É convertendo o coração, é nos arrependendo de nossas faltas, buscando o perdão de Deus que encontramos a salvação

Lucas 3,1-6
No décimo quinto ano do império de Tibério César, quando Pôncio Pilatos era governador da Judéia, Herodes administrava a Galileia, seu irmão Filipe, as regiões da Itureia e Traconítide, e Lisânias a Abilene; quando Anás e Caifás eram sumos sacerdotes, foi então que a palavra de Deus foi dirigida a João, o filho de Zacarias, no deserto. E ele percorreu toda a região do Jordão, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados, como está escrito no Livro das palavras do profeta Isaías: “Esta é a voz daquele que grita no deserto: ‘preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas. Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão retas e os caminhos acidentados serão aplainados. E todas as pessoas verão a salvação de Deus’”.

Reflexão: Que graça sublime, neste segundo domingo do Advento, colocarmos em destaque o papel de João Batista. Maria foi toda de Deus, mas João também foi todo d’Ele desde o ventre de sua mãe, quando lá foi santificado. João nasceu com uma missão divina, nasceu para ser profeta do Deus Altíssimo e veio para preparar e aplainar os caminhos por onde o Senhor deveria passar.

João é para nós uma seta que nos indica o caminho do Céu. Como ele mesmo vai nos dizer, ele não é o caminho, mas nos aponta Jesus, que é o caminho. Ele não é a salvação, mas nos aponta Jesus como nosso Salvador.

O modo de João fazer esse percurso e nos mostrar por onde devemos andar é por aquilo que ele fez pregando um batismo de conversão. É convertendo o coração, é nos arrependendo de nossas faltas, buscando o perdão de Deus que encontramos a salvação.

Vemos a salvação de Deus entre nós quando nos arrependemos, sinceramente, dos nossos pecados. O caminho que João traça para a nossa vida, neste tempo de graça que chamamos de Advento, é pararmos para tomar consciência de que todos nós somos pecadores. Essa consciência do todo precisa ser trazida para o nosso individual, para o nosso singular, porque o que precisamos é, de forma pessoal e não coletiva, simplesmente nos arrependermos dos nossos próprios pecados, deixar que aquilo que o batismo fez em nós, quando éramos crianças, nos removendo da consequência do pecado original, que o nosso batismo seja atualizado sempre, seja vivo sempre, que entremos pelas águas do rio Jordão, para que Deus nos lave, purifique-nos e renove para termos a graça de recebermos Jesus, o nosso divino Salvador.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Preparai o Caminho do Senhor

 

fonte: https://jesus-cvv.webnode.com.br/news/o-caminho-do-senhor/

ORAÇÃO

Espírito que converte, toca o coração de todas as pessoas para que, abandonando seus erros e vícios, voltem-se para Jesus, por uma sincera conversão. Amém!

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/voz-de-quem-clama-no-deserto-preparai-o-caminho-do-senhor-lc-31-6/

Anúncios

É preciso parar diante Jesus; é preciso escutá-Lo mas, sobretudo, rasgar o nosso coração

Lc 19,1-10
Naquele tempo, Jesus tinha entrado em Jericó e estava atravessando a cidade. Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico. Zaqueu procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era muito baixo. Então ele correu à frente e subiu numa figueira para ver Jesus, que devia passar por ali. Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima e disse: “Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa”. Ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria. Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo: “Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!” Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor: “Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres, e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais”.Jesus lhe disse: “Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão.Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”.

Reflexão: Olho para o Zaqueu, esse homem de baixa estatura, mas de boa situação de vida: publicano, cobrador de impostos, rico e com muito dinheiro. Mas, quem se perde em meio aos prazeres e ao dinheiro que tem, não consegue enxergar a vida como ela precisa ser vista.

Zaqueu percebeu que ele estava fora da graça e da vida, por esse motivo, de qualquer forma ele queria ver Jesus. Veja o esforço que esse homem faz quando sobe na árvore para poder vê-Lo.

Antes que Zaqueu quisesse ver Jesus, Ele já tinha enxergado o coração desse homem há muito tempo. Por isso, que assim que o avista diz: “Desce dessa árvore! Porque, hoje, eu quero estar na sua casa”. A resposta de Jesus a Zaqueu é a resposta d’Ele a cada um de nós. Ele nos vê mesmo que nós não O enxerguemos e, mais ainda, Ele quer estar em nossa casa, em nossa vida, em nosso trabalho.

Duas coisas podem acontecer: acharmo-nos muito santos, muito de Deus e da Igreja; acharmos que Ele já está conosco e, de fato, não darmos espaço para que Ele venha. Por outro lado, podemos nos achar muito pecadores e pensar: “Jesus não viria na casa de um pecador”. Os dois pecadores precisam de Jesus: o pecador que se acha muito santo e o pecador que entende que é muito pecador, porém, ambos precisam se libertarem do pecado. Ou seja, eu e você precisamos ver Jesus!

Precisamos deixar que Jesus, hoje, entre em nossa casa, em nossa vida e em nossa família. Para,assim, iluminar situações que precisam de luz, para iluminar a nossa vida com a graça que, muitas vezes, não conseguimos enxergar.

Hoje, o Senhor quer estar conosco, precisamos acolhê-Lo. Não basta dizermos: “Jesus já é da minha casa, é muito bem-vindo”. É preciso parar diante d’Ele; é preciso escutá-Lo mas, sobretudo, rasgar o nosso coração.

Não foi só Zaqueu quem acolheu Jesus, outros pecadores, também, O acolheram, mas Zaqueu foi diferente, ele rasgou o seu coração.

Quando Jesus foi na casa de Simão, esse O acolheu com uma soberba sem igual. A misericórdia não entrou no seu coração. Já, Zaqueu, desprendeu e rasgou o seu coração para Jesus. Então Ele disse: “A salvação, hoje, entrou nessa casa, a salvação entrou nesse coração”.

Quando acolhemos Jesus, quando rasgamos o nosso coração e nos colocamos, humildemente, na presença d’Ele, a salvação entra na nossa vida, na nossa casa e no meio de nós.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

31-TO

 Fonte: https://www.gruposdejesus.com/31-tempo-ordinario-c-lucas-191-10-2/

ORAÇÃO

 

Jesus, Mestre:

que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria.

Que eu ame com o teu coração.

Que eu veja com os teus olhos.

Que eu fale com a tua língua.

Que eu ouça com os teus ouvidos.

Que as minhas mãos sejam as tuas.

Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.

Que eu reze com as tuas orações.

Que eu celebre como tu te imolaste.

Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.

(BV. Alberione)

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/11/homilia-comentario-e-reflexao-do_19.html

 

A gratuidade do serviço

Lucas 17,7-10
Naquele tempo, disse Jesus: “Se algum de vós tem um empregado que trabalha a terra ou cuida dos animais, por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: ‘Vem depressa para a mesa?’ Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: ‘Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois disso poderás comer e beber?’ Será que vai agradecer ao empregado, porque fez o que lhe havia mandado? Assim também vós: quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: ‘Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer’”.

Reflexão: O discípulo é alguém que serve. É aquela pessoa que aprendeu a superar o próprio egoísmo. Compreendeu a sua missão de discípulo servidor e reconhece até, ser um “servo inútil”, quer dizer não é indispensável. Há uma outra compreensão desta expressão. Os santos a entenderam assim: o discípulo apenas é um instrumento de Deus, um canal do qual Deus se serve para comunicar a sua graça, o seu amor. O canal por si não realiza nada. É preciso que a graça de Deus passe por ele, É Deus quem age!
Somos todos servos inúteis. Deus não precisa de nós, uma vez que ele pode, por si só, realizar todas as coisas. Mas Deus quis contar conosco, com a nossa colaboração, e isso não em vista da pessoa dele, mas sim em vista do nosso próprio bem, uma vez que, quando colaboramos com a obra da salvação da humanidade, estamos de fato participando de uma obra que não é humana, mas divina, o que se torna para nós causa de santificação e caminho de perfeição. O amor de Deus por nós é tão grande que faz da nossa inutilidade fonte de santificação e de vida nova, não só para nós mesmos, mas também para toda a Igreja, para todas as pessoas.

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/11/homilia-diaria-comentario-e-reflexao-do_12.html

 

Evangelho (Lc 17,7-10)

O Evangelho de hoje não se dirige à atitude do Senhor, mas à dos servos. Jesus convida os seus apóstolos, através do exemplo de uma parábola a considerar a atitude de serviço: o servo tem que cumprir o seu dever sem esperar recompensa. Jesus utiliza esse tema com objetivo de descrever nossa posição em relação a Deus. Ao colocar-se a serviço de Deus precisamos abandonar a ideia de recompensa e de direitos adquiridos. Assim, orientados por uma atitude religiosa e espiritual, não nos cabe estabelecer condições, nem colocar limites ao dom recebido de Deus, pois ele próprio se fez nosso “servidor”, “entregue” por nós, corpo e alma, até à morte e morte de cruz. E a nossa recompensa: o dom gratuito da bondade do Senhor e a Sua misericórdia, que não deixa de premiar o servo que ama generosamente e, na humildade, dá o melhor de si, para que o Reino de Deus possa de fato acontecer. Que não nos preocupemos com reconhecimento ou gratidão, mas coloquemos com alegria a serviço, tudo o que temos e somos. Pois antes mesmo de Jesus dizer essas palavras do Evangelho, sua Mãe já havia se declarado serva do Senhor: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” ( Lc 1,38). Maria nos ensina a sermos discípulos de Jesus. Ensina-nos a importância de ouvir e contemplar serena e confiantemente, mesmo nos momentos mais difíceis pelos quais ela passou. De onde vinha tanta força? Da comunhão com a palavra de Deus. Que ela nos ajude a sermos servos fiéis da vinha do Senhor e verdadeiramente comprometidos com a Tua Palavra.  #compromissocomaPalavradeDeus  #mãesqueorampelosfilhos

#curta 
#comente 
#compartilhe 
#EVANGELIZE

Fonte:https://deskgram.net/explore/tags/CompromissoComAPalavraDeDeus

ORAÇÃO

Pai Santo, dá-nos sabedoria e coragem para sermos generosos. Que nas nossas relações com o próximo nós não procuremos buscar vantagens pessoais, mas sejamos movidos unicamente pela compaixão e a generosidade. Pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/11/homilia-diaria-comentario-e-reflexao-do_12.html

 

Santo é aquele que deixa prevalecer a graça, o combate para viver a vida em Deus

Mt 5,1-12a

Naquele tempo, 1Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, 2e Jesus começou a ensiná-los:3”Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus.4Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados.5Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra.6Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.7Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.8Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.9Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.10Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus. 11Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e mentindo disserem todo tipo de mal contra vós, por causa de mim. 12aAlegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus.

Reflexão: Hoje, temos a grande alegria de celebrarmos a Solenidade de todos os santos. Veja aqui uma particularidade, “todos os santos” quer dizer até mesmo aqueles que não conhecemos, que não são canonizados, que não foram oficialmente dados pela Igreja como santos, mas são.

A santidade não é mérito nosso, mas é mérito de Deus, e é Ele quem chama para junto de si aqueles que levaram, aqui na Terra, uma vida bem-aventurada, são dignos de participar da glória celeste. É o destino de todos nós, é o que devemos almejar com toda a força da nossa alma e do nosso coração!

Não podemos querer ser outra coisa a não ser santos. Podemos até dizer: “Eu sou pecador. Tenho os meus pecados”. Todos os santos, com exceção da bem-aventurada Virgem Maria, que também lutou pela sua santidade para permanecer imaculada, nasceram pecadores, mas não deixaram o pecado prevalecer, porque santo é aquele que deixa prevalecer a graça, a luta pela santidade, o combate para viver a vida em Deus.

O dia de hoje nos faz lembrar os santos que temos devoção e amor, os santos que nós conhecemos a sua história, a sua vida. Hoje, especialmente, essa festa é dedicada para lembrar os santos que fazem ou fizeram parte do nosso cotidiano: os nossos avós, algum dos nossos pais que já partiram para a eternidade, pessoas de nossa comunidade, próximas a nós que dizemos: “Que pessoa santa que nos edificou com a sua vida, que viveu essas bem-aventuranças, o espírito da pobreza, da aflição, da mansidão, da paz, da pureza”. Foram perseguidos, injustiçados, mas permaneceram fiéis a Deus e a Sua Palavra.

São essas pessoas que estamos celebrando no dia de hoje, essa enorme multidão que ocupa lugar no coração de Deus e participam da felicidade sem fim que ninguém mais poderá roubar. Que mérito esses homens e essas mulheres têm! Da nossa parte, a nossa luta, porque a nossa meta é o Céu, é ir morar junto com eles na eternidade feliz, junto com Deus.

Precisamos, no dia de hoje, assumir um compromisso de viver a graça do batismo com seriedade, serenidade e empenho. Que graça é essa? O batismo nos conferiu a santidade original quando nos lavou dos nossos pecados. Precisamos lutar para viver a graça da pureza batismal, que nos foi concedida pelo Senhor. Ele é santo e deseja que nós todos sejamos santos.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

as bem - aventuranças 3fonte : https://palavravivaeeficaz.com.br/index.php/2018/04/19/bem-aventurados/

ORAÇÃO

Pai, move-me pelo Espírito a trilhar o caminho da santidade, colocando minha vida em tuas mãos e buscando viver as bem-aventuranças proclamadas por teu Filho Jesus. Amém!

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/bem-aventurancas-mt-51-12a/

Os humildes se corrigem e se deixam corrigir

Mt 23,13-22
Naquele tempo, disse Jesus: “Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós fechais o Reino dos Céus aos homens. Vós porém não entrais, nem deixais entrar aqueles que o desejam. Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós percorreis o mar e a terra para converter alguém, e quando conseguis, o tornais merecedor do inferno, duas vezes pior do que vós. Ai de vós, guias cegos! Vós dizeis: ‘Se alguém jura pelo Templo, não vale; mas, se alguém jura pelo ouro do Templo, então vale!’ Insensatos e cegos! O que vale mais: o ouro ou o Templo que santifica o ouro? Vós dizeis também: ‘Se alguém jura pelo altar, não vale; mas, se alguém jura pela oferta que está sobre o altar, então vale!’ Cegos! O que vale mais: a oferta, ou o altar que santifica a oferta? Com efeito, quem jura pelo altar jura por ele e por tudo o que está sobre ele. E quem jura pelo Templo jura por ele e por Deus que habita no Templo. E quem jura pelo céu, jura pelo trono de Deus e por aquele que nele está sentado”.

Reflexão : Toda e qualquer hipocrisia deve ser condenada e combatida. Jesus não está combatendo os homens, pelo contrário, Ele está combatendo a hipocrisia reinante nos homens religiosos da sua época. Nós, que somos pessoas religiosas por vocação, pelo batismo, pela graça de servirmos a Deus, precisamos estar sempre vigilantes contra a tentação da hipocrisia.

O que é a hipocrisia? Sabemos o que é certo e o que é errado, temos uma facilidade para condenar o erro e a fraqueza dos outros, apontar quem está certo ou errado, mas temos uma facilidade ainda maior para absolvermos nossos próprios erros. Temos até uma postura sempre de desculpa com as nossas falhas e com os nossos limites.

Não é que precisamos ter uma postura de aceitar tudo que está errado no mundo, pelo contrário, não podemos cair num modo de vida farisaico, que tem, realmente, a capacidade de apontar o dedo, de ver que o erro é esse ou aquele e dizer: “Eu não cometo aquilo que os outros cometem, mas eu cometo outros erros e pecados”. O que precisamos fazer? Precisamos nos corrigir, deixar-nos converter a cada dia, colocar-nos numa atitude de vigilância, e colocar a nossa “barba de molho” a cada dia, sem jamais levantar o dedo para condenar essa ou aquela pessoa.

Não vejo o Mestre Jesus condenando nem discriminando ninguém. Eu vejo o Mestre Jesus amando os pecadores que acharíamos os piores pecadores da sua época. Contudo, eu vejo Jesus condenando qualquer hipocrisia.

Não podemos ser diferentes, temos de prestar atenção no que fazemos, no que falhamos, como nos portamos diante dos outros, porque a hipocrisia vai ser sempre uma tentação para a nossa vida.

Os humildes se corrigem e se deixam corrigir; os hipócritas e orgulhosos se fecham e não são corrigidos. Que Deus nos mostre a via da humildade que nos santifica sempre.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

 

Fonte: https://mensajealosamigos.wordpress.com/2016/08/21/tiempo-ordinario-lunes-21-ciclo-c/

ORAÇÃO

Pai Santo, o primeiro anúncio que nós fazemos do teu Reino de Amor é com o nosso jeito de viver. Só a nossa vida nos fará arautos confiáveis perante os irmãos. Dá-nos, Pai Amado, sabedoria e coragem para seguir o Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/08/homilia-comentario-e-reflexao-do_26.html

Precisamos nos conhecer e sermos conhecidos como somos por Deus

Jo 1,45-51
Filipe encontrou-se com Natanael e lhe disse: “Encontramos aquele de quem Moisés escreveu na Lei, e também os profetas: Jesus e Nazaré, o filho de José”. Natanael disse: “De Nazaré pode sair coisa boa?” Filipe respondeu: “Vem ver!”Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem Natanael perguntou: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te Natanael respondeu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel”.Jesus disse: “Tu crês porque te disse: Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!” E Jesus continuou: “Em verdade, em verdade eu vos digo: Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”.

Reflexão: Hoje, a Igreja nos dá a graça de celebrarmos o apóstolo São Bartolomeu, também chamado de Natanael, aquele que, para mim, é o apóstolo da sinceridade e da verdade, aquele que perguntou se de Nazaré poderia vir alguma coisa boa.

O que quero destacar, neste apóstolo, é o questionamento que ele mesmo faz: “De onde me conheces, Senhor?”, e a resposta de Jesus é: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi”. Antes que procuremos o Senhor ou possamos ir atrás d’Ele, Ele já nos viu e nos amou.

Deus é aquele que nos conhece desde o ventre de nossa mãe. Ele conhece nossas entranhas mais profundas, conhece os anseios da nossa alma e do nosso coração, conhece nossas angústias, nossos sofrimentos e desejos mais secretos. Ele conhece nossa intimidade e nos ama do jeito que somos.

Às vezes, queremos nos esconder até de Deus. Adão, quando pecou, escondeu-se do Senhor. Este, no entanto, conhece-nos nus, do jeito que somos. Às vezes, não nos conhecemos nem nos damos a conhecer; vivemos nos escondendo atrás de máscaras, fantasias, roupas clichês, redes sociais, fotografias bonitas que não revelam a nossa essência nem aquilo que, de fato, somos.

Precisamos entrar no nosso coração para escutar o nosso interior, para nos deixar conhecer. Precisamos nos conhecer e sermos conhecidos como somos por Deus. E por que precisamos nos conhecer? Para nos amarmos, cuidarmo-nos, sermos cuidados e deixarmos que a presença amorosa do Senhor não nos condene, mas nos cure.

Tudo aquilo que escondemos, não permitimos a Deus redimir, curar nem salvar, mas aquilo que assumimos, que apresentamos diante de Deus na miséria mais profunda, podemos ter a certeza de que a graça d’Ele vai curar, restaurar, vai nos dar condição de assumirmos aquilo que somos, sem termos vergonha de sermos quem, de fato, somos.

Deus nos conhece do jeitinho que somos. Diante d’Ele, apresentamo-nos com nossas alegrias, entusiasmos e motivações, mas também com nossas fraquezas e misérias, porque Ele caminha conosco, e nós precisamos caminhar com Ele para sermos curados, libertos e restaurados a cada dia.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

 

Se a sua riqueza é o Reino dos Céus, Deus estará no seu coração

Mateus 19,23-30
Naquele tempo, Jesus disse aos discípulos: “Em verdade vos digo, dificilmente um rico entrará no reino dos Céus. E digo ainda: é mais fácil um camelo entrar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Reino de Deus”. Ouvindo isso, os discípulos ficaram muito espantados, e perguntaram: “Então, quem pode ser salvo?” Jesus olhou para eles e disse: “Para os homens isso é impossível, mas para Deus tudo é possível”.Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: “Vê! Nós deixamos tudo e te seguimos. Que haveremos de receber?” Jesus respondeu: “Em verdade vos digo, quando o mundo for renovado e o Filho do Homem se sentar no trono de sua glória, também vós, que me seguistes, havereis de sentar-vos em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos, campos, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna. Muitos que agora são os primeiros, serão os últimos. E muitos que agora são os últimos, serão os primeiros.

Reflexão: Quando escutamos esse Evangelho de Jesus, parece uma sentença condenatória que exclui os ricos do Reino dos Céus, entretanto, o problema não é ser rico, mas a maneira de lidar com as riquezas. O maior tesouro que podemos ter na vida é o Reino dos Céus, é o tesouro que não perece, que ninguém rouba nem tira de nós, mas quando colocamos o nosso coração em outros tesouros, não abraçamos o Reino dos Céus.

A verdade é que o Reino dos Céus não exclui ninguém, são as pessoas que excluem o Reino dos Céus, porque têm preferência por outras riquezas.

Graças a Deus, conheço pessoas ricas e pobres, que mantêm a graça essencial do Reino dos Céus: a simplicidade de vida. Elas trabalham, dedicam-se, têm os seus empreendimentos, mas não colocam ali o seu coração; elas não desprendem o coração de Deus, porque Ele é a maior riqueza da sua vida.

Há pessoas que trabalham para progredir na vida de forma justa, honesta e correta, é assim que Deus quer que todos possamos progredir. O problema é quando a riqueza faz crescer dentro de nós a cobiça e o desejo desenfreado pelos bens; a partir disso, o coração se anela àquilo que ele anseia. “Onde está o tesouro, ali estará o seu coração” (Mateus 6,21). Portanto, se a sua riqueza são os bens deste mundo, é aqui que você vai colocar o seu coração, mas se a sua riqueza é o Reino de Deus e as coisas d’Ele, se a sua riqueza é o bem e os valores eternos, pode ter a certeza de que, sendo rico ou pobre, Deus estará no seu coração.

Não se prenda aos bens deste mundo, não coloque sua confiança nos bens materiais, porque tendo posse ou não, seja uma pessoa desprendida, aguerrida, trabalhadora e dedicada, mas saiba ter ordem e valores. “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e todas as coisas vos serão acrescentados na nossa vida”.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://www.alphaeomega.org.br/site/2013/08/20/evangelho-mt-1923-30/

ORAÇÃO

Pai Santo, envia o teu Espírito para ensinar-nos a nos desapegarmos dos bens que a tua Providência nos ofereceu. Que façamos deles instrumentos para aliviar as carências dos irmãos de caminhada – e que o façamos com alegria, sem desejar retornos ou mesmo gratidão. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade doEspírito Santo. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/08/homilia-diaria-comentario-e-reflexao-do_6331.html

 

O Ponto Afinal

O ponto esclarece ao final ou provocar se faz necessário ?

O eu insólito ...

Jaqueline Bastos

Deixando Deus falar...

"O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão-de passar." (Mateus 24:35)

Doando Amor

Faça mais do que existir !