Que o nosso coração encha-se da compaixão de Deus

Mc 1,40-45
Naquele tempo: Um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: ‘Se queres tens o poder de curar-me’. Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: ‘Eu quero: fica curado!’ No mesmo instante a lepra desapareceu e ele ficou curado. Então Jesus o mandou logo embora, falando com firmeza: ‘Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!’ Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procura-lo.

Reflexão: A lepra que, hoje, conhecemos como hanseníase tem cura e tratamento, mas antigamente não. E, não era só a questão da erupção da pele da pessoa, porque aquela carne ficava fedorenta, apodrecia e ninguém chegava perto daquela pessoa pelo medo de ficar igual a ela, tinha também a questão do leproso ter que se afastar de todos.

Toda doença ou enfermidade mal compreendida e mal cuidada, não era bem vista pelos outros e levava a pessoa a viver distante dos outros. Quando a AIDS chegou ao nosso meio, ninguém queria saber de olhar para uma pessoa que sofria desse mal. Quantas outras doenças ainda há no meio de nós, e as pessoas que as têm, são vistas com certo cuidado, não pode aproximar-se delas.

Na verdade, a lepra é o coração contaminado por qualquer espécie de preconceito, é aquele coração que não sabe enxergar os que sofrem. Seja qualquer doença ou enfermidade é preciso da presença amorosa de Deus. Quantos de nós precisam cuidar; ser presença; abraçar e dar o melhor de nós ao outro, por meio do amor que temos em nosso coração por aqueles que sofrem.

Jesus tem compaixão desse homem. Ele aproxima-se e diz: “Senhor se queres, o Senhor pode me curar. Primeiro, se queres, o Senhor pode me acolher”. Jesus disse: ‘Sim, eu quero! Quero te acolher, te amar, cuidar e quero que você fique curado’”.

Nós precisamos querer amar, cuidar, curar e ser presença de Deus em qualquer enfermidade que os nossos possam viver, sofrer ou passar.

O nosso coração não pode ser, de forma nenhuma, movido pelo preconceito, pela ignorância ou pela falta do amor verdadeiro. Quem é curado por Jesus, se enche da compaixão. E essa compaixão não é dó e nem pena, mas é amar, sofrer e estar junto. É dizer que “estou com você no que estiver vivendo”.

Que o nosso coração encha-se da compaixão de Deus, para cuidarmos das dores e das enfermidades daqueles que sofrem.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/01/homilia-comentario-e-reflexao-do_1534.html

ORAÇÃO

Oração do Abandono

Meu Pai,

Eu me abandono a ti, faze de mim o que quiseres.

O que fizeres de mim, eu te agradeço.

Estou pronto para tudo, aceito tudo.

Desde que a tua vontade se faça em mim e em tudo o que tu criastes,

Nada mais quero, meu Deus. Nas tuas mãos entrego a minha vida.

Eu te dou esta vida, meu Deus, Com todo o amor do meu coração,

Porque te amo e é para mim uma necessidade de amor dar-me,

Entregar-me nas tuas mãos sem medida

Com uma confiança infinita porque tu és Meu Pai!
Amém!
Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/01/homilia-comentario-e-reflexao-do_1534.html

Anúncios

Deus deseja fazer a diferença em nossa vida

Hoje aconteceu a salvação para esta casa! – Lc 19,1-10
Jesus tinha entrado em Jericó e estava passando pela cidade. Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos publicanos e muito rico. Ele procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era baixinho. Então ele correu à frente e subiu numa árvore para ver Jesus, que devia passar por ali. Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima e disse: “Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa”. Ele desceu depressa, e o recebeu com alegria. Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo: “Foi hospedar-se na casa de um pecador!” Zaqueu pôs-se de pé, e disse ao Senhor: “Senhor, a metade dos meus bens darei aos pobres, e se prejudiquei alguém, vou devolver quatro vezes mais”. Jesus lhe disse: “Hoje aconteceu a salvação para esta casa, porque também este é um filho de Abraão. Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”.

Reflexão: Deus deseja estar na casa de cada um de nós e em nossa vida, estar naquilo que vivemos e fazer a diferença na vida de cada um de nós

“Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa” (Lucas 19,5).

Zaqueu não era um homem bem visto nem bem quisto pelas pessoas da sua época. Ele era um cobrador de impostos, um homem muito rico. Não era o fato de ser muito rico [que fazia com que as pessoas não gostassem dele], mas as pessoas olhavam para ele e viam alguém desonesto, que enriqueceu à custa de cobrar impostos altíssimos das pessoas.

Apesar de tudo, Zaqueu queria encontrar a verdade, por isso saiu da sua baixa estatura e subiu na árvore para ver o Mestre, para escutá-Lo. Antes de Zaqueu vê-Lo, Jesus já O havia visto e desejou muito ir ao seu encontro. Por essa razão, o Senhor mesmo disse: ‘Desce depressa, meu filho! Eu quero hoje estar em sua casa’ (Lucas 19,5).

Sabe, meus irmãos, Deus deseja estar na casa de cada um de nós e em nossa vida para fazer a diferença, Ele deseja estar naquilo que nós vivemos.

Às vezes, podemos nos achar pecadores ou ainda pensarmos que muitas pessoas não sejam merecedoras da presença de Deus. Se o nosso coração humano faz distinção de pessoas, ele as desqualifica, mas o coração de Deus não!

O coração do Senhor entra em todos os corações, em todas as casas. Deus quer se fazer presente na casa da pessoa que se achar mais pecadora, mais indigna; quer entrar para fazer a diferença.

Quando Zaqueu abriu as portas da sua casa para que o Senhor ali entrasse, Ele não julgou, não condenou de forma nenhuma o pecador. Pelo contrário, as pessoas que estavam do lado de fora é que estavam murmurando, reclamando, julgando, condenando e dizendo: “Jesus não sabe quem é este homem! Como vai se hospedar na casa de um pecador?”.

É na casa de um pobre pecador, como eu e você, como aquele irmão, que Deus quer se hospedar, que Ele quer ficar! Podemos não parecer dignos, mas Deus, na Sua infinita misericórdia, quer estar no meio de nós, quer fazer toda a diferença em nossa vida.

Abra as portas do seu coração, da sua casa, e deixe Deus entrar, fazer morada e iluminar. Assim como Zaqueu, que vivia na escuridão interior e a sua alma se abriu. A luz de Deus o iluminou e ele conheceu a verdade, colocou-se à disposição para reparar os males que havia causado na vida das pessoas, para distribuir seus bens aos mais pobres e fazer justiça com quem ele havia sido injusto.

Quando Deus entra em nossa vida, Ele faz a diferença, porque nos permite enxergar a verdade e nos dá a graça de repararmos aquilo que é preciso mudar em nossa vida.

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/permita-que-deus-entre-e-se-hospede-em-sua-casa/

imagem fonte: https://plus.google.com/107643246064209242809/posts/LNjVQfth5qY

ORAÇÃO

Jesus, Mestre:
que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria.
Que eu ame com o teu coração.
Que eu veja com os teus olhos.
Que eu fale com a tua língua.
Que eu ouça com os teus ouvidos.
Que as minhas mãos sejam as tuas.
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.
Que eu reze com as tuas orações.
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.
fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/11/homilia-comentario-e-reflexao-do_19.html

 

 

Como precisamos deixar que a graça de Deus esteja acesa em nós!

Não precisamos ficar uns contra os outros, mas, precisamos ser contra e queimar no fogo do coração de Jesus tudo aquilo que nos divide, nos separa e que não traz vida nova às relações humanas

“Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso!” (Lucas 12, 49)

Jesus Cristo veio entre nós para trazer o fogo do Céu. E o fogo pode parecer, num primeiro momento, uma figura alegórica ou apenas um sentido figurado. Mas, na verdade, a Palavra de Deus vem para incendiar a face da terra, vem para incendiar os nossos corações; ela traz o fogo de Deus para o meio de nós.

E para que serve o fogo? Para queimar, esquentar, acender a chama. Então, o fogo de Deus, em primeiro lugar, é a graça divina que queima e aniquila os nossos pecados; aniquila dentro de nós os desejos mais tenebrosos, as tendências que temos, tantas vezes, para o mal, para aquilo que é desagradável para a nossa convivência humana, fraterna, justa e digna. É por isso, que Jesus desejava muito que este fogo estivesse aceso, estivesse ardendo e queimando por toda a face da terra.

Ao mesmo tempo em que o fogo queima e aniquila o mal, mantém acesa a chama da fé, da esperança, da confiança. Como precisamos deixar que a graça de Deus esteja acesa em nós!

O fogo que vem do coração de Jesus também traz divisão. Podem questionar: ‘Mas, Jesus não veio para trazer a união?’. A união deve acontecer em todas as esferas da sociedade e da humanidade, mas não podemos, de forma nenhuma, admitir que o mal se una com o bem, que o pecado se una com a graça.

Nós temos que unir o coração dos homens, temos que nos unir para praticar o bem, temos que nos unir, apesar de nossas diferenças e tendências de opiniões, de conceitos, de formações. A nossa união deve ser em torno do bem e da verdade!

Desse modo, o fogo do Senhor é um fogo divisor, é um fogo que separa o bem do mal, a iniquidade da graça. E não convive ao mesmo lado a iniquidade e o bem. Por isso que, muitas vezes, o nosso coração se encontra dividido e a graça de Deus que é derramada em nós é para dividir, separar, tirar de nós aquilo que não constrói a unidade, a paz, o homem novo, a nova sociedade.

Nós não precisamos ficar uns contra os outros, mas precisamos ser contra e queimar no fogo do coração de Jesus tudo aquilo que nos divide, nos separa e que não traz vida nova às relações humanas.

Que o nosso desejo seja o mesmo do coração de Jesus: que o fogo do Seu Espírito, o fogo do coração de Jesus se alastre por toda a face da terra, aniquilando o mal e a iniquidade e mantendo sempre acesa a chama da fé, da esperança e da vida nova.

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/o-fogo-do-coracao-de-jesus-queima-tudo-que-nos-divide/

A ação do Espírito Santo – Lc 12,49-53

Fogo eu vim lançar sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! Um batismo eu devo receber, e como estou ansioso até que isto se cumpra! Pensais que eu vim trazer a paz à terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer a divisão. Pois daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três; ficarão divididos: pai contra filho e filho contra pai; mãe contra filha e filha contra mãe; sogra conta nora e nora contra sogra.

imagem fonte: http://delamanodemaria.com/

ORAÇÃO

Pai, que o batismo de Jesus, por sua morte de cruz, purifique-me de todo pecado e de toda maldade, como um fogo ardente, abrindo o meu coração totalmente para ti. Amém.

fonte: https://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&id=5385

Lave e guarde a sua mente, o seu coração – e não somente as suas mãos! – e serás verdadeiramente puro

O homem, tocado e envolvido pela Palavra de Jesus, se transforma numa pessoa íntegra. Pessoa capaz de revelar o que traz no seu coração. Isto exigirá dela uma pureza interior.
A pureza não ocorre por acaso e nem “brota da noite para o dia”. O apóstolo Pedro compara-a ao processo de depuração do ouro (cf. 1 Pedro 1,6-7). O ourives tem de aquecer esse metal várias vezes para que as impurezas e ligas venham à superfície, e assim ele possa removê-las.
Isto nos leva a concluir que a purificação é um processo. Contudo, não basta desejarmos ser puros. E mesmo que sejamos sinceros e nos empenhemos duramente, isso não é suficiente. Precisamos ter o propósito de sermos conforme à imagem de seu Filho (cf. Rm 8,29).
Jesus deixou bem claro que é impossível servir a dois senhores. “Onde estiver nosso tesouro, aí estará também o nosso coração” (Mt 6,21). Na luta pela formação de um caráter santo, precisaremos guardar no coração certos elementos e barrar a entrada de outros. Quem não cuida bem de seu coração, está se predispondo a ter problemas. Quem o guarda com todo cuidado, vence.
O único fator que pode impedir que um homem se entregue à impureza é o intenso amor pela pureza interior. Portanto, lave e guarde a sua mente, o seu coração – e não somente as suas mãos! – e serás verdadeiramente puro.

fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/10/homilia-comentario-e-reflexao-do_15.html

O coração cheio de maldades – Lc 11,37-41

Enquanto Jesus estava falando, um fariseu o convidou para jantar em sua casa. Jesus foi e pôs-se à mesa. O fariseu ficou admirado ao ver que ele não tinha feito a lavação ritual antes da refeição. O Senhor disse-lhe: “Vós, fariseus, limpais por fora o copo e a travessa, mas o vosso interior está cheio de roubos e maldades. Insensatos! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? Antes, dai em esmola o que está dentro, e tudo ficará puro para vós”.

imagem fonte: http://diariodepositividade.blogspot.com.br/2013_10_01_archive.html

ORAÇÃO

Ó Espírito Santo! Dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora; fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da Santa Igreja! Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao Coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte, para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte, para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda ofensa, toda desilusão. Um coração grande e forte e constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração, cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo, e cumprir humilde e fielmente a vontade do Pai. Amém. (Papa Paulo VI)

fonte: https://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&id=5375

Nossa vida seria melhor se soubéssemos aceitar as correções da vida!

A Palavra de Deus hoje nos aponta uma necessidade fundamental para a nossa vida e nossa existência: a necessidade da correção. Todos nós, sem exceção, precisamos ser corrigidos. O problema é que a maioria de nós ou quase todos nós não gostamos da correção!

Como a nossa vida seria melhor e teria menos atropelos e mais ganho se soubéssemos aceitar as correções da vida! Primeiramente, porque a correção vem de Deus; Ele nos corrige pela Palavra d’Ele e nos aponta a direção da vida pela Palavra que sai do Seu coração. Ele não é um Pai que castiga, mas é um Deus que corrige aqueles a quem ama.

Nós somos corrigidos pelas circunstâncias da vida. Em tantas circunstâncias da vida caímos e passamos por situações difíceis, e como elas servem para nos corrigir! Só não aprende com as lições da vida quem é orgulhoso e não sabe se autoanalisar e se conhecer melhor.

Nós não podemos abrir mão das correções fraternas que recebemos uns dos outros. Como o pai e a mãe corrigem seus filhos; um irmão corrige o outro irmão; até um filho pode corrigir um pai (não há problema nisso); um superior corrige seu inferior, e quem está abaixo sabe que pode corrigir a quem está acima dele.

Nós precisamos da humildade nas nossas relações mútuas ao corrigir uns aos outros. Para isso, a primeira coisa necessária é aceitar ser corrigidos; pois nós somos muito orgulhosos, sabichões, nos achamos conhecedores de tudo e, por causa disso, muitas vezes, não aceitamos que ninguém nos corrija. Nesse caso, uma dose extrema de humildade é tudo de que precisamos!

Segunda coisa: precisamos saber corrigir; e não há correção fraterna sem um elemento fundamental: a caridade. Mesmo que você tenha a verdade, pois a verdade sem a caridade não é nada, é uma verdade que pode se esvair ou se perder. Se você tem a verdade para corrigir o seu irmão, faça-o na caridade; primeiro a sós, em particular.

Para isso é preciso autocontrole, porque se estamos no extremo dos nossos sentimentos, à flor da pele e machucados com o outro, a nossa correção não será fraterna. Por isso precisamos, primeiramente, corrigir os nossos sentimentos e os nossos afetos para, então, poder corrigir o nosso irmão, a sós, com muita sobriedade. Algumas vezes, será preciso dar tempo ao tempo, pois, num primeiro momento, talvez não tenhamos as melhores condições para fazer isso e poderemos até perder a quem deveríamos ganhar. Para isso é preciso paciência, prudência e saber ter bom senso e juízo ao fazê-lo.

No entanto, pode ser que, mesmo tendo toda humildade e bom senso ao corrigir o seu irmão, ele não lhe dê ouvidos e você tenha de entregá-lo à Igreja, pedir conselho a quem é mais sábio e orientação de quem pode ajudá-lo nessa tarefa e, muitas vezes, você vai apenas entregá-lo à misericórdia de Deus e dizer: “Eu fiz a minha parte! Eu procurei instruí-lo e amá-lo, mas ele não me deu ouvidos nem ouviu a sabedoria da Igreja!”. Então etregue-o à misericórdia divina.

Esta também é uma oportunidade para cada um de nós nos rever: Como eu aceito ser corrigido? Eu já agradeci a alguém por ter me ajudado, me corrigido, orientado e me mostrado o caminho? Ou eu sou aquele turrão, orgulhoso e soberbo que acha que sabe tudo, pode tudo e não se deixa corrigir nem por Deus, nem pelo irmão nem pela vida!?

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/nao-ha-correcao-fraterna-sem-caridade/

Se teu irmão pecar contra ti… – Mt 18,15-20

Se teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, tu e ele a sós! Se ele te ouvir, terás ganho o teu irmão. Se ele não te ouvir, toma contigo mais uma ou duas pessoas, de modo que toda questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. Se ele não vos der ouvido, dize-o à igreja. Se nem mesmo à igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse um pagão ou um publicano. Em verdade vos digo, tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. Eu vos digo mais isto: se dois de vós estiverem de acordo, na terra, sobre qualquer coisa que quiserem pedir, meu Pai que está nos céus o concederá. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou ali, no meio deles.

imagem fonte: http://www.alianca.fm.br/oracao

ORAÇÃO

Pai Santo, ensina-nos a ser cuidadosos com nossos companheiros de estrada. Não permitas que nos coloquemos na posição de juízes ou algozes, mas que sempre nos mova a vontade pura de ajudar; que sejamos humildes e discretos, como viveu e ensinou o Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.
Fonte: http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

Jesus é o semeador que lança a boa semente

A parábola do joio e do trigo nos convida a meditar sobre a convivência do bem e do mal. O bem e o mal dentro do nosso coração; o bem e o mal que vemos em outros, que vemos existir neste mundo.

«Explica-nos a parábola» (Mt 13,36), pedem os discípulos a Jesus. E nós, hoje, podemos fazer o propósito de ter mais cuidado com a nossa oração pessoal, com o nosso trato cotidiano com Deus. Senhor, podemos dizer-lhe, explique-me por que não avanço suficientemente em minha vida interior. Explique-me como posso lhe ser mais fiel, como posso buscar-lhe em meu trabalho, ou através dessa circunstância que não entendo, ou não quero. Como posso ser um apóstolo qualificado. A oração é isso, pedir explicações a Deus. Como é minha oração? É sincera? É constante? É confiante?

Jesus Cristo nos convida a ter os olhos fixos no céu, nossa morada eterna. Freqüentemente, vivemos enlouquecidos pela pressa, e quase nunca nos detemos para pensar que um dia próximo ou não, não o sabemos deveremos prestar contas a Deus de nossa vida, de como temos feito frutificar as qualidades que Ele nos tem dado. E o Senhor nos diz que no fim dos tempos haverá uma triagem. Devemos ganhar o Céu na terra, no dia-a-dia, sem esperar situações que possivelmente nunca virão. Devemos viver heroicamente o que é ordinário, o que aparentemente não possui nenhuma transcendência. Viver pensando na eternidade e ajudar os outros a pensar nela!: paradoxalmente, «esforça-se para não morrer o homem que há de morrer; e não se esforça para não pecar o homem que há de viver eternamente» (São João de Toledo).

Colheremos o que houvermos semeado. Devemos lutar para dar 100% hoje. Para que quando Deus nos chame a sua presença Lhe apresentemos as mãos cheias: de atos de fé, de esperança, de amor. Que se concretizam em coisas muito pequenas e em pequenos vencimentos que, vividos diariamente, nos fazem mais cristãos, mais santos, mais humanos.

fonte:http://evangeli.net/evangelho/feria/2015-07-28

imagem fonte: http://jornalparoquialdeparaipaba.blogspot.com.br/2015/06/parabola-do-trigo-e-do-joio-explicacao.html

ORAÇÃO

‘Ó Espírito Santo! Dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora; fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da Santa Igreja! Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao Coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte, para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte, para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda ofensa, toda desilusão. Um coração grande e forte e constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração, cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo, e cumprir humilde e fielmente a vontade do Pai. Amém.’

oração ao Espírito Santo, do papa Paulo VI
fonte: https://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho

A misericórdia de Deus é o bálsamo para todas as fraquezas humanas.

Para Jesus, a pessoa humana é mais importante do que todas as leis, do que todos os mandamentos e do que todos os dogmas. Tudo aquilo que sabemos de preceitos, tudo aquilo que conhecemos da doutrina da Igreja não é para que nos tornemos escravos; pelo contrário, é para que nos tornemos cada vez mais servos de Deus.

Por isso, meus irmãos, o mais importante não é julgar, não é condenar, nem deixar as pessoas deprimidas e reprimidas porque elas não vivem de acordo com a vontade de Deus. O mais importante é as acolher, é amá-las e lhes mostrar o caminho. As pessoas se tornam dóceis à vontade de Deus quando são acolhidas com amor e misericórdia!

Pode ser que nós caiamos e que tenhamos nossas fraquezas. A misericórdia de Deus é o bálsamo para todas as fraquezas humanas. A misericórdia de Deus é o remédio mais salutar e mais divino para poder impulsionar a nossa natureza humana a se recuperar.

Deus não veio para nos condenar, e sim para nos salvar! Quem também se torna um discípulo de Jesus Cristo deve ser um canal da misericórdia de Deus para com as pessoas, os pobres e os pecadores (dos quais todos nós fazemos parte). Como a nossa natureza pecadora precisa da misericórdia divina e do acolhimento do coração de Deus para se curar e se libertar!

Misericórdia não significa aceitar tudo, concordar com tudo, mas sim que há jeito, há salvação, que a condenação não manda no Reino de Deus. E também sinaliza que este é para salvar e redimir a quem cai, a quem está prostrado, a quem está desanimado, a quem não consegue, muitas vezes, encontrar o caminho e o sentido para sua vida.

A casa de Deus e os homens e as mulheres que são de Deus não apresentam para o mundo a seta da condenação, mas sim a seta para o coração misericordioso de Jesus!

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/na-misericordia-de-deus-esta-a-cura-para-as-nossas-fraquezas/

wallpaper cristao tem misericórdia de mim ó Deus_1366x768

imagem fonte: http://www.wallpaperscristaos.com.br/tem-misericordia

ORAÇÃO

Consagração à misericórdia divina
Ó misericordioso Jesus, infinita é a vossa bondade e inesgotáveis os tesouros da vossa graça! Confio inteiramente na vossa misericórdia que está acima de todas as vossas obras. Consagro-me a viver inteiramente no brilho esplendoroso de graça e amor que brotaram do vosso Sagrado Coração na cruz. Desejo imitar-vos, praticando as obras de misericórdia espirituais e corporais, particularmente na conversão dos pecadores e dando auxílio, coragem e consolação a todos os pobres, infelizes ou doentes. Cuidai de mim, doravante, como consagrado vosso e vossa própria glória. Tudo receio da minha fraqueza, mas tudo espero da vossa misericórdia. Fazei com que toda a humanidade conheça o mistério insondável da vossa misericórdia e que ponha toda a confiança em vós e vos adore para sempre. Amém.

fonte: https://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho