Para eu poder ser feliz, eu preciso fazer o outro feliz

Mateus 19: 16-22

Naquele tempo, alguém aproximou-se de Jesus e disse: “Mestre, que devo fazer de bom para possuir a vida eterna?” Jesus respondeu: “Por que me perguntas sobre o que é bom? Um só é o Bom. Se queres entrar na vida, observa os mandamentos”. O homem perguntou: “Quais mandamentos?” Jesus respondeu: “Não matarás, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe, e ama teu próximo como a ti mesmo”.O jovem disse a Jesus: “Tenho observado todas essas coisas. Que ainda me falta?” Jesus respondeu: “Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me”. Quando ouviu isso, o jovem foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico.

Reflexão: Na sua resposta Jesus corrige a pergunta do jovem rico. Em vez de usar a palavra “possuir”, Jesus usa a palavra “entrar”: “Se queres entrar na vida eterna…”. Jesus quer lhe dizer: “Deus te oferece a vida, portanto não é que tu possas possuí-la e sim, se quiseres participar nela, observa os mandamentos; se quiser entrar nela pratique a bondade, já que tu me perguntas ‘o que eu devo fazer de bom…’”. A bondade é a própria perfeição possuída por um ser e é a capacidade que possui num ser de dar a outro a perfeição que lhe falta. A bondade é a disposição natural a fazer o bem ou a trabalhar corretamente pelo bem de todos. Bondoso é quem se comporta com bondade. Quem tem bondade é porque tem amor.

O texto nos diz que o jovem rico observa todos os mandamentos. Mas ele insiste: “O que ainda me falta?”. Nesta pergunta percebemos algo importante de que por mais que alcancemos algo, sempre falta alguma coisa ou algumas coisas na nossa vida. Por melhores que nós possamos ser, sempre falta alguma coisa na nossa vida ou para nossa vida. Com efeito, nós somos o que somos e o que nos falta. Com efeito, não somos cristãos e sim estamos cristãos, isto é, estamos em processo para ser verdadeiros cristãos a exemplo do próprio Cristo. Em nós há algo que exige de nós muito mais, que nos convida a fazermos um passo adiante, que exige profundidade de relações, relações pessoais com Deus e com os demais homens. O que falta em nós nos dá força para que possamos buscá-lo e pode nos inquietar.
Na sua resposta Jesus diz ao jovem que ele deve desfazer-se de tudo o que tem sem esperança de retorno: “vender tudo e dar o dinheiro aos pobres”. Não somente “vender tudo”, porque o jovem poderia possuir o dinheiro, fruto da venda dos bens. Jesus exige dele muito mais: “dar aos pobres” tudo que é o fruto da venda dos bens. Deixada a segurança da riqueza ele encontrará outra segurança superior (Mt 6,25-34) que é o próprio Jesus que é o Caminho, a verdade e a Vida (cf. Jo 14,6). Por isso, em seguida Jesus acrescenta: “Depois, vem e segue-me”. Jesus chama-o à nova fidelidade, ao amor a todo homem, como o Pai do céu (Mt 5,48). A felicidade plena, a vida em abundância está na partilha, na solidariedade, na compaixão, no amor mútuo… A felicidade não se obtém na sua busca e sim na partilha. Para eu poder ser feliz, eu preciso fazer o outro feliz. Este é o paradoxo da vida autêntica.
… Saber renunciar às coisas materiais é ser rico. Dar ou partilhar é a manifestação da riqueza. Segurar egoisticamente, sem partilha, é a expressão do pobreza interior. Para possuir o Tudo temos que aprender a deixar tudo. Posso possuir as coisas, mas jamais as coisas podem me possuir para que eu possa manter minha liberdade e leveza na vida. O apego exagerado aos bens materiais é um terrível empecilho para o seguimento de Jesus. A dinâmica deste seguimento vai exigindo rupturas sempre mais radicais dos bens deste mundo. É preciso usarmos as coisas que passam e abraçarmos as coisas que não passam. Quem não está livre para fazê-las, ficará na metade do caminho, como o jovem rico no evangelho lido neste dia. O caminho da perfeição passa pela liberdade de coração, em relação aos bens deste mundo, para buscar Deus e solidarizar-se com os mais necessitados. É assim que se chega à vida eterna. Um homem que não cresce diariamente regride um passo cada dia.

“O que devo fazer para entrar na vida eterna” e “O que ainda me falta?”. São duas perguntas que devem ser respondidas por cada um de nós diariamente. Nós somos o que somos e o que nos falta, pois o nosso ideal é bastante alto: “Sejam perfeitos como o Pai do céu é perfeito” (Mt 5,48). Eu estou sendo o que devo ser para chegar a ser o que, na verdade, sou. Eu não posso me distanciar, cada vez mais, daquilo para o qual devo ser.

Fonte: http://vitus-passoadiante.blogspot.com

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com/2016/08/mt-1916-22-deus-tudo_1.html

ORAÇÃO

Pai, quero estar sempre em comunhão contigo, pois só tu és Bom. Que eu possa, assim, conhecer a tua vontade e colocá-la em prática, pois este é o caminho da salvação.Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/08/homilia-comentario-e-reflexao-do_19.html

Anúncios

A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor

Mt 5,17-19
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra. Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

Reflexão: 1 – Você sabe mesmo o que é lei divina? É importante refletir sobre este conceito. Muitas pessoas, talvez pela formação religiosa rígida que receberam, têm até pavor em falar sobre este assunto. Há, efetivamente, quem tem medo até de Deus, quanto mais das suas leis. Contudo, precisamos entender que a lei divina é a lei do amor. Entendendo o amor de Deus, entenderemos a lei divina. Entendendo a lei divina, entenderemos o amor de Deus. Isso resume tudo o que Deus é: amor!

2 – Faz-se necessário dizer que a Lei divina não se compara com as leis feitas por nós, mortais criaturas, para o bom ordenamento da vida em sociedade. É inegável que as leis humanas adquirem maior sentido quando tem seu fundamento na lei de Deus. Quanto mais tivermos Deus como referência, tanto mais humanos seremos. A Lei divina além de resgatar a pessoa na sua totalidade, a projeta para a santidade e a eternidade. Na Lei de Deus a vida plena e feliz do ser humano é o que realmente importa. O ponto central de convergência na Lei divina é o próprio Deus. É por isso que Jesus diz: Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Não nos esqueçamos, jamais, que a Lei de Deus é amor.

3 – Cumprir a sua Lei sagrada é participar ativamente deste amor de predileção. O problema é que nós, humanamente falando, temos uma tentação enorme em contemporizar tudo e flexibilizar tudo, de conformidade com a nossa medida de entendimento ou interesses pessoais. O que Deus tem em mente com sua Lei sagrada, efetivamente, é nos preservar dos caminhos que nos afastam d’Ele. Ele bem sabe que longe d’Ele não seremos felizes. A virtude da obediência aos mandamentos nos garante esta proximidade com Ele. A Lei divina tem uma dimensão vertical e uma dimensão horizontal. É amar a Deus sobre todas as coisas e, ao próximo, como a nós mesmos. A partir do momento que tivermos entendido isso, tudo será diferente em nós. Só o amor liberta… A Lei de Deus não tem nada de escravidão. A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor. Feliz é a nação, feliz é a família, feliz é a pessoa, cujo Deus é o Senhor.

fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2018/chegar-ao-coracao-da-lei-mt-5-17-19/

ORAÇÃO

Ó Deus criador, do qual tudo me vem, eu Te louvo pela beleza e perfeição que todas as coisas contêm. Tua Lei natural tudo governa e me governa. Humildemente Te peço: não me deixes viver afastado de Tua lei divina. Longe da Tua sagrada lei não serei feliz. Dá-me, Jesus, o discernimento necessário para amar-Te sobre todas as coisas e, ao próximo, como a mim mesmo. Porque És amor, tua lei é amor. Porque És perfeito, Tua lei é perfeita. Porque És eterno, Tua lei é eterna. Porque És misericordioso, Tua lei é misericordiosa. Resgata-me, Senhor, por Teu grande amor. Que meus juízos não sejam vazios da Tua presença. Mais do que conhecer, dá-me a graça de entender e viver Tua sagrada Lei que liberta e salva. Faze-me capaz de legislar tendo em mente tão somente a defesa da vida de todo ser humano. Amém!

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor

Mateus 5, 17-19
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Não pen­seis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra.Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

Reflexão:

1- Voce sabe mesmo o que é lei divina? É importante refletir sobre este conceito. Muitas pessoas, talvez pela formação religiosa rígida que receberam, têm até pavor em falar sobre este assunto. Há, efetivamente, quem tem medo até de Deus, quanto mais das suas leis. Contudo, precisamos entender que a lei divina é a lei do amor. Entendendo o amor de Deus, entenderemos a lei divina. Entendendo a lei divina, entenderemos o amor de Deus. Isso resume tudo o que Deus é: amor!

2 – Faz-se necessário dizer que a Lei divina não se compara com as leis feitas por nós, mortais criaturas, para o bom ordenamento da vida em sociedade. É inegável que as leis humanas adquirem maior sentido quando tem seu fundamento na lei de Deus. Quanto mais tivermos Deus como referência, tanto mais humanos seremos. A Lei divina além de resgatar a pessoa na sua totalidade, a projeta para a santidade e a eternidade. Na Lei de Deus a vida plena e feliz do ser humano é o que realmente importa. O ponto central de convergência na Lei divina é o próprio Deus. É por isso que Jesus diz: Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Não nos esqueçamos, jamais, que a Lei de Deus é amor.

3 – Cumprir a sua Lei sagrada é participar ativamente deste amor de predileção. O problema é que nós, humanamente falando, temos uma tentação enorme em contemporizar tudo e flexibilizar tudo, de conformidade com a nossa medida de entendimento ou interesses pessoais. O que Deus tem em mente com sua Lei sagrada, efetivamente, é nos preservar dos caminhos que nos afastam d’Ele. Ele bem sabe que longe d’Ele não seremos felizes. A virtude da obediência aos mandamentos nos garante esta proximidade com Ele. A Lei divina tem uma dimensão vertical e uma dimensão horizontal. É amar a Deus sobre todas as coisas e, ao próximo, como a nós mesmos. A partir do momento que tivermos entendido isso, tudo será diferente em nós. Só o amor liberta… A Lei de Deus não tem nada de escravidão. A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor. Feliz é a nação, feliz é a família, feliz é a pessoa, cujo Deus é o Senhor.

Aproveito para recordá-los os 10 mandamentos:1. Amar a Deus sobre todas as coisas.2. Não tomar seu santo nome em vão.3. Guardar domingos e festas.4. Honrar pai e mãe.5. Não matar.6. Não pecar contra a castidade (fidelidade).7. Não furtar.8. Não levantar falso testemunho.9. Não desejar a mulher do próximo.10. Não cobiçar as coisas alheias.

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

ORAÇÃO

Ó Deus criador, do qual tudo me vem, eu Te louvo pela beleza e perfeição que todas as coisas contêm. Tua Lei natural tudo governa e me governa. Humildemente Te peço: não me deixes viver afastado de Tua lei divina. Longe da Tua sagrada lei não serei feliz. Dá-me, Jesus, o discernimento necessário para amar-Te sobre todas as coisas e, ao próximo, como a mim mesmo. Porque És amor, tua lei é amor. Porque És perfeito, Tua lei é perfeita. Porque És eterno, Tua lei é eterna. Porque És misericordioso, Tua lei é misericordiosa. Resgata-me, Senhor, por Teu grande amor. Que meus juízos não sejam vazios da Tua presença. Mais do que conhecer, dá-me a graça de entender e viver Tua sagrada Lei que liberta e salva. Faze-me capaz de legislar tendo em mente tão somente a defesa da vida de todo ser humano. Amém.
Fonte:http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

Que nós sejamos disponíveis para servir o próximo, na mais pura gratuidade

Mt 23,1-12
Naquele tempo, Jesus falou às multidões e aos seus discípulos e lhes disse: “Os mestres da Lei e os fariseus têm autoridade para interpretar a Lei de Moisés. Por isso, deveis fazer e observar tudo o que eles dizem. Mas não imiteis suas ações! Pois eles falam e não praticam. Amarram pesados fardos e os colocam nos ombros dos outros, mas eles mesmos não estão dispostos a movê-los, nem sequer com um dedo. Fazem todas as suas ações só para serem vistos pelos outros. Eles usam faixas largas, com trechos da Escritura, na testa e nos braços, e põem na roupa longas franjas. Gostam de lugar de honra nos banquetes e dos primeiros lugares nas sinagogas. Gostam de ser cumprimentados nas praças públicas e de serem chamados de Mestre. Quanto a vós, nunca vos deixeis chamar de Mestre, pois um só é vosso Mestre e todos vós sois irmãos. Na terra, não chameis a ninguém de pai, pois um só é vosso Pai, aquele que está nos céus. Não deixeis que vos chamem de guias, pois um só é o vosso Guia, Cristo. Pelo contrário, o maior dentre vós deve ser aquele que vos serve. Quem se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado”.

Reflexão:  Os Mandamentos da Lei de Deus insistem em amar a Deus e ao próximo, e cumprindo-os, não somente conhecemos o verdadeiro motivo que Deus lhes deu, como conhecemos também o íntimo, o “coração” de Deus. Deus é amor. Não há motivo para cumprir seus Mandamentos por egoísmo e hipocrisia. Do mau exemplo dos escribas e fariseus tiremos uma lição negativa: não seremos como eles. Da repreensão que Jesus lhes fez, tiremos uma lição positiva, porque nos é dada por Ele, que nos amou primeiro e por nós deu sua vida. Sabemos, de fato, em quem cremos (2Tm 1,12), em Jesus Cristo. Nesta Quaresma tenhamos a coragem de nos enfrentar a nós mesmos e às nossas hipocrisias. Talvez as cultivemos como flores de nosso jardim, pois a hipocrisia acaricia nosso egoísmo. Sabemos, de fato, como combater esta planta daninha: esquecendo-nos de nós mesmos, deixando-nos envolver pelo amor de Deus. Assim o amor a Deus e ao próximo será nossa defesa contra a hipocrisia: seremos autênticos para com todos.

Fonte: http://www.loyola.com.br/liturgia_diaria.asp

Fonte: http://passionistas.pt/ano-a-xxxi-domingo-do-tempo-comum/

ORAÇÃO

Pai, reveste-me de humildade e simplicidade, para que eu seja disponível para servir o meu próximo, na mais pura gratuidade. Amém!

Fonte:http://www.cristominhacerteza.com/2012/08/homilia-comentario-e-reflexao-do_24.html

A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor

Mt 5,17-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Não pen­seis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra.
Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

Reflexão: 1– Você sabe mesmo o que é lei divina? É importante refletir sobre este conceito. Muitas pessoas, talvez pela formação religiosa rígida que receberam, têm até pavor em falar sobre este assunto. Há, efetivamente, quem tem medo até de Deus, quanto mais das suas leis. Contudo, precisamos entender que a lei divina é a lei do amor. Entendendo o amor de Deus, entenderemos a lei divina. Entendendo a lei divina, entenderemos o amor de Deus. Isso resume tudo o que Deus é: amor!

2 – Faz-se necessário dizer que a Lei divina não se compara com as leis feitas por nós, mortais criaturas, para o bom ordenamento da vida em sociedade. É inegável que as leis humanas adquirem maior sentido quando tem seu fundamento na lei de Deus. Quanto mais tivermos Deus como referência, tanto mais humanos seremos. A Lei divina além de resgatar a pessoa na sua totalidade, a projeta para a santidade e a eternidade. Na Lei de Deus a vida plena e feliz do ser humano é o que realmente importa. O ponto central de convergência na Lei divina é o próprio Deus. É por isso que Jesus diz: Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Não nos esqueçamos, jamais, que a Lei de Deus é amor.

3 – Cumprir a sua Lei sagrada é participar ativamente deste amor de predileção. O problema é que nós, humanamente falando, temos uma tentação enorme em contemporizar tudo e flexibilizar tudo, de conformidade com a nossa medida de entendimento ou interesses pessoais. O que Deus tem em mente com sua Lei sagrada, efetivamente, é nos preservar dos caminhos que nos afastam d’Ele. Ele bem sabe que longe d’Ele não seremos felizes. A virtude da obediência aos mandamentos nos garante esta proximidade com Ele. A Lei divina tem uma dimensão vertical e uma dimensão horizontal. É amar a Deus sobre todas as coisas e, ao próximo, como a nós mesmos. A partir do momento que tivermos entendido isso, tudo será diferente em nós. Só o amor liberta… A Lei de Deus não tem nada de escravidão. A centralidade da Lei de Deus é o mandamento do amor. Feliz é a nação, feliz é a família, feliz é a pessoa, cujo Deus é o Senhor.

Aproveito para recordá-los os 10 mandamentos:

1. Amar a Deus sobre todas as coisas.2. Não tomar seu santo nome em vão.3. Guardar domingos e festas.4. Honrar pai e mãe.5. Não matar.6. Não pecar contra a castidade (fidelidade).7. Não furtar.8. Não levantar falso testemunho.9. Não desejar a mulher do próximo.10. Não cobiçar as coisas alheias.

Fonte:http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

Fonte: http://www.pnsbrasil.com.br/?nid=1700&t=reflexao-08-06-2016-pratiquemos-a-lei-de-deus-e-a-ensinemos-ao-proximo-mateus-5-17-19-evangelho-de-jesus-cristo-segundo-sao-mateus

ORAÇÃO

Ó Deus criador, do qual tudo me vem, eu Te louvo pela beleza e perfeição que todas as coisas contêm. Tua Lei natural tudo governa e me governa. Humildemente Te peço: não me deixes viver afastado de Tua lei divina. Longe da Tua sagrada lei não serei feliz. Dá-me, Jesus, o discernimento necessário para amar-Te sobre todas as coisas e, ao próximo, como a mim mesmo. Porque És amor, tua lei é amor. Porque És perfeito, Tua lei é perfeita. Porque És eterno, Tua lei é eterna. Porque És misericordioso, Tua lei é misericordiosa. Resgata-me, Senhor, por Teu grande amor. Que meus juízos não sejam vazios da Tua presença. Mais do que conhecer, dá-me a graça de entender e viver Tua sagrada Lei que liberta e salva. Faze-me capaz de legislar tendo em mente tão somente a defesa da vida de todo ser humano. Amém.

– Deus me abençoe e me guarde. Amém.– Ele me mostre a sua face e se compadeça de mim. Amém.– Volte para mim o seu olhar e me dê a sua paz. Amém.– Abençoe-me Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-517-19/

 

 

 

“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor”

Mt 5,17-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Não pen­seis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra.
Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

Reflexão: A verdadeira obediência é fruto do amor. Paulo escrevendo aos Romanos 13:10, assim afirmou: “de sorte que o cumprimento da lei é o amor”. Jesus relacionou de forma muito clara a ligação do amor e da obediência. Em suas orientações finais aos discípulos, pouco antes de Sua morte, Ele disse: “Se me amais guardareis os meus mandamentos”. São João 14:15 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço”. São João 15:10 . Com estas colocações, Jesus não deixa dúvida alguma com respeito a esse assunto. A obediência genuina, tem como fonte geradora o amor. O amor verdadeiro se manifesta através de atos de amor, através da obediência.
São João o apóstolo do amor, em I João 5:2 e 3 escreveu: “Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são pesados”.
Jesus foi vitorioso na Sua luta contra o pecado, porque estava ligado ao Pai, de Quem buscava poder para vencer como humano. Da mesma forma, a vitória de Cristo nos é oferecida! Para que ela seja a nossa vitória, necessitamos estar tão ligados a Jesus, como o ramo está ligado ao tronco…
…O Salvador com Seu divino amor e Sua ternura, exaltava a majestade e beleza da verdade. Com branda, mas profunda influência, os homens eram atraídos para ouvir e aceitar Seus ensinos.
De igual maneira hoje, se olharmos para a lei como um fim em si mesma, nos tornaremos formais, praticantes de uma religião cerimonial destituída de alegria. Mas quando olhamos para a lei e vemos nela, algo que aponta nossa necessidade de Jesus, e encontramos nEle, o Salvador que nos perdoa, e nos capacita a viver de acordo com Sua vontade, nos tornamos cristãos felizes na mais completa acepção da palavra.É esta dimensão espiritual que Cristo resgatou em Seus ensinamentos e que nós necessitamos para revitalizar nossa vida religiosa.

fonte: http://homiliadopebantu.blogspot.com.br/2011/03/jesus-o-exemplo-de-obediencia-lei-mt.html

imagem fonte: http://www.cooperadores-bilbao.com/web/?p=16156

 

ORAÇÃO

Pai, livra-me do perigo de reduzir minha obediência aos teus mandamentos à execução mecânica de gestos exteriores. Revela-me, cada vez mais profundamente, a tua vontade, como Jesus. Que Ele seja hoje e sempre o meu exemplo de obediência à Vossa Palavra viva na Lei e nos profetas de hoje! Amém!

fonte: http://homiliadopebantu.blogspot.com.br/2011/03/jesus-o-exemplo-de-obediencia-lei-mt.html

A oração deve gerar em nós mais amor, compaixão e fidelidade a Deus e Sua vontade

Em verdade vos digo, que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus” (Mateus 21,31).

Mais uma vez, Jesus está no embate com os chefes dos sacerdotes e os anciões do povo. E a pequena parábola dos dois filhos que Ele conta é, na verdade, um sinal de compreensão muito clara sobre a disposição que cada um pode ter em querer seguir Deus ou não.

Veja: o pai manda o primeiro filho trabalhar na vinha, mas este diz que não vai, porque não quer; depois, reflete bem, muda sua opinião e vai. O segundo não reflete e responde no entusiasmo: ‘Sim, senhor, eu vou!’ Mas depois não vai. (cf. Mateus 21, 29-30).

Quem faz a vontade do Pai não é aquele que põe a boca para fora e diz “amém” para tudo, que reza, ora, faz isso e aquilo, mas, no fundo do coração, não faz a vontade de Deus.

É preferível amar mais e rezar menos
Às vezes, passamos muitas horas rezando, mas amamos e vivemos tão pouco os mandamentos do Senhor nosso Deus. É preferível amar mais e rezar menos, porque a nossa oração tem de transformar a nossa vida, tem de atingir a nossa vontade e disposição! A oração não pode fazer de nós pessoas mais orgulhosas e insensatas; ao contrário, deve gerar em nós mais amor, mais compaixão e fidelidade a Deus e Sua vontade.

Quantas prostitutas, quantas pessoas julgamos que sejam de má vida, e irão nos preceder no Reino de Deus! Porque, muitas vezes, o pecador parece que não se converte, mas quando este ouve a Palavra de Deus e se deixa crer e se convencer por ela, muda de vida de verdade.

Como seguir Jesus?
Aquele que, muitas vezes, está na igreja e sempre reza, acha que o outro precisa de conversão; está sempre reparando a vida das outras pessoas. Na verdade, seguir Jesus quer dizer: “Repare sua própria vida, corrija a si mesmo e converta-se a cada dia!”. Se não, daqui a pouco será também doutor da Lei. Conhecemos muita coisa de Deus, mas sabemos praticá-las pouco demais.

Para Deus o mais importante não é o conhecimento, mas a vida; para Ele, o mais importante não é a quantidade, mas a intensidade e a qualidade de vida moldada pelo Seu Evangelho.

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/nossa-oracao-deve-gerar-amor-em-nos/

A parábola dos dois filhos – Mt 21,28-32

“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’. O filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de atitude e foi. O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?” Os sumos sacerdotes e os anciãos responderam: “O primeiro”. Então Jesus lhes disse: “Em verdade vos digo que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. Pois João veio até vós, caminhando na justiça, e não acreditastes nele. Mas os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes, para crer nele”.

imagem fonte: http://arquidiocesedenatal.org.br/liturgia/mt-2128-32

ORAÇÃO

Pai, quero ser para ti um filho que escuta a tua Palavra e se esforça para cumpri-la com sinceridade. Que a minha resposta a teu apelo não seja pura formalidade. Amém.

fonte: http://www.paulinas.org.br/diafeliz/pt-br/?system=evangelho&id=5439