, mas a função da cura concreta e plena do ser humano só a Palavra de Deus pode realizar. Nunca despreze o valor das ciências humanas, mas engrandeça e coloque cada coisa no seu lugar, engradeça à ciência divina, ao Evangelho da Boa Nova, porque Deus não nos quer curados somente para esta vida, Ele nos quer curados para a eternidade, Ele nos quer inteiros para estarmos com Ele.

O Evangelho tem de ser pregado e anunciado, os corações precisam ser libertos, a opressão precisa sair do coração humano e a Palavra de Deus tem o poder de nos arrancar da opressão que oprime os corações e tudo aquilo que vem de peso do mundo em que vivemos.

O discípulo de Jesus, tocado e transformado pela Palavra, anuncia o Reino de Deus, proclama a Boa Nova no Reino de Deus. Proclame do seu jeito, mas faça com que a Palavra possa chegar aos corações.

Eu fico olhando o quanto as pessoas são insistentes em mandar fake news, mandar discussões políticas, conversas que não levam a nada, enviar piadas. Há coisas que são pequenas distrações, que até servem para tornar a vida mais leve, mas eu gostaria de vir com força àqueles que são transformados pelo Evangelho, para terem a mesma ousadia e coragem para levar o Evangelho aos corações.

Eu recebo de um irmão, todos os dias, um versículo bíblico. Ele manda a mesma Palavra que ele meditou, é uma semente que faz a diferença na minha vida. Você anuncia o Evangelho? Proclama o Evangelho? Leva os outros a conhecerem o Evangelho? Percorre onde você está, testemunhando aquilo que Deus realizou na sua vida e no seu coração?

O Evangelho não é só para ser meditado; ele é e precisa ser sempre mais anunciado, proclamado e levado aos corações.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://www.proparnaiba.com/igrejabatista/2012/05/10/levando-a-palavra-de-deus-aos-nossos-cora-es.html

ORAÇÃO

Pai Santo, aumenta a nossa fé! Faze de nós sinais vivos do teu Reino de Amor. Que o nosso testemunho mostre aos irmãos gratidão pelo Reino que, ainda não em plenitude, já nos ofereces nesta terra abençoada. E que sejamos fontes da Paz. Por Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.

http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

 

Anúncios

Um dos meios de melhor chegar ao perdão é tentar compreender melhor o outro

Mt 5, 43-48
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos. Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito.’

Reflexão: Este texto do Evangelho é de uma clareza impressionante. A dificuldade não está na compreensão, mas sim em se conseguir obedecer a orientação dada por Jesus. Consideramos fácil amar quem nos ama, mas amar quem está nos perseguindo e tentando prejudicar sistematicamente é outra coisa. Porém apesar dessas preocupações persistentes, podemos ver que o mandamento de Jesus em amar os nossos inimigos é um desafio que precisamos enfrentar com urgência.

Jesus sabia que não são fáceis as transformações morais por Ele ensinadas aos homens. Com certeza compreendia as dificuldades práticas da orientação: “amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”. Mas também sabia que o cumprimento desse mandamento, longe de ser utopia, é a chave para a solução de muitos dos nossos problemas. A grande luta desafiante consiste em descobrir o significado deste ensinamento, ao tempo em que procuremos vivê-lo, de forma apaixonada, em toda a nossa vida.

A pergunta prática que devemos fazer é: “Como começar uma ação de amar os inimigos”? A resposta é: “Exercendo o perdão”. Não tem outro caminho além deste, pois é impossível chegarmos a amar, se também não chegarmos a perdoar. E não pensemos que a busca do perdão trará esquecimento do mal recebido – a expressão: perdoo mais não esqueço, não pode ser mudada – pois o fato em si está gravado na memória, e não podemos apagá-lo, mesmo que queiramos. Para facilitar esse processo podemos encontrar meios de melhor chegar ao perdão, e um deles é tentar compreender melhor o outro.

Nesta busca de compreensão do outro, temos que ter em mente que o mal que nos possa ter causado, isto é, o que provocou nossa mágoa, nunca exprime o real ser da pessoa que causou. É sempre possível encontrar bondade no outro. Olhemos para nós próprios e perceberemos isto. Temos nossas maldades, e por isso precisamos da compreensão e do perdão, mas também temos nossas coisas boas. Estamos constantemente nessa batalha. O próprio São Paulo já dizia, conforme Rm 7,15: “Realmente não consigo entender o que faço; pois não pratico o que quero, mas faço o que detesto”. Olhando por esses prismas tentemos dar os primeiros passos, buscando amar e orar pelos que nos possam ter magoado.

Fonte: http://www.rosario.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=657:mateus-543-48-332&catid=45:biblia-comentada&Itemid=187

ORAÇÃO

Jesus Mestre Verdade, Caminho e Vida

Jesus Mestre, santificai minha mente e aumentai minha fé.

Jesus, Mestre vivo na Igreja, atraí todos à vossa escola.

Jesus Mestre, libertai-me do erro, dos pensamentos inúteis

e das trevas eternas.

Jesus Mestre, caminho entre o Pai e nós,

tudo vos ofereço e de vós tudo espero.

Jesus, caminho da santidade,

tornai-me vosso fiel seguidor.

Jesus caminho, tornai-me perfeito

como o Pai que está nos céus.

Jesus vida, vivei em mim, para que eu viva em vós.

Jesus vida, não permitais que eu me separe de vós.

Jesus vida, fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.

Jesus verdade, que eu seja luz para o mundo.

Jesus caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante dos homens.

Jesus vida, fazei que minha presença

contagie a todos com o vosso amor e a vossa alegria.

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com/2013/06/mt-543-48-o-pai-faz-nascer-o-sol-para.html

O que Deus espera de nós…

Mt 1,16.18-21.24a
Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”. Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado.

Reflexão: Hoje, a Igreja celebra a solenidade de São José, esposo de Maria. É como um parêntesis alegre dentro da austeridade da Quaresma. Mas a alegria desta festa não é um obstáculo para continuarmos a avançar no caminho de conversão, próprio do tempo quaresmal.Bom é aquele que, elevando o seu olhar, faz esforços para que a sua própria vida se adapte ao plano de Deus. E bom é aquele que, olhando para os outros, procura interpretar sempre no bom sentido todas as ações que realizam e defender o seu bom nome. Nestes dois aspectos de bondade se nos apresenta São José no Evangelho de hoje.Deus tem um plano de amor para cada um de nós, já que «Deus é amor» (1Jo 4,8). Porém, a dureza da vida leva a que algumas vezes não o saibamos descobrir. Logicamente, queixamo-nos e resistimos a aceitar as cruzes.Não deve ter sido fácil para São José ver que Maria «antes de passarem a conviver, se encontrou grávida pela ação do Espírito Santo» (Mt 1,18). Tinha pensado desfazer o acordo matrimonial, mas «secretamente» (Mt 1,19). Contudo, «quando o anjo do Senhor lhe apareceu em sonho» (Mt 1,20) revelando-lhe que tinha de ser pai legal do Menino, aceitou imediatamente «e acolheu sua esposa» (Mt 1,24).A Quaresma é uma boa ocasião para descobrirmos o que é que Deus espera de nós, e reforçar o nosso desejo de o pôr em prática. Peçamos ao bom Deus «por intercessão do Esposo de Maria», que avancemos no nosso caminho de conversão, imitando São José na aceitação da vontade de Deus e no exercício da caridade com o próximo.

Fonte: http://evangeli.net/evangelho/feria/V_06

Fonte: http://sandra-medina.blogspot.com.br/2015/07/a-obediencia-palavra-de-deus.html

 

ORAÇÃO

Senhor Jesus, Tu que és a fonte de toda santidade e fecundidade, fecunda meu coração com a força do Espírito Santo, para que eu seja cada vez mais transformado pela graça. Orienta, Jesus, minha vida, para que eu possa viver cada vez mais unido a Ti, como São José, homem fiel e justo. Dá-me a capacidade de olhar para São José como modelo de alguém que soube cooperar com a graça, colocando os dons e qualidades a serviço da Sagrada Família de Nazaré. Concede-me o dom de ser pessoa justa e temente a Deus, para estar sempre pronto a escutar Teus pedidos e a obedecer-TE. Concede-me também a capacidade de saber lidar com as situações adversas, que escapam à minha compreensão humana. Faze-me entender que nelas também está a Tua vontade. Ajuda-me a ser cada vez mais Teu servo, para que Tua santa vontade se faça em mim completamente. Pela intercessão de São José abençoa cada pai de família. Amém.
Fonte:http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-116-18-21-24a/

O fruto que a comunidade é chamada a produzir é o amor

Jo 12,20-33
Naquele tempo: Havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém, para adorar durante a festa.Aproximaram-se de Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e disseram: ‘Senhor, gostaríamos de ver Jesus.’ Filipe combinou com André, e os dois foram falar com Jesus. Jesus respondeu-lhes: ‘Chegou a horaem que o Filho do Homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre,ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. Agora sinto-me angustiado. E que direi? `Pai, livra-me desta hora!’? Mas foi precisamente para esta hora que eu vim.Pai, glorifica o teu nome!’ Então, veio uma voz do céu: ‘Eu o glorifiquei e o glorificarei de novo!’ a multidão que lá estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão. Outros afirmavam: ‘Foi um anjo que falou com ele.’ Jesus respondeu e disse: ‘Esta voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, e eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim.’ Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer.

Reflexão : Se o grão de trigo quer dar fruto, é preciso que ele passe pela terra onde vai apodrecer, mas o seu percurso não pára aí, o fruto brotará. Jesus quer dar a vida, Ele escolhe passar pela morte, dando então a maior prova de amor. Mas a sua missão não pára aí, a vida brotará: a sua própria vida é a ressurreição; e a vida da humanidade é a salvação. “Não era necessário que Cristo sofresse tudo isto para entrar na sua glória?”, dirá Ele aos discípulos no caminho de Emaús. Se queremos que os outros vivam, é preciso que passemos por um certo número de renúncias, de esquecimentos de nós próprios, e isto através do serviço, do acolhimento, do perdão. Mas a nossa relação com os outros não pára aí, a alegria brota nos rostos e no nosso próprio rosto. A morte é uma passagem obrigatória para aquele que ama e quer amar até ao fim.
Fonte: http://www.paroquiadivino.org.br/index.php/se-a-semente-que-cai-na-terra-nao-morrer-jo-1220-33/

29

Fonte: http://franciscanos.org.br/?p=107370

ORAÇÃO

Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus e buscar, em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.
Fonte:http://liturgia.catequisar.com.br/senhor-queremos-ver-jesus-jo-1220-33/

Nos entreguemos à vontade do Pai que, para nós, é a felicidade suprema

Lc 9,22-25
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”. Depois Jesus disse a todos: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará. Com efeito, de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se se perde e se destrói a si mesmo?

Reflexão: Falando aos Seus discípulos, ontem, Jesus se dirige também a nós, hoje, e nos propõe segui-Lo de todo coração. Antes, porém, de fazer a proposta para que O sigamos Jesus nos fala de que o Seu seguimento implica na renúncia total da nossa vontade humana. Assim, Ele próprio nos conscientiza do que teve que enfrentar: sofrimento, rejeição, morte e, no terceiro dia, a ressurreição. A ressurreição de Jesus é, para nós, no entanto, a maior mensagem de esperança, pois sabemos que se Deus o ressuscitou no terceiro dia depois da Sua Paixão e Morte, também nos ressuscitará depois que passarmos pela cruz e também pela morte, para uma vida de glória. A nossa condição humana nos leva a desejar conseguir tudo com facilidade e sem muito esforço. No entanto, Jesus nos propõe a Cruz como exercício para nos livrar de nós mesmos (as), da nossa vontade fraca, da nossa acomodação e assim nos deixar ser entregues à vontade do Pai que, para nós, é a felicidade suprema. Ele veio ao mundo com uma missão definida e a concretizou assumindo a Cruz a fim de que pudéssemos também imitá-Lo nos desafios da nossa vida. Precisamos, pois, fixar os nossos olhos no amanhã que virá e não somente no hoje que estamos enfrentando com suas dificuldades e seus percalços. A Palavra de Deus se realiza na medida em que nós a assumimos. Se Jesus nos manda tomar a Cruz para segui-Lo em busca da salvação, não podemos continuar tentando ganhar o mundo inteiro apegados ao que temos e a quem somos, e caminhar para a perdição. – O que você entende da proposta de Jesus para segui-Lo? – O que você precisa renunciar para seguir a Jesus? – O que significa para você tomar a sua cruz? Qual é a sua cruz? – Você pode ser a cruz? – Você, que não se aceita, que queria uma vida diferente da que tem.

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-lc-922-25-4/

Fonte: http://palabradediosdiaria.blogspot.com.br/2015/02/lecturas-del-jueves-despues-de-ceniza.html

ORAÇÃO

Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e confiança que eu deposito em ti. Amém.”

Fonte:http://liturgia.catequisar.com.br/quem-perder-sua-vida-por-causa-de-mim-salvara-lc-922-25/

O Guia seguro que devemos buscar é Jesus Cristo

Mt 7,6.12-14
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Não deis aos cães as coisas santas, nem atireis vossas pérolas aos porcos; para que eles não as pisem com o pés e, voltando-se contra vós, vos despedacem. Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a Lei e os Profetas. Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ele! Como é estreita a porta e apertado o caminho que leva à vida! E são poucos os que o encontram”!

Reflexão: Estamos próximos da conclusão do Sermão da Montanha sobre a vida no Reino de Deus. Jesus chama seus ouvintes para fazer uma escolha e depois lhes dá a “regra de ouro” do agir: “Fazei aos outros o que quereis que vos façam”.

Essa norma de comportamento faz parte da cultura universal e supre a complexidade de toda a Lei e dos profetas. A alusão às portas e aos caminhos, largos ou estreitos, aponta para o Império Romano. Na ânsia de exploração e dominação, construíram largas estradas para as grandes cidades dominadas, com suas amplas portas, centros de produção e comércio, favorecendo a expropriação.

O acesso às pequenas aldeias do povo humilde e pobre era feito por estreitas vias. Para isto, Ele conta três metáforas — uma sobre duas portas, outra sobre duas árvores e uma terceira sobre dois alicerces.

Um local conhecido, hoje em dia, na cidade de Belém, é a Basílica da Natividade, construída onde se acredita que Jesus tenha nascido. A imensa igreja tem apenas uma pequena entrada. Para passar por essa pequena porta, a pessoa tem de se curvar, praticamente agachar. E não há a possibilidade de entrar levando consigo alguma bagagem. O significado é claro: há apenas uma porta por onde se pode entrar no Reino de Deus e essa porta é estreita. Jesus deixa claro que Ele é a única porta para as ovelhas — Ele é o único caminho para o céu e para o dom da vida eterna (João 10,7-9; João 3,16; João 14,6).

O discípulo devem rejeitar as largas estradas do império e seguir o humilde caminho dos pequenos e excluídos.

Todos procuram uma vida melhor e mais segura, por isto se fadigam e correm. Numa tarefa assim tão importante, é conveniente que não andemos atrás dos outros, mas que verifiquemos, com cuidado e sabedoria, em quais mãos colocamos o nosso futuro, a nossa eternidade. Não nos esqueçamos que o Guia seguro que devemos buscar é Jesus Cristo.

A porta é estreita, mas quando se passa por ela, os campos são verdes, a água cristalina, a proteção é completa. Há fartura, alegria e paz do outro lado, o lado da vida plena em Cristo Jesus.

“Pai, faz-me capaz de reconhecer quem está predisposto a acolher a Tua mensagem, de forma que eu semeie a Palavra a todo coração necessitado de Tua graça. Amém!”

Padre Bantu Mendonça

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/06/homilia-comentario-e-reflexao-do_25.html

Fonte: http://www.pnsbrasil.com.br/?nid=1352&t=reflexao-23-06-2015-os-ensinamentos-de-jesus-sao-caminho-de-vida-eterna-mateus-7-6-12-14-evangelho-de-jesus-cristo-segundo-sao-mateus

ORAÇÃO

Espírito de verdade, a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me. Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho.

Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/06/homilia-comentario-e-reflexao-do_25.html

A humildade nos mantêm unidos a Deus

Jo 1,19-28

Este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para perguntar-lhe: “Quem és tu?”. Ele fez esta declaração que confirmou sem hesitar: “Eu não sou o Cristo”. […] “Eu sou a voz que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como o disse o profeta Isaías” (40,3). Alguns dos emissários eram fariseus. Continuaram a perguntar-lhe: “Como, pois, batizas, se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta?”. João respondeu: “Eu batizo com água, mas no meio de vós está quem vós não conheceis. Esse é quem vem depois de mim; e eu não sou digno de lhe desatar a correia do calçado”.
Reflexão: A humildade nos mantêm unidos a Deus, ajuda-nos a reconhecer nossas próprias fraquezas, nossos erros e limites
“No meio de vós está aquele que vós não conheceis, e que vem depois de mim. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias” (João 1,26-27).

Amados irmãos e irmãs, no contexto deste tempo natalino, a figura de João Batista fica também presente em nossos corações. João Batista sempre nos mostra quem é Jesus. As pessoas corriam atrás de João e estavam agraciadas por aquilo que ele trazia na pregação de sua palavra, mas jamais permitia que as pessoas parassem nele. Ele lhes mostrava que o Cordeiro, o Salvador, o Redentor da humanidade é Jesus.

A grandeza de João está na sua profunda humildade: “Convém que ele cresça e que eu diminua. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias” (João 1,27.3,30). Não é o fato de João ser o precursor de Jesus, parente d’Ele; não é o fato de ter sido santificado ainda no ventre de sua mãe que fez dele grande. O que fez João Batista grande no coração de Deus foi sua pequenez e sua humildade de coração.

Invistamos na virtude da humildade
Nada é mais agradável a Deus do que um coração humilde, que não se deixa levar pela soberba, pelo orgulho, pelas vantagens, pelos méritos e pelo reconhecimento humano. Um coração humilde sabe reconhecer a grandeza do outro, coloca-se debaixo das mãos de Deus e reconhece que grande é somente Ele.

Nós somos servos do Senhor, somos criaturas de Suas mãos e sempre dependentes do amor divino. Se quisermos começar muito bem o novo ano, invistamos com todo o nosso coração na virtude da humildade. Como ela faz bem!

Os benefícios de ter um coração humilde:
A humildade nos mantêm unidos a Deus, ajuda-nos a reconhecer nossas próprias fraquezas, nossos erros e limites. Quando somos humildes, não humilhamos ninguém nem nos colocamos acima dos outros; sabemos reconhecer nossos erros sem precisar apontar os erros do outro, sabemos nos colocar em nosso lugar sem precisar nos sobressair sobre os outros.

Que João Batista, aquele que preparou os caminhos do Senhor, ensine-nos o caminho da humildade que ele percorreu, para que não percamos a direção do Céu e possamos estar unidos ao Cordeiro que João apontou com a vida e com as palavras.

Convém sempre que só Jesus cresça e nós estejamos aos Seus pés!

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/a-humildade-nos-mantem-unidos-a-deus/

imagem fonte: http://www.frasesdobem.com.br/frase/1796

ORAÇÃO

Ó Jesus cuja principal lição foi esta: “Aprendei de mim que sou doce e humilde de coração”, ensinai-me a ser humilde de coração, como Vós. Amém.

fonte: http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2015/06/26/oracao-para-obter-a-humildade/