O tesouro que acumulamos no Céu é o amor que depositamos no coração de Deus

Mt 6,19-23
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e os ladrões assaltam e roubam. Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, nem os ladrões assaltam e roubam. Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado. Se o teu olho está doente, todo o corpo ficará na escuridão. Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão.

Reflexão: Não podemos deixar que o tesouro do nosso coração esteja preso às coisas da Terra, porque essa é a tendência da vida, é olharmos para ela como se fosse aqui e agora. A qualidade de vida para algumas pessoas é o dinheiro que elas acumulam, são os bens que elas têm e a rentabilidade financeira que move a sua vida, de modo que, quando uma dessas três coisas não estão bem, muitas vezes, o coração não está bem, a vida não está bem. É um tremendo engano e uma tremenda ilusão.

A verdade é que se olharmos para as pessoas que têm muito dinheiro, elas estão sofrendo para ter o muito dinheiro que têm, para guardar o muito dinheiro que acumularam. É a preocupação com segurança e em fazer render mais o que têm.

É bom trabalhar honestamente para conseguir melhorar de vida, para ter o que é preciso para uma vida digna, saudável, que é bom para todos. O problema é onde está o seu coração, pois onde ele estiver, ali estará o seu tesouro. Se o seu coração está preso aos bens deste mundo, aos tesouros que você acumula, ali seu coração vai estar preso, e o coração preso a este mundo não consegue absorver as coisas do Céu.

Com os pés no chão, trabalhando para ter uma vida digna, correta, ajustada, pagando as contas, podendo ter só o que precisa, mas com o coração em Deus, no Alto, acumulando o verdadeiro tesouro que traça, ferrugem nem ladrão poderão nos roubar.

Nenhum ladrão pode tirar a alegria do coração de quem é de Deus, nenhuma perda desse mundo tem comparação com o tesouro que acumulamos no Céu. Acumular tesouros no Céu não é transpor realidades materiais nem mundanas para lá. Às vezes, alguém diz: “O dinheiro que eu deposito na igreja é ponto que vou acumular no Céu”. Não nos deixemos iludir nem nos enganar por essa retórica pervertida!

O tesouro que nós acumulamos no Céu é o amor que depositamos no coração de Deus, é o amor que temos para as coisas d’Ele e para com o nosso próximo, é o bem que praticamos, a generosidade do nosso coração, a caridade da nossa alma, a misericórdia nas nossas atitudes. O tesouro que acumulamos no Céu é o perdão que oferecemos, sem medida, ao próximo.

Acumular tesouros no Céu é viver a reconciliação com os nossos irmãos, com o mundo em que vivemos. Onde promovemos a paz e o bem não promovemos a guerra, a disputa nem a competição por causa dos bens materiais.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

tesouroFonte:http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mt-619-23-4/

ORAÇÃO

Senhor Jesus, Tu que és a minha maior riqueza, não permitas que eu me perca na busca de coisas materiais. Que minha inteligência, dom da Tua infinita sabedoria, me faça ter o discernimento suficiente para não confundir as riquezas eternas com as efêmeras riquezas da terra. Concede-me a graça, Jesus, de juntar muitos tesouros no céu. Amém!

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-mateus-619-23/

Anúncios

Um dos meios de melhor chegar ao perdão é tentar compreender melhor o outro

Mt 5, 43-48
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos. Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito.’

Reflexão: Este texto do Evangelho é de uma clareza impressionante. A dificuldade não está na compreensão, mas sim em se conseguir obedecer a orientação dada por Jesus. Consideramos fácil amar quem nos ama, mas amar quem está nos perseguindo e tentando prejudicar sistematicamente é outra coisa. Porém apesar dessas preocupações persistentes, podemos ver que o mandamento de Jesus em amar os nossos inimigos é um desafio que precisamos enfrentar com urgência.

Jesus sabia que não são fáceis as transformações morais por Ele ensinadas aos homens. Com certeza compreendia as dificuldades práticas da orientação: “amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”. Mas também sabia que o cumprimento desse mandamento, longe de ser utopia, é a chave para a solução de muitos dos nossos problemas. A grande luta desafiante consiste em descobrir o significado deste ensinamento, ao tempo em que procuremos vivê-lo, de forma apaixonada, em toda a nossa vida.

A pergunta prática que devemos fazer é: “Como começar uma ação de amar os inimigos”? A resposta é: “Exercendo o perdão”. Não tem outro caminho além deste, pois é impossível chegarmos a amar, se também não chegarmos a perdoar. E não pensemos que a busca do perdão trará esquecimento do mal recebido – a expressão: perdoo mais não esqueço, não pode ser mudada – pois o fato em si está gravado na memória, e não podemos apagá-lo, mesmo que queiramos. Para facilitar esse processo podemos encontrar meios de melhor chegar ao perdão, e um deles é tentar compreender melhor o outro.

Nesta busca de compreensão do outro, temos que ter em mente que o mal que nos possa ter causado, isto é, o que provocou nossa mágoa, nunca exprime o real ser da pessoa que causou. É sempre possível encontrar bondade no outro. Olhemos para nós próprios e perceberemos isto. Temos nossas maldades, e por isso precisamos da compreensão e do perdão, mas também temos nossas coisas boas. Estamos constantemente nessa batalha. O próprio São Paulo já dizia, conforme Rm 7,15: “Realmente não consigo entender o que faço; pois não pratico o que quero, mas faço o que detesto”. Olhando por esses prismas tentemos dar os primeiros passos, buscando amar e orar pelos que nos possam ter magoado.

Fonte: http://www.rosario.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=657:mateus-543-48-332&catid=45:biblia-comentada&Itemid=187

ORAÇÃO

Jesus Mestre Verdade, Caminho e Vida

Jesus Mestre, santificai minha mente e aumentai minha fé.

Jesus, Mestre vivo na Igreja, atraí todos à vossa escola.

Jesus Mestre, libertai-me do erro, dos pensamentos inúteis

e das trevas eternas.

Jesus Mestre, caminho entre o Pai e nós,

tudo vos ofereço e de vós tudo espero.

Jesus, caminho da santidade,

tornai-me vosso fiel seguidor.

Jesus caminho, tornai-me perfeito

como o Pai que está nos céus.

Jesus vida, vivei em mim, para que eu viva em vós.

Jesus vida, não permitais que eu me separe de vós.

Jesus vida, fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.

Jesus verdade, que eu seja luz para o mundo.

Jesus caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante dos homens.

Jesus vida, fazei que minha presença

contagie a todos com o vosso amor e a vossa alegria.

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com/2013/06/mt-543-48-o-pai-faz-nascer-o-sol-para.html

O Reino dos céus é a Palavra de Deus agindo em nós

Mt 10,7-13
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar! Não leveis ouro nem prata nem dinheiro nos vossos cintos; nem sacola para o caminho, nem duas túnicas nem sandálias nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento. Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida. Ao entrardes numa casa, saudai-a. Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz”.

Reflexão: O Espírito Santo é o amor que recebemos do Senhor. Ele é um dom gratuito, incondicional e poderoso para nos curar e nos libertar. É com este amor que nós também poderemos sair pelo mundo afora anunciando que “o reino dos céus está próximo”. As graças que recebemos por meio do Espírito Santo nos levam a um estado de espírito em que a paz que usufruímos são os sinais da justiça que praticamos. “Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos e expulsai os demônios”. É esta a nossa incumbência! Mas para que possamos desempenhá-la, precisamos, nós mesmos (as), nos sentirmos curados (as), ressuscitados (as), purificados (as) e livres de todas as artimanhas do inimigo. Deus quer dar a todos os Seus filhos uma qualidade de vida digna, porque somos criados à Sua Imagem e semelhança e nos chama a sair da nossa redoma para anunciar ao mundo que o reino dos céus é Jesus e que Ele está no meio de nós. A alegria, a felicidade e o perdão, são atributos do reino dos céus que estão dentro do nosso coração e, que, por isso, devemos levar ao mundo. Recebemos de graça, de graça devemos dar, é nosso dever, é nosso chamado e nossa missão. Porém, Ele nos recomenda que na nossa caminhada não levemos nada do que o mundo considera importante, mas tão somente os dons que Dele recebemos, de graça. Assim fazendo nós estaremos livres dos nossos achismos, dos nossos apegos, das nossas ideias desvirtuadas pelo pecado e poderemos anunciar o reino dos céus que é a Palavra de Deus agindo em nós. – O que você tem anunciado no caminho da sua vida? – Você conversa com seus amigos sobre o que vê e ouve na TV, na Internet? – Por que você não anuncia também o Evangelho? – Você tem acolhido no coração as delicadezas de Deus para a sua vida ou tem deixado passar pensando que é mérito seu?

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mt-107-13-4/

Fonte: https://manuroma86.wordpress.com/2015/06/10/mt-107-13-gratuitamente-avete-ricevuto-gratuitamente-date/

ORAÇÃO

Pai Santo, teu Filho fez de nós seus discípulos missionários. Dá-nos sabedoria, força e coragem para segui-lo, convertendo-nos e nos tornando mensageiros do teu Reino de Amor, que Ele trouxe para que o anunciemos ao mundo com o testemunho de nossa vida. Pelo mesmo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2018/06/homilia-diaria-comentario-e-reflexao-do_11.html

Muita coisa não muda em nossa vida, porque não deixamos Deus cuidar

Mc 11,11-26
Tendo sido aclamado pela multidão, Jesus entrou, no Templo, em Jerusalém, e observou tudo. Mas, como já era tarde, saiu para Betânia com os doze. No dia seguinte, quando saíam de Betânia, Jesus teve fome. De longe, ele viu uma figueira coberta de folhas e foi até lá ver se encontrava algum fruto. Quando chegou perto, encontrou somente folhas, pois não era tempo de figos. Então Jesus disse à figueira: “Que ninguém mais coma de teus frutos”. E os discípulos escutaram o que ele disse.

Chegaram a Jerusalém. Jesus entrou no Templo e começou a expulsar os que vendiam e os que compravam no Templo. Derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos vendedores de pombas. Ele não deixava ninguém carregar nada através do Templo. E ensinava o povo, dizendo: “Não está escrito: ‘Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos?’ No entanto, vós fizestes dela uma toca de ladrões”. Os sumos sacerdotes e os mestres da Lei ouviram isso e começaram a procurar uma maneira de o matar. Mas tinham medo de Jesus, porque a multidão estava maravilhada com o ensinamento dele. Ao entardecer, Jesus e os discípulos saíram da cidade. Na manhã seguinte, quando passavam, Jesus e os discípulos viram que a figueira tinha secado até a raiz. Pedro lembrou-se e disse a Jesus: “Olha, Mestre: a figueira que amaldiçoaste secou”. Jesus lhes disse: “Tende fé em Deus. Em verdade vos digo, se alguém disser a esta montanha: ‘Levanta-te e atira-te no mar’, e não duvidar no seu coração, mas acreditar que isso vai acontecer, assim acontecerá. Por isso vos digo, tudo o que pedirdes na oração, acreditai que já o recebestes, e assim será. Quando estiverdes rezando, perdoai tudo o que tiverdes contra alguém, para que vosso Pai que está nos céus também perdoe os vossos pecados”.

Reflexão: Jesus, no Evangelho de hoje, dá conselhos fundamentais e importantes para a nossa vida. Quero me deter em dois deles. O primeiro é a confiança na oração, a fé que precisamos ter quando nos dirigimos a Deus, quando elevamos o nosso coração a Ele.A oração acontece, primeiro, dentro do nosso coração, mas esperamos sempre resultados externos da oração. Nessa ocasião está o verdadeiro engano, pois a oração alcança, primeiro, o coração, que entra na comunhão e na sintonia com Deus.

Muitas vezes, rezamos, porque estamos passando por aflições, medos, receios, dúvidas e intranquilidades, as quais invadem a nossa alma. Quando nos colocamos, verdadeiramente, em espírito de oração, Deus tira as trevas que estão dentro de nós. Essa é a confiança que devemos ter, porque o coração está tenso, perturbado, inquieto, com medo do fracasso, da derrota, medo de não dar conta e não acontecer.

Na oração, vem a convicção mais profunda que precisamos: tudo está nas mãos de Deus, já não somos mais nós que cuidamos, é Deus que cuida daquilo que confiamos a Ele. Por isso, tudo o que pedirmos, na oração, tenhamos a convicção de que assim será cuidado por Deus, estará nas mãos d’Ele.

Muita coisa não muda em nossa vida, porque não deixamos Deus cuidar. Queremos orações mágicas, mas esta é a elevação da alma ao coração de Deus, é o encontro de corações, é o encontro do Deus amor, Deus bondade e ternura, que cuida do nosso coração aflito, tenso, preocupado e perturbado. Na oração, confiamos que o Senhor está cuidando de nós!

A segunda coisa importantíssima quando estivermos rezando é perdoar tudo que temos contra alguém. Essa é a segunda grande graça da oração, porque nós sempre temos alguma coisa contra o outro, sempre ficamos chateados, revoltados, magoados, aflitos, porque alguém nos machucou, feriu.

Quando o bálsamo do perdão invade nossa alma, experimentamos a paz mais profunda que nada neste mundo pode nos dar ou fazer alcançar. Por isso, a oração é verdadeira quando experimentamos a confiança e o abandono em Deus, quando tiramos as amarras do ressentimento, da mágoa e do ódio que estão em nós pela força do perdão.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com/homilia/oracao-e-elevacao-da-alma-ao-coracao-de-deus/?sDia=1&sMes=06&sAno=2018

ORAÇÃO

“Jesus, Mestre:

que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria.

Que eu ame com o teu coração.

Que eu veja com os teus olhos.

Que eu fale com a tua língua.

Que eu ouça com os teus ouvidos.

Que as minhas mãos sejam as tuas.

Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.

Que eu reze com as tuas orações.

Que eu celebre como tu te imolaste.

Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém”.

Fonte:http://www.catequisar.com.br/texto/ev/2010/maio/28.htm

Quanto mais nos alimentarmos de Jesus, mais nos pareceremos com Ele e mais seremos reconhecidos pelo Pai

Mc 14,12-16.22-26
No primeiro dia dos Ázimos, quando se imolava o cordeiro pascal, os discípulos disseram a Jesus: “Onde queres que façamos os preparativos para comeres a Páscoa?” Jesus enviou então dois dos seus discípulos e lhes disse: “Ide à cidade. Um homem carregando um jarro de água virá ao vosso encontro. Segui-o e dizei ao dono da casa em que ele entrar: ‘O Mestre manda dizer: onde está a sala em que vou comer a Páscoa com os meus discípulos?’ Então ele vos mostrará, no andar de cima, uma grande sala, arrumada com almofadas. Aí fareis os preparativos para nós!” Os discípulos saíram e foram à cidade. Encontraram tudo como Jesus havia dito, e prepararam a Páscoa. Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, tendo pronunciado a bênção, partiu-o e entregou-lhes, dizendo: “Tomai, isto é o meu corpo”. Em seguida, tomou o cálice, deu graças, entregou-lhes, e todos beberam dele. Jesus lhes disse: “Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos. Em verdade vos digo, não beberei mais do fruto da videira, até o dia em que beberei o vinho novo no Reino de Deus”. Depois de ter cantado o hino, foram para o monte das Oliveiras.

Reflexão:  No Oriente antigo, o sangue simbolizava a totalidade da vida de um ser, animal ou humano. Por isso, quando o sangue de um animal era oferecido a Deus, na verdade o que se ofertava era a vida da pessoa que fazia a oferenda.
O termo sacrifício significa “tornar sagrado”; portanto, quando o sacerdote colocava o sangue do animal sobre o altar, a vida da pessoa ofertante é que se tornava sagrada, ou seja, consagrada a Deus. A ideia de “Sacrifício” não tinha a atual conotação de “realização de algo difícil ou penoso”, mas de santificação ou sacralização da vida.
Antes de derramar o sangue na cruz, Jesus fez de sua vida uma oferta a Deus e à humanidade. Por isso ele antecipa, no gesto profético da última ceia, o que se dará no momento culminante do dom de si mesmo, a morte na cruz. É por causa de uma vida inteira ofertada, a Deus e ao outro, que a morte de Jesus, cume dessa oferta, pode ser chamada de sacrifício. A vida inteira de Jesus é sacrifício, é uma vida consagrada, santificada. Jesus oferta a própria vida como nosso representante.
Sua obediência e fé integral nos substituem, já que não conseguimos ser obedientes e fiéis da mesma forma. Sua vida humana sem pecados nos liberta do pecado, sua ressurreição nos liberta da morte. Em tudo isso Jesus nos representa e nos substitui. Cessam daqui por diante os antigos sacrifícios de animais. O sangue, a vida ofertada da nova aliança é o que vigora doravante.
As palavras do Senhor: “Isto é o meu corpo… isto é o meu sangue”, “tomai e comei… tomai e bebei”, deveriam nos recordar de que nos compete assimilar em nossa vida as características da vida de Jesus.
Dessa forma, no Corpo e Sangue de Cristo vive e cresce a Igreja, com os fiéis continuamente se alimentando de amor, de fidelidade, de doação ao outro, de perdão e de todos os aspectos de vida de Jesus.

O Corpo e sangue de Cristo são centro e sustentáculo da vida cristã. Por isso, quem deles se alimenta há que aceitar participar da doação de vida realizada por Cristo, em adesão à vontade do Pai e em doação ao próximo. Assim, por meio da Eucaristia, os fiéis vivem o mistério da vida, morte e ressurreição de Cristo, celebrando agora a comunhão sem fim na glória eterna.
Fonte: http://cristaocomapalavra.blogspot.com/2015/06/solenidade-do-santissimo-corpo-e-sangue.html

Fonte: http://navegarmaradentro12.blogspot.com/2015/06/evangelio-segun-san-marcos-1412-1622-26.html

ORAÇÃO

Senhor Jesus, possa a Eucaristia recordar-me sempre que pertenço ao povo redimido por ti e a caminho da casa do Pai. Amém!

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/corpus-christi-mc-1412-16-22-26/?future=all

O Senhor nos chama para exalar no mundo o perfume do Seu Amor

Jo 12,1-11
Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde morava Lázaro, que ele havia ressuscitado dos mortos. Ali ofereceram a Jesus um jantar; Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Maria, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa inteira ficou cheia do perfume do bálsamo. Então, falou Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar: “Por que não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para dá-las aos pobres?” Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela. Jesus, porém, disse: “Deixa-a; ela fez isto em vista do dia da minha sepultura. Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis”. Muitos judeus, tendo sabido que Jesus estava em Betânia, foram para lá, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Jesus ressuscitara dos mortos. Então, os sumos sacerdotes decidiram matar também Lázaro, porque por causa dele, muitos deixavam os judeus e acreditavam em Jesus.

Reflexão: Maria, que antes sentara aos pés do Mestre para ouvi-Lo e vira seu irmão Lázaro ser ressuscitado por Jesus, nos dá, agora, uma demonstração de amor e gratidão ao derramar o seu perfume precioso e caríssimo nos pés de Jesus e enxugá-los com seus cabelos. A gratidão significa o nosso reconhecimento de tudo que o Senhor tem realizado em nós e no nosso meio. Foi a gratidão que levou Maria a oferecer a Jesus o que de mais valioso ela possuía. Assim fazendo ela entregava a Ele o que tinha de melhor, a sua vida, e com ela todo o seu amor. Jesus sabia que estava prestes a ser entregue e que vivia os seus últimos momentos aqui na terra e já se despedia dos seus amigos, por isso, aceitou de bom grado aquele presente mesmo sob o protesto de Judas que querendo confundir os outros falava da necessidade de pessoas pobres. Jesus soube argumentar: “pobres, sempre terei convosco, mas a mim nem sempre me tereis”. Neste Evangelho nós aprendemos com Maria e com Jesus. Com Maria nós apreendemos que a vida atual aqui na terra é o momento favorável para que também façamos a oferta de tudo quanto temos de precioso: o perfume da nossa oração, da nossa adoração, mas também dos nossos atos concretos de amor, de despojamento. O Senhor nos chama para exalar no mundo o perfume do Seu Amor! Por isso, Ele nos ensina a perceber os sinais de misericórdia que Deus nos dá quando estamos nos momentos decisivos da nossa vida e a aceitar os presentes e as dádivas que vêm do céu por meio das pessoas que nos oferecem algo precioso. Com certeza, o gesto de Maria foi para Jesus como o perdão que damos a quem nos ofende, a reconciliação que promovemos na nossa família, a compreensão que temos com os erros dos nossos irmãos, o tempo que dedicamos às causas justas. Assim, portanto, nós ainda temos oportunidade de também derramar aos pés de Jesus o que temos de tão precioso, o tempo em que vivemos para demonstrar a alguém a nossa gratidão, perdão e reconciliação, enfim, o perfume do nosso amor. – Como você tem aproveitado o tempo que está vivendo? – A quem você tem se dedicado?– Você tem cuidado somente das suas “coisinhas” ou tem tido interesse pela vida de alguém mais? – Você tem oferecido a Deus o momento presente da sua vida? – Você se preocupa com os pobres? – Como você poderá exalar no mundo o perfume do Amor de Deus? Pense nisto!

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-jo-121-11-4/

A gratidão é o único...

Fonte: https://www.frasesparaface.com.br/a-gratidao-e-o-unico-tesouro-dos-humildes/

ORAÇÃO

Senhor Jesus, perfume excelente que perfuma o mundo, perfuma-me com Tua graça, com Teu amor! Com alegria Te peço: vem visitar minha casa, trazendo a bênção da ressurreição para todos os membros da minha família. Quero oferecer-Te, com grandiosidade de alma, o presente mais precioso: o perfume das retas intenções, da honestidade e da justiça. Ajuda-me a colocar a vida a serviço do Teu projeto maior. Dá-me a capacidade de transformar a vida num constante servir-Te, na pessoa de cada irmão, de cada irmã que necessita das minhas qualidades, dos meus dons. Dilata, Jesus, meu coração, pela força do Teu amor. Peço-Te humildemente: Elimina da minha vida o odor fétido do pecado que me distancia de Ti. Concede-me o dom de ser bálsamo na vida das pessoas que convivem comigo. Amém!
Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-joao-121-11/

O fruto que a comunidade é chamada a produzir é o amor

Jo 12,20-33
Naquele tempo: Havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém, para adorar durante a festa.Aproximaram-se de Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e disseram: ‘Senhor, gostaríamos de ver Jesus.’ Filipe combinou com André, e os dois foram falar com Jesus. Jesus respondeu-lhes: ‘Chegou a horaem que o Filho do Homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre,ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. Agora sinto-me angustiado. E que direi? `Pai, livra-me desta hora!’? Mas foi precisamente para esta hora que eu vim.Pai, glorifica o teu nome!’ Então, veio uma voz do céu: ‘Eu o glorifiquei e o glorificarei de novo!’ a multidão que lá estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão. Outros afirmavam: ‘Foi um anjo que falou com ele.’ Jesus respondeu e disse: ‘Esta voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, e eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim.’ Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer.

Reflexão : Se o grão de trigo quer dar fruto, é preciso que ele passe pela terra onde vai apodrecer, mas o seu percurso não pára aí, o fruto brotará. Jesus quer dar a vida, Ele escolhe passar pela morte, dando então a maior prova de amor. Mas a sua missão não pára aí, a vida brotará: a sua própria vida é a ressurreição; e a vida da humanidade é a salvação. “Não era necessário que Cristo sofresse tudo isto para entrar na sua glória?”, dirá Ele aos discípulos no caminho de Emaús. Se queremos que os outros vivam, é preciso que passemos por um certo número de renúncias, de esquecimentos de nós próprios, e isto através do serviço, do acolhimento, do perdão. Mas a nossa relação com os outros não pára aí, a alegria brota nos rostos e no nosso próprio rosto. A morte é uma passagem obrigatória para aquele que ama e quer amar até ao fim.
Fonte: http://www.paroquiadivino.org.br/index.php/se-a-semente-que-cai-na-terra-nao-morrer-jo-1220-33/

29

Fonte: http://franciscanos.org.br/?p=107370

ORAÇÃO

Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus e buscar, em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.
Fonte:http://liturgia.catequisar.com.br/senhor-queremos-ver-jesus-jo-1220-33/