Que generosidade, desapego e gratuidade não sejam para nós apenas palavras que admiramos

Mc 10,17-30
Naquele tempo, quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?” Jesus disse: “Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe”. Ele respondeu: “Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”. Jesus olhou para ele com amor, e disse: “Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me!” Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos: “Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!”

Os discípulos se admiravam com estas palavras, mas ele disse de novo: “Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!” Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso, e perguntavam uns aos outros: “Então, quem pode ser salvo?” Jesus olhou para eles e disse: “Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível”. Pedro então começou a dizer-lhe: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. Respondeu Jesus: “Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida — casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições — e, no mundo futuro, a vida eterna”.

Reflexão: Vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu!” Com estas palavras Jesus nos ensina como poderemos perseguir a perfeição e assim, acumular um tesouro no céu. Por mais pecadores que sejamos todos nós temos desejo de santidade e ansiamos progredir no caminho da perfeição. O exemplo do jovem rico é uma confirmação disso. Viver apenas os mandamentos não nos basta. Cumprir a lei é pouco diante do anseio que temos de perfeição, de liberdade, de sairmos de nós mesmos (as) e alçar o livre arrebatamento dos filhos de Deus criados à Sua imagem e semelhança. Jesus falou para o jovem rico que ele precisaria vender tudo o que tinha. E nós? O que será preciso vender? Podemos começar admitindo que primeiramente, precisamos sair de nós mesmos e nos descartar de tudo que nos aprisiona, escraviza e nos impede de voar para fora da mesmice da nossa vidinha medíocre de “cumprir a obrigação” e amealhar, depositando sobre nós uma carga pesada e levando uma bagagem difícil de carregar que dificulta a viagem que empreendemos. Jesus veio nos salvar do pecado e da morte eterna, por isso, Ele tem em Si todos os atributos de que precisamos para o nosso fortalecimento. Quando Ele nos recomenda, vender tudo para dar aos pobres, é porque sabe que quanto mais nos apegarmos a nós mesmos e às nossa mentalidade egoísta, mais ranzinzas e infelizes seremos. O rico é aquele que é apegado às suas conveniências e não consegue perceber a necessidade dos outros. Dar aos pobres é não viver só para si, é deixar de olhar apenas os próprios interesses para alcançar os interesses de Deus e fazer a Sua vontade.

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mc-1017-30/

 

No pueden servir a Dios y al dinero

Fonte: https://mensajealosamigos.wordpress.com/2016/11/04/tiempo-ordinario-sabado-31-ciclo-c/

ORAÇÃO

Pai Santo, que generosidade, desapego e gratuidade não sejam para nós apenas palavras que admiramos, mas diretrizes efetivas do relacionamento nosso com os companheiros de caminhada, seguindo os passos do Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.

Fonte: http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

Anúncios

Maria é a Mãe atenta e presente

João 2,3

Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse: ‘Eles não têm mais vinho’” 

Reflexão: Viva a Mãe de Deus e nossa! Viva a Senhora Aparecida! É com muito amor no coração que, hoje, celebramos a Padroeira de todos nós brasileiros: Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

A imagem milagrosa, encontrada nas águas do rio Paraíba há mais de 300 anos, tornou-se o símbolo maior da fé do povo brasileiro, símbolo da intercessão de uma Mãe que cuida dos seus filhos.O milagre que aconteceu nas águas do Rio Paraíba, onde pescadores estavam necessitados de peixes, é similar ao que aconteceu na festa de casamento onde faltava vinho para os noivos receberem os seus convidados.

Maria é a Mãe atenta e presente, que se desdobra para atender e cuidar dos seus filhos. Maria é a Mãe que cuida de nós e sabe das nossas necessidades, que se antecipa às necessidades dos seus filhos, coloca-se adiante para entender o que está acontecendo. Por isso, hoje, na Festa da Conceição Aparecida, queremos, como filhos, colocar, no coração de nossa Mãe, nossas aflições, tensões e preocupações, pedir que ela aumente a nossa fé e a nossa confiança, porque temos uma Mãe que cuida de nós e sabe das nossas necessidades.

Queremos, hoje, renovar o nosso amor a Mãe de Deus e nossa.

A imagem de Aparecida não é simplesmente uma imagem feita de gesso. Algumas pessoas podem até olhar para ela e perguntar: “O que uma imagem pode fazer por nós?”. Nada! O que Deus pode fazer por nós? Tudo!

A imagem é um símbolo, um sinal de comunicação e comunhão com Deus. A imagem não é Maria, mas simboliza para nós a presença materna, a presença de Mãe. A imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida é um grande sinal do amor que Deus, nosso Pai nos Céus, tem pelo povo brasileiro, sobretudo, pelos mais sofridos, os mais necessitados e aflitos. Temos uma Mãe que diz: “Eu estou presente. Estou contigo. Estou do seu lado”.

Maria está do nosso lado em todas as aflições, dificuldades e sofrimentos. Não estamos sozinhos, temos uma Mãe que está conosco. Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogai por nós!

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://diocesedeuruacu.com.br/especiais/especial-nossa-senhora-aparecida-padroeira-do-brasil

ORAÇÃO

Oração a Nossa Senhora Aparecida

Ó Virgem Maria, abençoada sois vós pelo Senhor Deus Altíssimo entre todas as mulheres da terra.Vós sois a glória de Jerusalém, vós a alegria de Israel, vós a honra do nosso povo. Salve, ó Virgem, honra de nossa terra, a quem rendemos um culto de piedade e veneração, a quem chamamos com o belo nome de Aparecida. Quem poderia contar, ó doce Mãe, quantas graças, durante tantos anos, vós dispensastes ao povo brasileiro, compadecida dos nossos males? Quisemos cingir vossa cabeça sagrada com uma coroa de ouro, que vos é devida por tantos títulos; continuai a dobrar-vos benignamente às nossas preces. Quando erguemos aos céus nossas mãos suplicantes, ouvi, clemente, os nossos rogos, ó Virgem; conservai nossas almas afastadas da culpa e, por fim, conduzi-nos ao céu. Salvação, honra e poder Àquele que, uno e trio, nos fulgores do seu trono celeste, governa e rege todo o universo. Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogai por nós. Amém!

Fonte: http://www.paroquias.org/oracoes/?o=72

Peçamos que a graça de Deus ilumine e direcione os nossos passos

Lucas 11,5-13
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’, e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’; eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário. Portanto, eu vos digo: pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. Pois quem pede recebe; quem procura encontra; e, para quem bate, se abrirá. Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”

Reflexão: Na escola de oração do Mestre Jesus, aprendemos com Ele a oração da súplica, que está ligada à perseverança e à fé na oração. Perseverar é saber em quem estamos colocando a nossa esperança, em que estamos esperando e confiando.

Sabendo em quem estamos esperando e confiando, temos n’Ele toda fé, toda confiança que uma criança tem no seu pai ou na sua mãe, pois sabe que o pai cuida dele mesmo não sendo o melhor do mundo, mas ele vai ser sempre o pai.

O nosso Pai do Céu é aquele que cuida de nós, a quem podemos pedir qualquer coisa, pois, como bom pai, Ele vai nos conceder [o que pedimos]. É importante entendermos que não é qualquer coisa que vai nos servir, e nem precisamos de qualquer coisa, precisamos do Espírito Santo!

O maior dom, a maior dádiva, o maior presente que o Pai pode nos dar é Seu Espírito. Por que precisamos do Espírito Santo? Porque Ele estava com Jesus, e O iluminou, guiou e direcionou. É do Espírito que precisamos para iluminar, dirigir e governar a nossa vida.

Estamos, muitas vezes, perdidos na estrada. Para que nos encontremos no caminho da vida, precisamos da luz do Alto. Por isso, peçamos o Espírito Santo. Mesmo sendo pecadores e frágeis como somos, ainda necessitamos do Espírito que vem em nosso socorro, em nosso auxílio, em socorro da nossa pobreza, que direciona o nosso caminho e ilumina as estradas da nossa vida.

Com todo amor do nosso coração, que, na nossa oração de cada dia, não falte a súplica ao Espírito de Amor, que o Pai nos conceda em abundância os dons do Seu Espírito, para que a graça de Deus ilumine e direcione os nossos passos.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

images

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2016/o-pai-do-ceu-dara-o-espirito-santo-lc-11-5-13/

Espirito Santo, dê-nos sabedoria para discernir o que realmente necessitamos, o certo do errado, a paciência para esperar o tempo de Deus, a coragem para ir sempre adiante e a fortaleza para fazer o que é necessário sem desistir no caminho e principalmente o AMOR para entendermos que Deus quer habitar em nós e nos fazer instrumentos, para poder atender tantos pedidos de tantos filhos.

Concede-nos, oh Pai, a graça de receber o teu Santo Espirito e que seja ele quem conduza minha vida, e assim eu seja um operário na construção do teu reino, que também é nosso. Maria, mãezinha querida, seja nossa companheira e protetora e nos ensine a ouvir, tu que eres plena no Espirito.

Amém!

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2016/o-pai-do-ceu-dara-o-espirito-santo-lc-11-5-13/

Na oração nos comunicamos com Deus e comungamos do Seu amor

Lc 11, 1-4
Um dia, Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: ‘Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos.’ Jesus respondeu: ‘Quando rezardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos, e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’.’

Reflexão: Hoje, quero pegar a humildade desse discípulo de Jesus e, como discípulo que também sou, suplicar: “Senhor, ensina-me a rezar, pois, muitas vezes, não o sei fazer”.

Jesus passava horas em oração, fazendo comunhão e comunicação com o Pai. Hoje, Ele está nos ensinando que a oração não é outra coisa senão ter comunicação e comunhão com Deus. Pena que muitos de nós centramos a oração na repetição de palavras, e essa oração, muitas vezes, não nos coloca em comunhão com Ele. Ainda que as palavras nos ajudem a expressar aquilo que precisamos rezar, a oração é feita da boca para fora, porque o coração está bem longe do Senhor. A oração é feita com o corpo inteiro, com a vida inteira.

Na oração, precisamos estar inteiros, sermos filhos e Ele o Pai, por isso a oração é sempre clamando: “Pai nosso”, porque Ele é o Pai de todos nós. Quando oramos, não vamos primeiro pedir e suplicar, mas glorificar nosso Deus, colocar-nos na presença d’Ele para amá-Lo, para ficarmos no colo d’Ele, para nos comunicarmos com Ele e comungarmos do Seu amor. É assim que precisamos aprender a rezar a cada dia. Antes mesmo de começar, um dos discípulos de Jesus disse: “Senhor, ensina-nos. Que teu Espírito venha em nosso socorro, em nosso auxílio e nos ensine a rezar, ensine-nos a exaltar o nosso Pai, a pedir que o Reino d’Ele aconteça em nosso meio.

Não precisamos de mais nada em nossa vida além do Reino de Deus acontecendo aqui e agora. O que vamos pedir a Deus? Só precisamos que o Reino d’Ele esteja aqui, que o seu nome seja exaltado, glorificado, e que Ele perdoe os nossos pecados e nossos erros, nossas fraquezas e ofensas. Não podemos deixar de suplicar: “Livra-me do maligno. Liberta-me das tentações persistentes: tentações nos pensamentos, nos sentimentos, tentações que nos levam a sucumbir no mal”.

Só na oração encontramos a comunhão com Deus, para andarmos na presença d’Ele todos os dias. Por isso, eu termino pedindo: “Senhor, ensina-me a rezar, porque preciso, a cada dia, estar em comunhão contigo”.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Resultado de imagem para Pai Nosso que estás nos céus,

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-sao-mateus-67-15/

ORAÇÃO

Jesus, Mestre: que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria. Que eu ame com o teu coração. Que eu veja com os teus olhos. Que eu fale com a tua língua. Que eu ouça com os teus ouvidos. Que as minhas mãos sejam as tuas. Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas. Que eu reze com as tuas orações. Que eu celebre como tu te imolaste. Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/07/homilia-comentario-e-reflexao-do_27.html

Somos seletivos até para amar

Lucas 10,25-37
Naquele tempo, um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?”Jesus lhe disse: “Que está escrito na Lei? Como lês?” Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e a teu próximo como a ti mesmo!”Jesus lhe disse: “Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”. Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?”Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora deixando-o quase morto.Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.Mas um samaritano que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: “Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais”.E Jesus perguntou: “Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.

Reflexão: Uma das passagens mais belas das Sagradas Escrituras nos ensinam, de forma muito bela e, ao mesmo tempo, com uma reflexão muito profunda quem é o nosso próximo. São três pessoas religiosas, sejam eles os sacerdotes, os levitas ou os samaritanos e, diante desses três, um homem está caído à beira do caminho; ele foi assaltado, roubado e tido como morto à beira da estrada.

Cada um tinha suas ocupações e preocupações; e quando estamos ocupados e preocupados com a nossa vida, não temos tempo para quem está caído, para quem está prostrado, com problemas e dificuldades. Até quando estamos ocupados com as coisas de Deus, com as reuniões, os trabalhos e aquilo que devemos fazer, não temos tempo de nos ocupar com os que estão caídos à beira da estrada.

É incontável a multidão que está caída à beira da estrada. São jovens que estão prostrados por causa das drogas, são pessoas que estão caídas e prostradas por causa da depressão e por tantas enfermidades emocionais, são muitos dos nossos que estão doentes e enfermos nos leitos dos hospitais, em nossas casas e famílias.

Não podemos negar a grande quantidade de indigentes e famintos, pessoas que não têm o que comer, onde dormir e estão passando as mais diversas necessidades que um ser humano pode suportar. O que fazer? A humanidade está carente de bons samaritanos. Todo cristão deveria ser um bom samaritano, mas, muitas vezes, o nosso ser cristão está mais para o levita e o sacerdote do Evangelho de hoje. Demasiadamente ocupados com as nossas coisas, não temos tempo para cuidar dos próximos de nós e nem dos próximos que estão à beira do caminho.

Somos seletivos até para amar, amamos quem queremos e não amamos quem o Evangelho nos ordena amar. É preciso refletir sobre o Evangelho que escolhemos viver ou o Evangelho que pretendemos viver.

Quem é o nosso próximo? É aquele que usamos de misericórdia para com ele. Em um mundo cercado de misérias como o nosso, estamos ficando mais miseráveis do que o mundo, porque não sabemos usar de misericórdia para com o nosso próximo. Que o Senhor nos converta!

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

 

irmao

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2014/quem-e-o-meu-proximo-lucas-10-25-37/

ORAÇÃO

Espírito Santo peço que ilumine o nosso olhar e assim possamos enxergar o nosso próximo e nos aproximarmos.
Amém!

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2014/quem-e-o-meu-proximo-lucas-10-25-37/

Não há dom maior que possamos oferecer ao outro do que a paz que vem de Deus

Lc 10,1-12
Naquele tempo, o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos”. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita.Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não leveis bolsa nem sacola nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa.

Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’. Mas, quando entrardes numa cidade e não fordes bem recebidos, saindo pelas ruas, dizei: Até a poeira de vossa cidade que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vós. No entanto, sabei que o Reino de Deus está próximo! Eu vos digo que, naquele dia, Sodoma será tratada com menos rigor do que essa cidade.

Reflexão: Os discípulos de Jesus levavam o Reino de Deus a todos os lugares, e como precisamos levar o Reino de Deus para as nossas casas, famílias, povoados, grandes cidades, para as metrópoles ou para a zona rural. O Reino de Deus tem que ser anunciado. Como se anuncia o Reino de Deus? Com desprendimento e sem preocupações humanas. Que preocupações humanas são essas? São aquelas preocupações da nossa humanidade que está sempre tensa com as coisas. “O que vou conseguir? O que vou fazer?”.

Quando vamos anunciar o Reino de Deus nos ocupamos com ele e não com as coisas materiais ou com as vantagens que vamos levar. Quando vamos anunciar o Reino de Deus precisamos ganhar almas para Jesus, pessoas para o Reino de Deus. Não tem nada que se compare a uma alma convertida e evangelizada. Por isso, anuncie com desprendimento, tenha tempo na sua vida para anunciar o Evangelho.

Se o coração precisa estar desprendido o que vamos levar para a casa ou para as pessoas que anunciarmos o Reino de Deus? Levamos o reino da paz, levamos a paz. Em qualquer casa que entrar, dizei: “A paz esteja nesta casa!”, porque as casas do mundo inteiro estão necessitando de paz. O que entra pela televisão e pelas redes sociais, o que entra no meio em que estamos são os conflitos, guerras, disputas e desentendimentos por qualquer coisa.

Quem é de Deus promove a paz, leva a paz, faz a paz acontecer. Pode ser que você não saia da sua casa para ir pessoalmente à casa de outra pessoa mas, hoje, no mundo em que estamos das redes sociais, os vários mecanismos para se evangelizar: televisão, rádio e internet precisam promover a paz.

Se você é um homem e uma mulher de Deus não promovam a guerra, porque não é com guerra que levamos o Reino de Deus, não coloquemos as pessoas umas contra as outras, não promovamos acusações. Sejamos, de fato, promotores da paz. Desprenda-se de si mesmo, das suas convicções, das suas opiniões políticas e partidárias, desprenda-se daquilo que você acha que é o certo ou errado do outro. Tenhamos no coração a paz verdadeira, a paz que vem do coração de Deus.

Não há dom maior que possamos oferecer ao outro do que a paz que vem de Deus. Onde quer que entremos com uma mensagem, com um link que enviarmos, com o que tivermos para enviar ao outro, enviemos sobretudo a paz e não promovamos a guerra.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://dapazmensageiros.blogspot.com/2015/04/cantos-da-pascoa-cifras.html

ORAÇÃO

Pai Santo, aumenta a nossa fé! Faze de nós sinais vivos do teu Reino de Amor. Que o nosso testemunho mostre aos irmãos gratidão pelo Reino que, ainda não em plenitude, já nos ofereces nesta terra abençoada. E que sejamos fontes da Paz. Por Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Fonte: http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

 O reino dos céus é o Amor Eterno de Deus vivendo em nós

Mt 18,1-5.10
Naquela hora, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos Céus?” Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles e disse: “Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus. Quem se faz pequeno como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus. E quem recebe em meu nome uma criança como esta, é a mim que recebe. Não desprezeis nenhum desses pe­queninos, pois eu vos digo que os seus anjos nos céus veem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus”.

Reflexão: O reino dos céus é o Amor Eterno de Deus vivendo em nós e manifestando-se através de nós. Nele não existe maior e menor, pois todos nós somos os pequeninos a quem o Pai atrai e sustenta com o Seu Amor. Quem se compreende assim, pequeno, pecador, ovelha fugida e necessitada, este é que é grande no reino de Deus. Por isso, Jesus é muito firme e direto quando nos aponta o ser criança como condição para que possamos usufruir do Seu reinado e da assistência dos Seus anjos. Quando nos convertemos, nos tornamos como criança aos olhos do Pai. Somos como um filho pequeno e amado, dependentes do Seu amor. Com efeito, todos nós necessitamos saber que temos no céu, diante do trono do Pai, o nosso anjo da guarda contemplando a Sua Face e velando pela nossa vida. Peçamos, portanto, ao nosso Anjo da Guarda que nos ajude a nos tornar crianças dependentes da Sua proteção, ajuda e assistência. Aquele que não confia na proteção do Senhor através dos seus anjos não pode ser considerado pequenino, portanto não entrará no reino dos céus. Reflita: – Como você se sente aos olhos de Deus: grande ou pequeno (a)? Reflita – Será que você está perdendo tempo querendo ser “grande” e deixando passar a graça de viver aqui o reino de Deus?- Você acha que ser sábio nas coisas de Deus vai lhe ajudar na sua salvação?

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mt-181-5-10/

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com/2018/08/mt-181-51012-14-quem-e-mais-importante.html

ORAÇÃO

Espírito Santo

que procede do Pai e do Filho,

tu estás em nós, falas em nós,

rezas em nós, ages em nós.

Te pedimos: ajuda-nos a fazer espaço às tuas palavras,

à tua oração, para que possamos conhecer

o mistério da vontade de Deus na história.

Acende em nós aquele mesmo fogo

que ardia no coração de Jesus,

quando ele falava do reino de Deus.

Somente tu, Espírito Santo, podes acendê-lo

e a ti, portanto, apresentamos a nossa fragilidade,

a nossa pobreza, o nosso coração apagado,

para que tu o reacendas com o calor da santidade da vida,

do amor fraterno e da potência do Reino.

Amém.

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com/2018/08/mt-181-51012-14-quem-e-mais-importante.html

O Ponto Afinal

O ponto esclarece ao final ou provocar se faz necessário ?

O eu insólito ...

Jaqueline Bastos

Deixando Deus falar...

"O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão-de passar." (Mateus 24:35)

Doando Amor

Faça mais do que existir !