A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor

Mateus 5, 17-19
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Não pen­seis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra.Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

Reflexão:

1- Voce sabe mesmo o que é lei divina? É importante refletir sobre este conceito. Muitas pessoas, talvez pela formação religiosa rígida que receberam, têm até pavor em falar sobre este assunto. Há, efetivamente, quem tem medo até de Deus, quanto mais das suas leis. Contudo, precisamos entender que a lei divina é a lei do amor. Entendendo o amor de Deus, entenderemos a lei divina. Entendendo a lei divina, entenderemos o amor de Deus. Isso resume tudo o que Deus é: amor!

2 – Faz-se necessário dizer que a Lei divina não se compara com as leis feitas por nós, mortais criaturas, para o bom ordenamento da vida em sociedade. É inegável que as leis humanas adquirem maior sentido quando tem seu fundamento na lei de Deus. Quanto mais tivermos Deus como referência, tanto mais humanos seremos. A Lei divina além de resgatar a pessoa na sua totalidade, a projeta para a santidade e a eternidade. Na Lei de Deus a vida plena e feliz do ser humano é o que realmente importa. O ponto central de convergência na Lei divina é o próprio Deus. É por isso que Jesus diz: Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Não nos esqueçamos, jamais, que a Lei de Deus é amor.

3 – Cumprir a sua Lei sagrada é participar ativamente deste amor de predileção. O problema é que nós, humanamente falando, temos uma tentação enorme em contemporizar tudo e flexibilizar tudo, de conformidade com a nossa medida de entendimento ou interesses pessoais. O que Deus tem em mente com sua Lei sagrada, efetivamente, é nos preservar dos caminhos que nos afastam d’Ele. Ele bem sabe que longe d’Ele não seremos felizes. A virtude da obediência aos mandamentos nos garante esta proximidade com Ele. A Lei divina tem uma dimensão vertical e uma dimensão horizontal. É amar a Deus sobre todas as coisas e, ao próximo, como a nós mesmos. A partir do momento que tivermos entendido isso, tudo será diferente em nós. Só o amor liberta… A Lei de Deus não tem nada de escravidão. A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor. Feliz é a nação, feliz é a família, feliz é a pessoa, cujo Deus é o Senhor.

Aproveito para recordá-los os 10 mandamentos:1. Amar a Deus sobre todas as coisas.2. Não tomar seu santo nome em vão.3. Guardar domingos e festas.4. Honrar pai e mãe.5. Não matar.6. Não pecar contra a castidade (fidelidade).7. Não furtar.8. Não levantar falso testemunho.9. Não desejar a mulher do próximo.10. Não cobiçar as coisas alheias.

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

ORAÇÃO

Ó Deus criador, do qual tudo me vem, eu Te louvo pela beleza e perfeição que todas as coisas contêm. Tua Lei natural tudo governa e me governa. Humildemente Te peço: não me deixes viver afastado de Tua lei divina. Longe da Tua sagrada lei não serei feliz. Dá-me, Jesus, o discernimento necessário para amar-Te sobre todas as coisas e, ao próximo, como a mim mesmo. Porque És amor, tua lei é amor. Porque És perfeito, Tua lei é perfeita. Porque És eterno, Tua lei é eterna. Porque És misericordioso, Tua lei é misericordiosa. Resgata-me, Senhor, por Teu grande amor. Que meus juízos não sejam vazios da Tua presença. Mais do que conhecer, dá-me a graça de entender e viver Tua sagrada Lei que liberta e salva. Faze-me capaz de legislar tendo em mente tão somente a defesa da vida de todo ser humano. Amém.
Fonte:http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

Anúncios

As riquezas do Reino de Deus nos transformam por dentro e por fora

Mateus 13,44-46
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: “O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo. O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas. Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola”.

Reflexão: O tesouro é uma pérola preciosa, valiosa e única na vida de quem o encontra. Aprenda uma coisa para toda vida: Deus é o tesouro mais precioso de toda nossa existência; não há riqueza, preciosidade e valor maior para nós.

Quem encontrou Deus encontrou tudo. Não O deixemos ser uma realidade distante de nós, porque Ele se faz próximo daqueles que se deixam encontrar por Ele e descobrem o tesouro, que é o Seu Reino vivo e presente no meio de nós.

As riquezas do Reino de Deus são esplêndidas para toda a nossa vida, transformam-nos por dentro e por fora, e elas nos introduzem na eternidade.

Passamos boa parte da nossa vida buscando adquirir bens, em busca de tesouros dessa terra; desgastamos a nossa saúde física, psíquica, mental para termos e possuirmos, e depois tudo se esvai, nada levamos. Qual é, então, o bem que ninguém pode nos tirar? Esse bem é Deus, o maior tesouro, a maior riqueza da nossa vida.

Encontre essa pérola preciosa e, uma vez encontrada, cuide dela, guarde-a e, realmente, faça dela o bem supremo da sua vida, cultive os valores do Reino de Deus com toda dedicação e força da sua alma e do seu coração. Aplique-se para viver sobre a guarda desse tesouro e para guardá-lo como um bem precioso. Muitos encontraram o Reino de Deus, mas o perderam ou se perderam, porque colocaram outros valores acima dele.

Para não nos perdermos na estrada ou não perdermos o tesouro que trazemos em vasos de barro, é preciso fazermos escolhas, pois estas são fundamentais para nossa vida; e a escolha fundamental, a preferência do nosso coração, sempre, em primeiro lugar, tem de ser o Reino de Deus.

Buscá-Lo, em primeiro lugar, é o grande anseio, a grande ordem e disciplina do discípulo de Jesus. Se buscarmos Deus, sempre, em primeiro lugar, tudo mais nos será acrescentado e todo acréscimo que buscarmos será abençoado por esse tesouro maior, que é o Reino de Deus em nossa vida.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/2016/08/mt-1344-46-o-reino-dos-ceus-e-um-tesouro.html

ORAÇÃO

Pai, que eu seja decidido e rápido em desfazer-me do que me impede de acolher plenamente o teu Reino. Que meu coração nunca se apegue a coisa alguma deste mundo. Amém!

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/o-tesouro-escondido-no-campo-mt-1344-46/

A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor

Mt 5,17-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Não pen­seis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra.
Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

Reflexão: 1– Você sabe mesmo o que é lei divina? É importante refletir sobre este conceito. Muitas pessoas, talvez pela formação religiosa rígida que receberam, têm até pavor em falar sobre este assunto. Há, efetivamente, quem tem medo até de Deus, quanto mais das suas leis. Contudo, precisamos entender que a lei divina é a lei do amor. Entendendo o amor de Deus, entenderemos a lei divina. Entendendo a lei divina, entenderemos o amor de Deus. Isso resume tudo o que Deus é: amor!

2 – Faz-se necessário dizer que a Lei divina não se compara com as leis feitas por nós, mortais criaturas, para o bom ordenamento da vida em sociedade. É inegável que as leis humanas adquirem maior sentido quando tem seu fundamento na lei de Deus. Quanto mais tivermos Deus como referência, tanto mais humanos seremos. A Lei divina além de resgatar a pessoa na sua totalidade, a projeta para a santidade e a eternidade. Na Lei de Deus a vida plena e feliz do ser humano é o que realmente importa. O ponto central de convergência na Lei divina é o próprio Deus. É por isso que Jesus diz: Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Não nos esqueçamos, jamais, que a Lei de Deus é amor.

3 – Cumprir a sua Lei sagrada é participar ativamente deste amor de predileção. O problema é que nós, humanamente falando, temos uma tentação enorme em contemporizar tudo e flexibilizar tudo, de conformidade com a nossa medida de entendimento ou interesses pessoais. O que Deus tem em mente com sua Lei sagrada, efetivamente, é nos preservar dos caminhos que nos afastam d’Ele. Ele bem sabe que longe d’Ele não seremos felizes. A virtude da obediência aos mandamentos nos garante esta proximidade com Ele. A Lei divina tem uma dimensão vertical e uma dimensão horizontal. É amar a Deus sobre todas as coisas e, ao próximo, como a nós mesmos. A partir do momento que tivermos entendido isso, tudo será diferente em nós. Só o amor liberta… A Lei de Deus não tem nada de escravidão. A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor. Feliz é a nação, feliz é a família, feliz é a pessoa, cujo Deus é o Senhor.

Aproveito para recordá-los os 10 mandamentos:

1. Amar a Deus sobre todas as coisas.2. Não tomar seu santo nome em vão.3. Guardar domingos e festas.4. Honrar pai e mãe.5. Não matar.6. Não pecar contra a castidade (fidelidade).7. Não furtar.8. Não levantar falso testemunho.9. Não desejar a mulher do próximo.10. Não cobiçar as coisas alheias.

Fonte:http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

Fonte: http://www.pnsbrasil.com.br/?nid=1700&t=reflexao-08-06-2016-pratiquemos-a-lei-de-deus-e-a-ensinemos-ao-proximo-mateus-5-17-19-evangelho-de-jesus-cristo-segundo-sao-mateus

ORAÇÃO

Ó Deus criador, do qual tudo me vem, eu Te louvo pela beleza e perfeição que todas as coisas contêm. Tua Lei natural tudo governa e me governa. Humildemente Te peço: não me deixes viver afastado de Tua lei divina. Longe da Tua sagrada lei não serei feliz. Dá-me, Jesus, o discernimento necessário para amar-Te sobre todas as coisas e, ao próximo, como a mim mesmo. Porque És amor, tua lei é amor. Porque És perfeito, Tua lei é perfeita. Porque És eterno, Tua lei é eterna. Porque És misericordioso, Tua lei é misericordiosa. Resgata-me, Senhor, por Teu grande amor. Que meus juízos não sejam vazios da Tua presença. Mais do que conhecer, dá-me a graça de entender e viver Tua sagrada Lei que liberta e salva. Faze-me capaz de legislar tendo em mente tão somente a defesa da vida de todo ser humano. Amém.

– Deus me abençoe e me guarde. Amém.– Ele me mostre a sua face e se compadeça de mim. Amém.– Volte para mim o seu olhar e me dê a sua paz. Amém.– Abençoe-me Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

 

 

 

Só defenderá a vida quem coloca Deus em primeiro lugar

Mc 12,13-17

Naquele tempo, as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes, para apanharem Jesus em alguma palavra. Quando chegaram, disseram a Jesus: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro, e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas para as aparências do homem, mas ensinas, com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: É lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?”
Jesus percebeu a hipocrisia deles, e respondeu: “Por que me tentais? Trazei-me uma moeda para que eu a veja”. Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: “De quem é a figura e inscrição que estão nessa moeda?” Eles responderam: “De César”.
Então Jesus disse: “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. E eles ficaram admirados com Jesus.

Reflexão: Como é bom saber que Deus não olha a aparência dos seres humanos, mas a interioridade. Como é bom saber que Deus não faz acepção de pessoas. Todos fomos feitos à Tua imagem e semelhança. Para Deus somos todos lindos, cheios de talentos e com capacidade de mudar tantas coisas. Basta que acreditemos em nós mesmos e nas qualidades que recebemos de Deus. Todavia, os talentos recebidos não são para nosso gozo pessoal. Temos que ser capazes de colocar em comum os dons recebidos, sobretudo em ações de solidariedade. O Evangelho de hoje nos ensina que temos obrigações com Deus e com o mundo. O que não devemos fazer jamais é colocar Deus e César no mesmo patamar. Tudo o que pertence a este mundo é fugaz, termina. Só Deus e eterno. Ainda que fiquemos indignados com o mau uso do dinheiro público por parte de alguns “César” que atuam no poder público, temos que ter a capacidade de viver bem essas duas instâncias: a divina e a terrena. A boa educação e o respeito pelas realidades terrenas têm início dentro de nós mesmos. Temos direitos, mas também deveres, é verdade. E a melhor forma de sermos responsáveis com as realidades terrenas, é ajudando os seres humanos a terem vida com dignidade. É decepcionante constatar que nem todo o dinheiro dos nossos impostos são revertidos em benefício dos mais necessitados. Defender a vida é, entre as tarefas humanas, a que mais agrada a Deus e a que mais gera santidade e salvação. E só defenderá a vida quem coloca Deus em primeiro lugar na sua própria vida. Deus tem o primeiro lugar em nossas vidas? Conseguimos provar a presença d’Ele em nós com ações concretas? Então, realmente, temos fé. Fé sem obras perde a sua consistência.

fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-marcos-1213-17/

Promessa do Espírito Santo

fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/

ORAÇÃO

Ó Deus, dai-me a graça de possuir a única moeda com a qual eu possa comprar o reino do Céu, que me ensine e ajude proclamar a minha fé não somente em palavras, mas também na verdade das minhas ações que é Jesus Cristo, Vosso Filho que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém!

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/dai-a-cesar-o-que-e-de-cesar-mc-1213-17/

Alimentados pelo Pão da Vida, somos testemunhas neste mundo do Amor de Deus

Jo 6,52-59

Naquele tempo, os judeus discutiam entre si, dizendo: “Como é que ele pode dar a sua carne a comer?” Então Jesus disse: “Em verdade, em verdade vos digo, se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeira comida e o meu sangue, verdadeira bebida.Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo por causa do Pai, assim o que me come viverá por causa de mim. Este é o pão que desceu do céu. Não é como aquele que os vossos pais comeram. Eles morreram. Aquele que come este pão viverá para sempre”. Assim falou Jesus, ensinando na sinagoga em Cafarnaum.

Reflexão: O Mestre Jesus está nos conduzindo para termos a vida n’Ele, porque Ele é a nossa vida. Como teremos, no entanto, a vida em Jesus? Comendo a Sua Carne e bebendo o Seu Sangue. A Carne e o Sangue representam a totalidade da pessoa humana, e aqui estamos falando da pessoa de Jesus.

Cristo quer que sejamos íntimos e próximos d’Ele, quer que tenhamos a vida n’Ele. O Senhor nos chama a participarmos da Sua natureza mais íntima, dá-nos Sua própria Carne e Seu Sangue, para que a nossa carne, nosso sangue e nossa vida, num todo, seja resgatada e vivida n’Ele.

A primeira coisa necessária é: reconhecer essa dádiva de Deus, esse presente do Céu, essa maravilha que Ele nos dá, que é a vida n’Ele.

Sabe irmãos, Jesus não nos dá somente conhecimento, instruções e modos de viver, Ele nos chama a vivermos a vida n’Ele. É algo extraordinário e maravilhoso levar a vida em Deus. Para que isso aconteça, é preciso entender que a comunhão com a Carne e o Sangue de Jesus tem comunhão com os pensamentos, com o sentimentos, com a vida que Jesus teve e trouxe a cada um de nós.

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna”. É algo maravilhoso de meditar e contemplar! Não se trata de vida eterna “quando eu morrer, estarei com Jesus”, mas a vida que começa aqui! É uma vida única, a continuidade que não tem fim. Eu começo a viver a vida em Deus agora, e viverei para sempre com Ele no Céu.

Não espere morrer para começar a viver a eternidade; ela começa agora, no meio de nós. Quando vivemos a vida em Jesus, quando nossa vida está mergulhada em Deus, quando estamos imersos no Sangue do Senhor, na vida e no Corpo d’Ele, no Seu Sangue, a vida d’Ele resplandece em nós.

Vivamos a eternidade aqui e agora, façamos do lugar que vivemos, das coisas que fazemos, da vida que levamos a vida em Deus. É Ele quem nos dá o dom do Céu, e ter esse dom é estar mergulhado no Corpo e Sangue de Jesus.

Fonte: http://homilia.cancaonova.com

ORAÇÃO

Pai Santo, que o teu Espírito esteja em nós e nos faça crianças de teu Reino de Amor. Assim nós nos jogaremos inteiros no Mistério do Cristo e, alimentados pelo Pão da Vida, seremos testemunhas neste mundo do teu Amor de Pai que também é Mãe. Pelo mesmo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/04/homilia-comentario-e-reflexao-do_18.html

Há um único Deus, manifesto a nós em três pessoas distintas

Jo 16,12-15

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.
Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu”.

Reflexão: Celebramos, neste domingo, a Festa da Santíssima Trindade. Se todos os dias da nossa vida celebramos Deus entre nós, hoje, de modo especial, celebramos a identidade d’Ele.

Quem é Deus? Essa é uma pergunta que muitos fazem! Criança ou adulto, crente ou descrente, Deus é a realidade mais sublime que existe em todo o universo!

A Palavra de Deus, as Sagradas Escrituras nos ajudam a compreender, conhecer e saber quem é o Deus a quem servimos. É Ele quem se deixa revelar, ser conhecido ao longo da história da salvação e da humanidade.

Os primeiros pais que tivemos conheceram Deus como o Pai de todas as coisas, perceberam que Ele havia criado tudo. Eles perceberam, na perfeição das coisas criadas, na existência humana, que um Pai havia feito todas as coisas. E esse Pai fez questão de se manifestar e dizer: “Eu sou o princípio e o fim!”. Esse Pai foi se mostrando e conduzindo Seus filhos pela mão.

Esse Pai viu Seus filhos caírem, machucarem-se, perderem-se na realidade mais negativa da vida humana, que é o pecado. Esse Pai bondoso nos revelou que não estava sozinho. Por isso, ninguém pode ser sozinho na vida, precisamos ser um com Deus e Ele quer ser um conosco!

Deus, na Sua própria natureza, não estava sozinho. Quando Ele chegou à plenitude dos tempos, enviou-nos Seu Filho, que é igual a Ele, distinto quanto pessoa, porém, igual quanto natureza.

Na natureza divina, esse Filho estava com o Pai desde toda a eternidade. Eterno como Ele, revelou-nos a face do Pai, mostrou-nos o quanto amoroso, bondoso e misericordioso Ele é. Esse Filho deu Sua vida por nós, morreu para nos resgatar e nos colocar mais próximos do coração do Pai.

Foi este Filho quem nos revelou o segredo íntimo que os une. Esse segredo íntimo chama-se: Espírito Santo. O Espírito do Pai, do Filho, que é também uma pessoa divina, una como Eles. De modo que conhecemos a identidade de um Deus que é único. Não existem três deuses nem três realidades divinas. Há um único Deus, manifesto a nós em três pessoas distintas.

Que nome podemos dar a isso? Alguns chamam de Santíssima Trindade. Um Deus que é único e trino, contudo, a melhor definição de Deus é Amor!

As pessoas da Santíssima Trindade viveram a perfeição do amor, uma comunhão única, eterna, que não se rompe, e cada vez mais sólida se manifesta para a nossa realidade humana.

Esse Deus trino e maravilhoso quis morar no meio de nós, e o nosso coração é o lugar da Sua morada, onde Ele quer se fazer presente. Primeiro, para romper a nossa falta de unidade interior, para nos ajudar a sermos criaturas únicas, ligadas e unidas a Deus, para romper toda divisão que há no seio da humanidade.

Salve, Trindade Santa! Salve, Deus uno e trino!

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/o-nosso-coracao-e-o-lugar-da-morada-de-deus/

imagem fonte: http://ministerioparacriancasagudos.blogspot.com.br/2014/07/santissima-trindade.html

ORAÇÃO

Pai, Filho e Espírito Santo,
Santíssima Trindade acompanhai-me toda a vida,
dai-me sempre guarida, tende de mim piedade,
Pai Eterno, ajudai-me,
Verbo de Deus, abençoai-me,
Espírito Santo, alcançai-me protecção, honra e virtude,
nunca a soberba me ataque
e sempre busque o bem,
com a Santíssima Trindade para sempre.

Amém!

fonte: http://www.paroquias.org/oracoes/?o=32

Jesus nos incentiva a caminhar nos Seus caminhos

Ao iniciar sua vida pública, Jesus começa, lentamente, a escolher os seus discípulos que, à medida que atendiam o chamado largavam tudo e continuavam a caminhada junto com Ele. Assim dentre os discípulos de João Batista. André, chamado por Jesus, chama Pedro e Filipe, e este chama Natanael. Natanael, diante da origem humilde de Jesus, manifesta sua incredulidade. Porém, ao primeiro contato com ele, Natanael o aclama como Filho de Deus e Rei de Israel. Jesus descarta este título de poder, identificando-se com o Filho do Homem, a presença divina no simplesmente humano que abre as portas do céu. O título “Filho de Deus” tem duplo sentido: título de realeza, comum nos reinos e impérios, e título específico de Jesus, enquanto presença divina, amorosa, encarnada. Natanael o usa no primeiro sentido. Jesus insinua que sua realidade é outra: por ele, o Filho do Homem, serão abertas as portas do céu aos humanos. Jesus vem realizar o projeto de Deus, que é levar o humano à plenitude pela comunhão com o amor divino.
Antes de ser chamado Natanael conversava com Felipe lhe disse haver encontrado aquele de quem escreveram Moisés e os Profetas: – Jesus de Nazaré, o filho de José. “Ao que Natanael lhe responde”: – Por acaso pode sair algo de bom de Nazaré?”Nazaré era uma cidade pequena e habitada por pessoas muito simples. Jesus se aproxima dos dois naquele momento e, Felipe diz a Natanael: -“ Vem e vê! Assim que ele olha encontra o seu olhar com o olhar de Jesus, que lhe diz :-“Eis um verdadeiro Israelita, ao qual no qual não há enganos”. E, assustado ele pergunta a Jesus: – “De onde me conheces? Jesus lhe diz: – “Antes que Felipe te chamasse eu te vi quando estavas debaixo da figueira.” Daí Natanael exclama:- “Mestre, tu és o Filho de Deus, Tu és o Rei de Israel”.
Na nossa vida, como a Natanael, Jesus nos pergunta de várias maneiras, para nos incentivar a caminhar nos Seus caminhos; para vivermos fundamentados nos seus ensinamentos de Filho de Deus, demonstrando com a Sua vida, o verdadeiro lugar do amor na vida de todos os que O seguem. Muitas são as vezes que nós somos displicentes e, deixando-nos levar pelo barulho do mundo, principalmente, nos dias atuais, não percebemos o amor de Deus a nos abraçar e a falar dentro do nosso coração, completamente diferente daquilo que temos na nossa cabeça. Sem forçar, sem exigir, Ele não nos abandona nesses tempos; deixa-nos livres para seguirmos a nossa cabeça ou o nosso coração. Após tomarmos a atitude escolhida, vamos colher seus frutos, se bons ou ruins, advindos como resultados da nossa decisão tomada.
Rimos, ficamos felizes e alegres, se agimos acertadamente, mas , choramos e sofremos muito se erramos, agindo pelo instinto somente, sem usarmos o nosso coração. Assim aconteceu com Natanael que diminuiu Jesus pela Sua procedência, não lhe dando o valor que o próprio Criador nos ensina no antigo Testamento. Jesus veio para salvar a humanidade, não descansou jamais, para cumprir a Missão a Que veio: – Salvar a todos os seus irmãos, que somos todos nós, dando-nos a oportunidade de errarmos durante a nossa vida e, aceitando a qualquer momento o nosso Arrependimento Sincero e, nos levando para junto do Pai, na Eternidade, onde Ele nos espera desde que nascemos.
Por isso, devemos cultuar o Perdão na nossa vida, nunca o negando aos que nos ofendem, não gostam de nós; prejudicam-nos, nos ignoram ou não nos aceitam. Aí reside a nossa prova de que amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Assim é a essência do Maior dos Mandamentos que Jesus nos trouxe para a nossa salvação. Pois você verá coisas maiores do que esta. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: vocês verão o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem.
Pai leva-me a conhecer, cada vez mais profundamente, a identidade de teu Filho Jesus, e a fazer-me discípulo dele, de modo a compartilhar sua missão.

fonte: http://www.padrejoaosv.com/homilia_diaria.php?&id=1465

Rabi, tu és o Filho de Deus! – Jo 1,47-51

Jesus viu Natanael que vinha ao seu encontro e declarou a respeito dele: “Este é um verdadeiro israelita, no qual não há falsidade!”. Natanael disse-lhe: “De onde me conheces?”. Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, quando estavas debaixo da figueira, eu te vi”. Natanael exclamou: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!”. Jesus lhe respondeu: “Estás crendo só porque falei que te vi debaixo da figueira? Verás coisas maiores que estas”. E disse-lhe ainda: “Em verdade, em verdade, vos digo: vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem!”.

imagem fonte: http://santuariodasgracas.blogspot.com.br/2010/09/natanael-vai-jesus-joao-147-51.html

ORAÇÃO

Senhor Deus Pai Eterno,

realmente só não vêem as Tuas maravilhas aqueles que fecham o coração.

Todos os dias ages em cada um que Te procura em espírito e verdade.

Ensina-nos a “ver”, Senhor!

Amém.

fonte:http://apenasoracao.blogspot.com.br/2012/09/rezando-o-evangelho-de-hoje-jo-147-51.html