Maria é a Mãe atenta e presente

João 2,3

Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse: ‘Eles não têm mais vinho’” 

Reflexão: Viva a Mãe de Deus e nossa! Viva a Senhora Aparecida! É com muito amor no coração que, hoje, celebramos a Padroeira de todos nós brasileiros: Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

A imagem milagrosa, encontrada nas águas do rio Paraíba há mais de 300 anos, tornou-se o símbolo maior da fé do povo brasileiro, símbolo da intercessão de uma Mãe que cuida dos seus filhos.O milagre que aconteceu nas águas do Rio Paraíba, onde pescadores estavam necessitados de peixes, é similar ao que aconteceu na festa de casamento onde faltava vinho para os noivos receberem os seus convidados.

Maria é a Mãe atenta e presente, que se desdobra para atender e cuidar dos seus filhos. Maria é a Mãe que cuida de nós e sabe das nossas necessidades, que se antecipa às necessidades dos seus filhos, coloca-se adiante para entender o que está acontecendo. Por isso, hoje, na Festa da Conceição Aparecida, queremos, como filhos, colocar, no coração de nossa Mãe, nossas aflições, tensões e preocupações, pedir que ela aumente a nossa fé e a nossa confiança, porque temos uma Mãe que cuida de nós e sabe das nossas necessidades.

Queremos, hoje, renovar o nosso amor a Mãe de Deus e nossa.

A imagem de Aparecida não é simplesmente uma imagem feita de gesso. Algumas pessoas podem até olhar para ela e perguntar: “O que uma imagem pode fazer por nós?”. Nada! O que Deus pode fazer por nós? Tudo!

A imagem é um símbolo, um sinal de comunicação e comunhão com Deus. A imagem não é Maria, mas simboliza para nós a presença materna, a presença de Mãe. A imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida é um grande sinal do amor que Deus, nosso Pai nos Céus, tem pelo povo brasileiro, sobretudo, pelos mais sofridos, os mais necessitados e aflitos. Temos uma Mãe que diz: “Eu estou presente. Estou contigo. Estou do seu lado”.

Maria está do nosso lado em todas as aflições, dificuldades e sofrimentos. Não estamos sozinhos, temos uma Mãe que está conosco. Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogai por nós!

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://diocesedeuruacu.com.br/especiais/especial-nossa-senhora-aparecida-padroeira-do-brasil

ORAÇÃO

Oração a Nossa Senhora Aparecida

Ó Virgem Maria, abençoada sois vós pelo Senhor Deus Altíssimo entre todas as mulheres da terra.Vós sois a glória de Jerusalém, vós a alegria de Israel, vós a honra do nosso povo. Salve, ó Virgem, honra de nossa terra, a quem rendemos um culto de piedade e veneração, a quem chamamos com o belo nome de Aparecida. Quem poderia contar, ó doce Mãe, quantas graças, durante tantos anos, vós dispensastes ao povo brasileiro, compadecida dos nossos males? Quisemos cingir vossa cabeça sagrada com uma coroa de ouro, que vos é devida por tantos títulos; continuai a dobrar-vos benignamente às nossas preces. Quando erguemos aos céus nossas mãos suplicantes, ouvi, clemente, os nossos rogos, ó Virgem; conservai nossas almas afastadas da culpa e, por fim, conduzi-nos ao céu. Salvação, honra e poder Àquele que, uno e trio, nos fulgores do seu trono celeste, governa e rege todo o universo. Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogai por nós. Amém!

Fonte: http://www.paroquias.org/oracoes/?o=72

Anúncios

Quando vivemos o milagre do coração convertido somos capazes de multiplicar todos os dons que Deus nos deu

Jo 6,1-15
Naquele tempo, Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com seus discípulos. Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus. Levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer. Filipe respondeu: “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”. Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: “Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?” Jesus disse: “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.

Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!” Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido. Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo”. Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.

Reflexão : Quando contemplamos o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes, ficamos maravilhados e achamos que Jesus fez uma mágica. Deus não realiza mágicas, até porque mágicas são coisas enganosas e ilusórias, e Ele não faz nada que seja ilusório ou enganoso. Deus realiza a transformação, Ele tem poder sobre o pão e sobre os peixes.

Deus tem poder sobre nós e sobre a nossa vida, o poder d’Ele vai transformando a nossa condição. A graça desse grande milagre de Jesus foi, realmente, ver que o cuidado do Mestre fez com que o pão que parecia tão pouco pudesse ser multiplicado, transformado e que desse para todos.

Há algo muito singular aqui, primeiro, porque Jesus acalma a multidão, manda que todos se sentem. Quando nos sentamos e nos acalmamos, Deus vai nos alimentando, porque, se não nos acalmarmos, a fúria vai nos alimentando, e não tem alimento que sacie o coração que está furioso, revoltado e indignado, porque não temos o nosso alimento. Quando nos acalmamos, Deus vai nos saciando da Sua Palavra.

Segundo, Jesus ensina a partilhar o pouco que temos. O que são cinco pães e dois peixes? Talvez não dê nem para alimentar uma pessoa ou uma família. Experimente a graça de dividir o que você tem. Quando sabemos repartir o que temos com o outro, quando sabemos dividir os cinco pães, os dois peixes, o pouco de arroz e o feijão, tudo se multiplica e a festa acontece.

É preciso que o alimento seja encarado como dom sagrado. Primeiro, agradecemos a Deus, porque Jesus disse: “Ele tomou o pão e deu graças”. É o que Ele vai fazer depois com a Eucaristia, pois ela é Seu Corpo dividido, que se multiplica para alimentar a fome de Deus que todos nós temos.

O pão que Deus criou para a humanidade dá para alimentar toda a face da Terra cem vezes mais; depois, o que sobra é recolhido e guardado para depois. Não falta pão nem alimento para ninguém, o que falta é o milagre do coração convertido que se acalma, divide o que tem e é capaz de multiplicar todos os dons que Deus nos deu.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com/homilia/aprendamos-a-dividir-o-nosso-alimento-com-o-proximo/?sDia=29&sMes=07&sAno=2018

??????????

Fonte: http://franciscanos.org.br/?p=167441

ORAÇÃO

Vinde, Espírito Santo, e dai-nos o dom da sabedoria, para que possamos avaliar todas

as coisas à luz do Evangelho e ler nos acontecimento da vida os projetos de amor do Pai.

Dai-nos o dom do entendimento, uma compreensão mais profunda da verdade,

a fim de anunciar a salvação com maior firmeza e convicção.

Dai-nos o dom do conselho, que ilumina a nossa vida e

orienta a nossa ação segundo vossa Divina Providência.

Dai-nos o dom da fortaleza. sustentai-nos, no meio de tantas dificuldades, com vossa coragem,

para que possamos anunciar o Evangelho.

Dai-nos o dom da Ciência, para distinguir o único necessário das coisas meramente importantes.

Dai-nos o dom da piedade, para reanimar sempre mais nossa íntima comunhão convosco.

E, finalmente, dai-nos o dom do vosso santo temor, para que, conscientes de nossas fragilidades,

reconheçamos a força de vossa graça.

Vinde, Espírito Santo, e dai-nos um novo coração. Amém.

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2014/05/homilia-diaria-comentario-e-reflexao-do_2.html

 

O maior milagre é a conversão e a mudança de vida

Mt 11,20-24
Naquele tempo, Jesus começou a censurar as cidades, onde tinha feito grande número de seus milagres, por terem recusado arrepender-se: “Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se tivessem sido feitos em Tiro e em Sidônia os milagres que foram feitos em vosso meio, há muito tempo elas se teriam arrependido sob o cilício e a cinza. Por isso, vos digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Tiro e para Sidônia que para vós! E tu, Cafarnaum, serás elevada até o céu? Não! Serás atirada até o inferno! Porque, se Sodoma tivesse visto os milagres que foram feitos dentro dos teus muros, subsistiria até este dia. Por isso, te digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Sodoma do que para ti!”.

Reflexão: As pessoas querem milagres, curas e coisas mágicas, mas o maior milagre é a conversão e a mudança de vida. O milagre não é o espetáculo realizado em nome da fé, mas a nossa vida transformada.

Olhamos para a vida dos santos e queremos os milagres. Muitas vezes, as pessoas procuram santos que nem conhecem a história, mas sabem que ele realiza milagres, a causa dos impossíveis, as causas difíceis. Entretanto, precisamos olhar o milagre que Deus realizou na vida daquele santo, daquele homem e daquela mulher. Quando olhamos para a vida deles e vemos o que Deus fez, dizemos: “Realiza-se em mim, Senhor”.

O nosso impossível, as nossas causas difíceis estão projetadas, muitas vezes, em conquistas materiais, são dívidas que temos para pagar, situações que temos para resolver, curas que temos de alcançar. Às vezes, até conseguimos essas coisas, mas o essencial não se realizou.

Jesus está censurando as cidades onde Ele realizou boa parte de Seus milagres, pois as pessoas não compreenderam nem mergulharam na essência dos Seus milagres. Por isso, Jesus vai realizar pouquíssimos prodígios nessas cidades, como muitas vezes Ele não vai os realizar no nosso meio como muitos querem que aconteça.

Nossos olhares querem coisas mágicas no Céu, nossos olhares estão em busca de coisas extraordinárias. E não há nada mais extraordinário do que vidas convertidas e transformadas!

Quando eu olho para Francisco de Assis, nunca pedi uma graça para ele, mas eu só olho para ele e fico admirado, fico olhando e penso: “Que milagre é esse homem! O que ele era e o que se tornou depois que se encontrou com Jesus!”. Quando eu olho para Inácio de Loyola ou para Paulo, que era Saulo e se transformou.

Quando olho para a minha vida, encontro nela o milagre de Deus? Ele tem feito o milagre da transformação na minha vida? Eu vejo muitas convicções mudadas, mas eu sei que preciso que Deus realize o Seu milagre em mim. Eu não peço nada de material, não peço para Ele nada que seja focado em necessidades humanas. A minha humanidade tem sede de conversão, de santidade e mudança de santidade de vida. É esse milagre que eu quero e preciso a cada dia da minha vida.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://paroquiadosnavegantestra.blogspot.com/2017/07/evangelho-do-dia-no-dia-do-julgamento.html

ORAÇÃO

Senhor, nós te agradecemos por este dia.

Abrimos nossas portas e janelas para que tu possas

Entrar com tua luz.

Queremos que tu Senhor, definas os contornos de

Nossos caminhos,

As cores de nossas palavras e gestos,

A dimensão de nossos projetos,

O calor de nossos relacionamentos e o

Rumo de nossa vida.

Podes entrar, Senhor em nossas famílias.

Precisamos do ar puro de tua verdade.

Precisamos de tua mão libertadora para abrir

Compartimentos fechados.

Precisamos de tua beleza para amenizar

Nossa dureza.

Precisamos de tua paz para nossos conflitos.

Precisamos de teu contato para curar feridas.

Precisamos, sobretudo, Senhor, de tua presença

Para aprendermos a partilhar e abençoar!

Amém!

Fonte: http://paroquiadosnavegantestra.blogspot.com/2017/07/evangelho-do-dia-no-dia-do-julgamento.html

Façamos o caminho de conversão, de uma vida vivida a partir do exterior à uma vida a partir de dentro

Jo 4,43-54
Naquele tempo, Jesus partiu da Samaria para a Galileia. O próprio Jesus tinha declarado, que um profeta não é honrado na sua própria terra. Quando então chegou à Galileia, os galileus receberam-no bem, porque tinham visto tudo o que Jesus havia feito em Jerusalém, durante a festa. Pois também eles tinham ido à festa. Assim, Jesus voltou para Caná da Galileia, onde havia transformado a água em vinho. Havia em Cafarnaum um funcionário do rei que tinha um filho doente. Ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judeia para a Galileia. Ele saiu ao seu encontro e pediu-lhe que fosse a Cafarnaum curar seu filho, que estava morrendo. Jesus disse-lhe: “Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais”. O funcionário do rei disse: “Senhor, desce, antes que meu filho morra!” Jesus lhe disse: “Podes ir, teu filho está vivo”. O homem acreditou na palavra de Jesus e foi embora. Enquanto descia para Cafarnaum, seus empregados foram ao seu encontro, dizendo que o seu filho estava vivo. O funcionário perguntou a que horas o menino tinha melhorado. Eles responderam: “A febre desapareceu, ontem, pela uma da tarde”. O pai verificou que tinha sido exatamente na mesma hora em que Jesus lhe havia dito: “Teu filho está vivo”. Então, ele abraçou a fé, juntamente com toda a sua família. Esse foi o segundo sinal de Jesus. Realizou-o quando voltou da Judeia para a Galileia.

Reflexão: Estamos diante de contextos, cuja fé é entendida, interpretada e vivida, por meio de situações diversas: por meio de sinais e por uma necessidade especifica, onde pela fé na providência divina, busca-se uma solução para o já desacreditado. Na primeira situação, a fé é entendida como algo secundário, sempre associada a imediatez das aparências, quase sempre promovidas por sociedades dos espetáculos. Essa mentalidade ainda faz parte da sociedade e da igreja de hoje. É preciso ir além das aparências. É preciso uma fé a partir de dentro. Enraizada e solidificada em Cristo, rocha firme.

A segunda situação apresentada por João, é cena, onde o ouvir sobre Jesus leva o funcionário do rei a ir ao encontro Dele. Aqui também os sentidos (o ouvido) o intuiu e o motivou a ir até Jesus, contudo, diferente dos outros ele creu antes de se dar o sinal da cura do seu filho “O homem acreditou na palavra de Jesus e foi embora”. O que o levou de volta a sua casa, foi a confiança da cura do seu filho. Uma cura não aparente no primeiro momento, pois foi necessário um pedagógico caminho de conversão, para que então o funcionário pudesse ver naquilo que já havia acreditado ter acontecido: a cura do seu filho. A fé, neste sentido, deve preceder os sinais. João, já no seu evangelho intuiu isso e, diferente dos outros evangelistas atribuía aos milagres o termo “sinais”, justificando assim, o fato de que eles, não dão sentido a eles mesmos, mas sempre nos revelam algo maior e central: JESUS CRISTO.

Que a exemplo do funcionário do rei, deixemos, pois, fazer, assim como ele, o caminho de conversão, de uma vida vivida a partir do exterior à uma vida a partir de dentro.

Fonte: http://oratoriosaoluiz.com.br/evangelho-do-dia-cura-do-filho-de-um-oficial/

ORAÇÃO

Pai Santo, nós te agradecemos pela semente de fé que implantaste em nossos corações e te pedimos força e perseverança para cultivarmos essa plantinha em nossa vida, seguindo o Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo. Amém!
Fonte:http://www.cristominhacerteza.com/2013/03/homilia-comentario-e-reflexao-do_10.html

É preciso andar com Jesus a nossa frente

Lucas 11,14-23
Naquele tempo, Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar, e as multidões ficaram admiradas. Mas alguns disseram: “É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa os demônios”.Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. Mas, conhecendo seus pensamentos, Jesus disse-lhes: “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra.Ora, se até Satanás está dividido contra si mesmo, como poderá sobreviver o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus. Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava, e reparte o que roubou. Quem não está comigo está contra mim. E quem não recolhe comigo dispersa”.

Reflexão: Jesus realizou milagres, curas, libertações, mas tudo isso não era o essencial da Sua missão. O essencial da missão de Jesus era a implantação do Reino de Deus pelo anúncio da salvação, que era Ele mesmo. Claro que a salvação alcança o homem por inteiro, e que Deus se interessa pela cura, mas não há dúvida de que a grande salvação do homem é a salvação de sua alma. O corpo também é salvo porque será remido por Cristo na ressurreição final. Será um corpo glorioso. Mas, na realidade, até mesmo a cura física é transitória. Exemplo disso é que Lázaro, que foi ressuscitado por Cristo, veio a falecer algum tempo depois desse fato. Ele foi curado, mas não viveu eternamente sobre esta terra.

Quando Jesus opera milagres e curas, está querendo atrair para aquilo que é essencial. O problema é quando ficamos apenas com o que é acidental, quando vemos Cristo com se Ele fosse um curandeiro, quando O queremos apenas para que cure nossas feridas e não queremos ter aliança alguma com Ele. É como se nós quiséssemos apenas a cura que vem de Jesus e não O quiséssemos. Na verdade, a grande cura da nossa vida é tê-Lo em nosso coração. Se tivermos Jesus em nosso coração, se Ele for o Senhor de nossas vidas, com certeza todas as áreas de nossa vida serão curadas.

Todo cristão passa por batalhas espirituais. É preciso andar com o Senhor à nossa frente. O mal não tem poder diante de Deus. Que o Senhor nos ajude a ter o olhar fixo Nele e que esse tempo Quaresmal seja um tempo de conversão a Deus.

Fonte: https://www.comshalom.org/comentario-do-evangelho-de-hoje-o-que-voce-espera-de-deus/

Fonte: http://www.pequeninosdosenhor.org/index.php/2011/03/com-ele-sempre/

ORAÇÃO

“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade, queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.”

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/quem-nao-esta-comigo-e-contra-mim-lc-1114-23/

O milagre não está no extraordinário, mas no encontro com o amor que gera a vida em nós

Lucas 4,24-30
Jesus, vindo a Nazaré, disse ao povo na sinagoga: “Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. De fato, eu vos digo: no tempo do profeta Elias, quando não choveu durante três anos e seis meses e houve grande fome em toda a região, havia muitas viúvas em Israel. No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a uma viúva em Sarepta, na Sidônia. E no tempo do profeta Eliseu, havia muitos leprosos em Israel. Contudo, nenhum deles foi curado, mas sim Naamã, o sírio”.Quando ouviram estas palavras de Jesus, todos na sinagoga ficaram furiosos. Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaram-no até o alto do monte sobre o qual a cidade estava construída, com a intenção de lançá-lo no precipício. Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho.

Reflexão : Nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. Na oração de hoje, vamos pedir ao Senhor que nos dê a abertura de coração para deixar suas palavras caírem fundo em nós, e mostrar-nos o que Ele precisa que vejamos sobre a nossa acolhida à vida e ao amor. Porque Ele é a Palavra do Pai, “viva e eficaz”, que ao mesmo que mostra, transforma. Quando é acolhida.

Jesus usa duas comparações para dizer dos “de fora” que acolheram melhor os enviados de Deus do que o Povo escolhido: a viúva de Sarepta e o sírio Naamã. A viúva, confiando no profeta Elias, ofereceu-lhe tudo o que tinha para viver apenas mais um dia com seu filho, e ele lhe garantiu que não faltaria. Naamã ouviu falar do profeta Eliseu e foi a Israel em busca da cura para a sua lepra.

Naamã cometeu dois equívocos em sua busca. O primeiro é que foi ao rei (enviado por seu rei) e não ao profeta. Foi a quem não podia fazer nada por ele. Quais são nossas buscas? Quais são nossos desejos mais profundos? Quais são as necessidades do nosso coração e da nossa vida? A quem temos ido nessas buscas? A quem nos indicam ir?

O rei respondeu a Naamã: “Porventura eu sou Deus, capaz de fazer morrer e de fazer viver, para que aquele homem me envie alguém para ser por mim curado?” Nestas palavras estão uma chave para nós e também para a leitura do Evangelho: Só Deus é capaz de dar a vida; só Ele é capaz de nos ajudar a fazer morrer o que nos tira a vida. Saborear estas palavras e deixar que toquem, que joguem luz sobre as nossas buscas.

Jesus no Evangelho se coloca como “um profeta” e evoca as figuras dos dois grandes profetas, Eliseu e Elias. Mas Ele é muito mais. É o Filho de Deus, aquele no qual o Pai se manifesta inteiramente. E o povo não o acolheu. E nós, o acolhemos? É a Ele que nosso coração anseia. Mas é a Ele que temos ido nas nossas carências?

O segundo erro de Naamã foi o orgulho. Eliseu mandou-lhe apenas banhar-se no Jordão. Mas ele se revoltou, por ter saído de tão longe para tão pouco. No entanto, deixou-se amolecer pelos conselhos de seus servos: “Meu pai, se o profeta te houvesse ordenado fazer algo extraordinário, não o terias feito? Quanto mais que ele te disse apenas: ‘Lava-te e serás purificado’”. Será que ficamos esperando algo extraordinário da vida, do amor, por este algo esperado sentimo-nos capazes também de fazer o extraordinário, e não enxergamos no simples diante dos nossos olhos o chamado de Deus?

Jesus era apenas o “carpinteiro”, era alguém tão próximo, ali, do meio deles, que não lhes deram crédito. Ao contrário, quiseram tirar-lhe a vida, como chegaram a fazer. No entanto, quem o acolheu experimentou o “milagre”. O milagre não está no extraordinário, mas no encontro com o amor que gera a vida em nós, e faz com que ela transborde de nós para outros.

Vamos pedir ao Senhor que nos dê olhos para ver, e abertura de coração para acolhê-lo como se manifesta, no mais cotidiano, no menor dos irmãos ao nosso lado, nos pequenos chamados do dia a dia que tantas vezes nos passam batidos! Que Maria nos ensine, ela, a discípula de seu Filho, aquela que sabia unir o disperso em seu coração.

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2014/e-ele-quem-faz-viver-lucas-4-24-30/

Fonte: http://diariodepositividade.blogspot.com.br/2014/03/evangelho-do-dia-lc-424-30-e-jesus-nao.html

ORAÇÃO

Espírito de docilidade, abre meu coração para aceitar o convite à conversão, que Jesus me dirige, em nome do Pai. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/03/homilia-comentario-e-reflexao-do_3.html

Corpus Christi, o sacramento da vida, da nossa comunhão com Deus

Jo 6,51-58
Naquele tempo, disse Jesus às multidões dos judeus: “Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo”. Os judeus discutiam entre si, dizendo: “Como é que ele pode dar a sua carne a comer?” Então Jesus disse: “Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue, verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo por causa do Pai, assim aquele que me recebe como alimento viverá por causa de mim. Este é o pão que desceu do céu. Não é como aquele que os vossos pais comeram. Eles morreram. Aquele que come este pão viverá para sempre”.

Reflexão: Hoje, a Igreja nos dá a graça de celebrarmos a Solenidade de Corpus Christi, o Corpo e o Sangue do Senhor. É Jesus quem nos dá o Seu Corpo como alimento, e o Seu Sangue como bebida para nos lavar e purificar, mas, acima de tudo, para vivermos na comunhão com Ele.

Quando olhamos a vida de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, vemos que é uma vida de comunhão com Seu Pai, pois Jesus veio para o meio de nós restabelecer a nossa comunhão com Deus; e para isso Ele nos deu Sua vida, no sentido mais extremo dela. Ele não nos negou nada, deu-nos o Seu Corpo e Sangue como nosso alimento e nossa bebida. Jesus mesmo está dizendo que quem come a Sua Carne e bebe o Seu Sangue permanece em comunhão com Ele.

Ele permanece conosco quando nos alimentamos d’Ele. E alimentar-se de Jesus é assumir os Seus pensamentos e sentimentos, a Sua vida em nós. Não é simplesmente irmos à Celebração Eucarística, recebermos a comunhão e esperarmos que a comunhão exerça algo mágico em nós. A comunhão é um verdadeiro milagre, a Eucaristia é o milagre mais sublime!

A festa que nós dedicamos, hoje, para celebrar o Corpo do Senhor é uma festa de ação de graças e reconhecimentos. Quando as pessoas vão às ruas para enfeitá-las, fazendo procissões em todos os lugares do mundo, são maneiras de dizer “obrigado”. É uma gratidão profunda por Deus, que vem da alma humana de forma tão sublime.

A Eucaristia é sacramento de amor por excelência, é Deus quem está nos amando de forma tão extrema e única, de forma tão sublime, que Ele nos dá Seu Corpo e Seu Sangue. Que respeito devemos ter para com Deus? Que veneração, que amor nós devemos ter e nutrir para com a Eucaristia? O sacramento da vida, da nossa comunhão com Deus, é o sacramento que restabelece e nos coloca em união com Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Hoje, no nosso coração, mais do que nunca, devemos dizer glórias e louvores a todo momento, ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento da Eucaristia, onde Jesus nos resgata, salva-nos e coloca-nos em plena comunhão de amor com Ele.

Louvado e adorado seja Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento do Altar!

Fonte:  https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://www.parroquiabinefar.org/lumen-gentium-lg/

ORAÇÃO

OH, Deus de bondade, Jesus deu a maior prova de amor,
Doou a sua vida por toda a humanidade,
Amou até a morte de cruz.
Animados pelo mesmo Espírito de amor,
Possamos continuar a sua missão.
Isso te pedimos em nome dele, Jesus Cristo, Nosso Senhor. Amém!

Fonte: https://pt.slideshare.net/mobile/mariabernadete/livreto-pscoa-2013