Somos seletivos até para amar

Lucas 10,25-37
Naquele tempo, um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?”Jesus lhe disse: “Que está escrito na Lei? Como lês?” Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e a teu próximo como a ti mesmo!”Jesus lhe disse: “Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”. Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?”Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora deixando-o quase morto.Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.Mas um samaritano que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: “Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais”.E Jesus perguntou: “Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.

Reflexão: Uma das passagens mais belas das Sagradas Escrituras nos ensinam, de forma muito bela e, ao mesmo tempo, com uma reflexão muito profunda quem é o nosso próximo. São três pessoas religiosas, sejam eles os sacerdotes, os levitas ou os samaritanos e, diante desses três, um homem está caído à beira do caminho; ele foi assaltado, roubado e tido como morto à beira da estrada.

Cada um tinha suas ocupações e preocupações; e quando estamos ocupados e preocupados com a nossa vida, não temos tempo para quem está caído, para quem está prostrado, com problemas e dificuldades. Até quando estamos ocupados com as coisas de Deus, com as reuniões, os trabalhos e aquilo que devemos fazer, não temos tempo de nos ocupar com os que estão caídos à beira da estrada.

É incontável a multidão que está caída à beira da estrada. São jovens que estão prostrados por causa das drogas, são pessoas que estão caídas e prostradas por causa da depressão e por tantas enfermidades emocionais, são muitos dos nossos que estão doentes e enfermos nos leitos dos hospitais, em nossas casas e famílias.

Não podemos negar a grande quantidade de indigentes e famintos, pessoas que não têm o que comer, onde dormir e estão passando as mais diversas necessidades que um ser humano pode suportar. O que fazer? A humanidade está carente de bons samaritanos. Todo cristão deveria ser um bom samaritano, mas, muitas vezes, o nosso ser cristão está mais para o levita e o sacerdote do Evangelho de hoje. Demasiadamente ocupados com as nossas coisas, não temos tempo para cuidar dos próximos de nós e nem dos próximos que estão à beira do caminho.

Somos seletivos até para amar, amamos quem queremos e não amamos quem o Evangelho nos ordena amar. É preciso refletir sobre o Evangelho que escolhemos viver ou o Evangelho que pretendemos viver.

Quem é o nosso próximo? É aquele que usamos de misericórdia para com ele. Em um mundo cercado de misérias como o nosso, estamos ficando mais miseráveis do que o mundo, porque não sabemos usar de misericórdia para com o nosso próximo. Que o Senhor nos converta!

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

 

irmao

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2014/quem-e-o-meu-proximo-lucas-10-25-37/

ORAÇÃO

Espírito Santo peço que ilumine o nosso olhar e assim possamos enxergar o nosso próximo e nos aproximarmos.
Amém!

Fonte: http://www.lectionautas.com.br/2014/quem-e-o-meu-proximo-lucas-10-25-37/

Anúncios

O tempo é forte, é tempo de perdão e de reconciliação

Reflexão: O evangelho oferece uma oportunidade diária de reflexão. Ele trás para o balcão da análise, situações do nosso cotidiano (pensamentos, ações e reações) para serem revistas: Será que a atitude ou resposta que tive foi a mais cabível para aquele momento? Será que magoei mais do que ensinei? Ajudei as pessoas a crescer ou minha crítica, minha postura, meu jeito mais afastou do que juntou?
A CONVICÇÃO que temos sobre algo é um dos produtos da reflexão ou análise. Ela promove nossa auto-estima, eleva nossa motivação, revigora nossa vontade de continuar, mas não podemos esquecer que o ARREPENDIMENTO também pode nascer dessa mesma reflexão.
A mesma convicção que nos oferece um upgrade, por vezes anda lado a lado com o orgulho. Quantas pessoas que mesmo identificando que suas atitudes são erradas ou pelo menos equivocadas, escondem esse fruto chamado arrependimento? Quantos por vaidade levaram até o último instante de vida o orgulho de não se desculpar? “(…) Vocês são daqui debaixo, e eu sou lá de cima. Vocês são deste mundo, mas eu não sou deste mundo. Por isso eu disse que vocês vão morrer sem o perdão dos seus pecados”.
Que mérito tem alguém que não consegue reconhecer suas próprias falhas? Será que existe alguma vantagem em carregá-las até o fim?
Ainda vemos pessoas que insistem em relutar as mudanças e as correções (às vezes somos nós mesmos). Muitas vezes em virtude da criação que receberam, mas uma boa parcela é por medo ou insegurança. Agarram-se a frases fortes do tipo “NÃO ME ARREPENDO DE NADA QUE FIZ OU FAÇO” ou tentam transformar a situação a “seu” favor. Quem nunca deparou com alguém, ou até a si próprio, que ao ser corrigido tirou do bolso uma resposta ou sugestão, mudando assim o foco da conversa e fugindo de aceitar o próprio erro?
Somos amados por Deus e ninguém esta apto a nos condenar, por que então temo em dar frutos, crescer, mudar (…)? O orgulho nos condena ao ostracismo, um buraco onde só Deus pode nos encontrar. Prefiro o isolamento do que a graça?
Não deixemos para o último dia o que pode ser feito ainda hoje! Perdoe! Releve! Peça desculpas! Desarme-se às correções que recebemos e receberemos! Quantas famílias se empenham em celebrar missas e missas pelo perdão póstumo de quem nunca quis se arrepender em vida? Não seja mais um!
Se por ventura chegou a conclusão que não consegue ou que é muito difícil, creia, você não esta sozinho! Dê o primeiro passo! “(…) Quem me enviou está comigo e não me deixou sozinho, pois faço sempre o que lhe agrada”.

fonte: http://deusemaior.com.br/2012/03/27/evangelho-de-hoje-27032012-joao-821-30/
Jo 8,21-30
Jesus disse outra vez: – Eu vou embora, e vocês vão me procurar, porém morrerão sem o perdão dos seus pecados. Para onde eu vou vocês não podem ir. Os líderes judeus disseram: – Ele diz que nós não podemos ir para onde ele vai! Será que ele vai se matar? Jesus continuou: – Vocês são daqui debaixo, e eu sou lá de cima. Vocês são deste mundo, mas eu não sou deste mundo. Por isso eu disse que vocês vão morrer sem o perdão dos seus pecados. De fato, morrerão sem o perdão dos seus pecados se não crerem que “EU SOU QUEM SOU”.
– Quem é você? – perguntaram a Jesus. Ele respondeu: – Desde o começo eu disse quem sou. Existem muitas coisas a respeito de vocês das quais eu preciso falar e as quais eu preciso julgar. Porém quem me enviou é verdadeiro, e eu digo ao mundo somente o que ele me disse.
Eles não entenderam que ele estava falando a respeito do Pai. Por isso Jesus disse: – Quando vocês levantarem o Filho do Homem, saberão que “EU SOU QUEM SOU”. E saberão também que não faço nada por minha conta, mas falo somente o que o meu Pai me ensinou. Quem me enviou está comigo e não me deixou sozinho, pois faço sempre o que lhe agrada. Quando Jesus disse isso, muitos creram nele.

imagem fonte: http://blogoblatasbrasil.blogspot.com.br/2014/04/evangelho-do-dia-quinta-semana-da_8.html

ORAÇÃO

Pai Santo, o Mistério da Encarnação de teu Filho Unigênito transcende infinitamente a nossa capacidade de compreendê-lo. Mas a humanidade de Jesus de Nazaré nos encoraja a amá-lo, mesmo assim, e a tentar segui-lo pelos caminhos desta terra abençoada, rumo à Pátria Celeste. Dá-nos sabedoria e coragem para prosseguir a jornada!

fonte: http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

Muitas Bençãos em 2016

Caro leitor,

Olá, queremos agradecer a sua visita este ano em nosso blog, espero que as suas gotinhas de oração e reflexão estejam somadas às gotinhas de oração e reflexão de tantos irmãos mundo afora, para assim formarmos um oceano de oração e reflexão. Desejamos um ABENÇOADO 2016 e que possa nos ajudar a divulgar nossas orações e reflexões para tantos que ainda não se abriram a uma intimidade com Deus. A Paz de Deus!

ORAÇÃO PARA TODOS OS DIAS DO NOVO ANO

imagem fonte: http://www.recadosface.com/gifs-animados/oracoes.html

 

 

Amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo

Lembre-se de Deus ao acordar, ao ir dormir, ao ir trabalhar e ao se alimentar. Isso não é fanatismo; é amor, é reverência, é adoração, é fazer de Deus a prioridade e a riqueza maior da nossa vida.

“Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento! Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22, 37-39).

O caminho da vida é este: observar os mandamentos da Lei do Senhor. E se os mandamentos são muitos, a vivência deles é muito sintética: colocar Deus em primeiro lugar. Isso não significa amá-Lo só com palavras e com algumas orações, mas sim com todo o nosso coração, com toda a nossa alma e com todo o nosso entendimento. É ter todo o nosso ser voltado para Deus com respeito, reverência, adoração, nos colocar na presença d’Ele, respeitar Suas palavras e nos alimentar de Sua Palavra.

No mundo de hoje, nós nos confundimos e somos confundidos com tantos valores que nos são apresentados de modo que fazemos a escala de valores de acordo com os interesses de cada um ou de acordo com o que o mundo nos vende.

Permita-me dizer ao seu coração: em qualquer escala de valores que você fizer para sua vida, em qualquer escala de prioridades, coloque sempre Deus em primeiro lugar. E na sua lista, não só sua lista escrita, mas na lista do seu coração, da sua cabeça e da sua alma, que o amor a Deus ocupe sempre a prioridade da sua vida. Lembre-se de Deus quando você acordar, quando for dormir, quando for trabalhar, quando for se alimentar. Isso não é fanatismo; é amor, é reverência, é adoração! Isso é fazer de Deus a riqueza maior da nossa vida.

Contudo, ninguém pode amar a Deus e se fechar no amor a Ele. “Eu vou à igreja e fico uma hora diante do Santíssimo Sacramento. Eu fico muitas horas rezando!”. Que bênção fazer isso! Fique muitas horas rezando e com a intensidade com que você ama a Deus ame também o seu próximo, ame também o seu irmão. O que nos leva para o céu não são somente as orações que fazemos, mas também a caridade que praticamos ao próximo: suportar os defeitos, as deficiências do próximo, saber exercer a hospitalidade, a caridade e cuidar dos mais sofridos e necessitados.

Amar a quem nos ama deve ser buscado, refletido e meditado dentro de nós em um grau de importância semelhante ao amor a Deus. É claro que, se somos iluminados e conduzidos por este amor divino, este amor vai nos dar luz, força, coragem e discernimento para amar o próximo como ele deve ser amado.

Que o amor de Deus seja a primazia da nossa vida!

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/que-o-amor-a-deus-tenha-prioridade-em-nosso-coracao/

Qual é o maior mandamento da Lei? – Mt 22,34-40

Os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus. Então se reuniram, e um deles, um doutor da Lei, perguntou-lhe, para experimentá-lo: “Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?”. Ele respondeu: “‘Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu entendimento!’ Esse é o maior e o primeiro mandamento. Ora, o segundo lhe é semelhante: ‘Amarás teu próximo como a ti mesmo’. Toda a Lei e os Profetas dependem desses dois mandamentos”.

imagem fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mateus-2234-40-4/

ORAÇÃO

Pai, grava no meu coração o mandamento do amor a ti e a meu semelhante, de modo que toda a minha ação encontre seu sentido nesta dupla fidelidade. Jesus Mestre, agradeço pelas luzes que me destes nesta meditação. Perdoai-me, pelos limites que me impediram de fazê-la melhor. Ofereço-vos a resolução que tomei e que espero viver, pela vossa graça. Amém!

Exercite sua fé na oração, na reflexão da palavra e no testemunho de sua vida

Mulher, grande é tua fé! – Mt 15,21-28

Partindo dali, Jesus foi para a região de Tiro e Sidônia. Uma mulher cananeia, vinda daquela região, pôs-se a gritar: “Senhor, filho de Davi, tem compaixão de mim: minha filha é cruelmente atormentada por um demônio!”. Ele não lhe respondeu palavra alguma. Seus discípulos aproximaram-se e lhe pediram: “Manda embora essa mulher, pois ela vem gritando atrás de nós”. Ele tomou a palavra: “Eu fui enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel”. Mas a mulher veio prostrar-se diante de Jesus e começou a implorar: “Senhor, socorre-me!”. Ele lhe disse: “Não fica bem tirar o pão dos filhos para jogá-lo aos cachorrinhos”. Ela insistiu: “É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos!” Diante disso, Jesus respondeu: “Mulher, grande é tua fé! Como queres, te seja feito!”. E a partir daquela hora, sua filha ficou curada.

Reflexão: Depois de Jesus ter andado a espalhar pela Galiléia junto dos seus a chegada do Reino dos Céus, ele decide ir para terra estrangeira, para a região de Tiro e Sidon que fica ao norte da Galiléia, no atual Líbano, uma terra estrangeira onde a maior parte das pessoas eram não-judias, ao contrário da Galiléia, onde quase todos eram judeus. Uma delas era esta mulher que foi ter com Jesus. Esta mulher, sem nome, Mateus diz que ela é cananéia: é uma mulher estrangeira.
Ela tinha uma filha endemoniada. A mãe não sabia mais o que fazer para livrar a pobre coitada daquele sofrimento. O demônio não deixava a menina em paz em nenhum momento. A mãe da menina aproveitou que Jesus estava por ali, chegou e gritou: “Jesus tenha pena de mim! Minha filha está horrivelmente dominada por um demônio!” Ela conhecia Jesus de nome e sabia que Ele era muito bom e tinha poder para mandar embora os demônios. A princípio, Jesus não falou nada nem fez nada. Também não parou de andar para dar atenção à mulher. Mas ela foi atrás dele gritando: “Jesus, tenha pena de mim!” Os amigos de Jesus entenderam o sofrimento daquela mãe e pediram para que o Senhor a mandasse embora. Jesus não mandou a mulher embora, mas fingiu que não iria atender o seu pedido. Para provar a fé daquela mulher, Ele disse que curava gente de seu país, e não gente de outro país. A mulher, porém, jogou-se aos pés de Jesus: “Senhor, ajuda-me!”. Jesus insiste em não querer envolver-se no caso de uma estrangeira: “Não está certo tirar o pão dos filhos, para jogá-lo aos cachorrinhos”. Ela, porém, apesar de reconhecer que não tem esse direito insiste na sua humilde “súplica”: “É verdade, Senhor, mas também os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa de seus donos”. Então, Jesus respondeu: “Mulher, grande é a tua fé! Seja feito como tu queres”. E, a partir daquela hora, a filha da cananéia ficou curada.A mulher cananéia é um modelo de súplica humilde. Mas Jesus se deixa vencer pela súplica de uma mãe angustiada. Não são os gritos da cananéia que o comovem, mas a perseverança da sua fé. Por ser pagã, ela não teria direito, mas a sua filha foi curada por pura graça. Jesus realiza um gesto soberano e profético, que anuncia o acesso dos pagãos (chamados de “cães”, pelos judeus) à salvação.

A insistência e ousadia da mulher cananéia, fez com que Jesus atendesse seu pedido e com isso provou para todos que em Deus não há diferença entre cultura, cor, raça, credo ou região. Uma grande lição para levarmos para nossas vidas é que precisamos ter uma fé teimosa, insistente, chata, daquelas que chega a incomodar, que não desanima nunca, que não se frustra. Pois assim, quando Deus provar a nossa fé, conseguiremos manter-nos firmes e fiéis. A perseverança da fé dessa mulher deve nortear também a tua. Insista que Jesus vai atender. A promessa é mesmo dele: Batei, e a porta se vos abrirá, buscai e achareis. Exercite sua fé na oração, na reflexão da palavra e no testemunho de sua vida.

Senhor, que eu seja mais sensível ao sofrimento dos pobres desta terra, do que aos “direitos adquiridos” dos sábios e entendidos! Que nas horas em que tu pareces não responder à minha súplica, eu persevere, confiando na tua misericórdia.

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/uma-fe-perseverante-mt-1521-28/

imagem fonte: https://www.youtube.com/watch?v=NRiruQo3hJI

ORAÇÃO

Salva-nos, Senhor nosso Deus, e congrega-nos dentre os gentios, para que louvemos o teu nome santo, e nos gloriemos no teu louvor.
Bendito seja o Senhor Deus de Israel, de eternidade em eternidade, e todo o povo diga: Amém. Louvai ao Senhor.
Salmos 106:47,48  fonte: https://www.bibliaonline.com.br/acf/sl/106

“Então Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras” (Lucas 24, 45)

“Sabem, meus irmãos, muitas vezes, abrimos a Palavra de Deus, a ouvimos e a achamos até bonita, contudo, toda leitura da Palavra de Deus deve nos levar a um encontro pessoal com Jesus. Do Antigo ao Novo Testamento, do Gênesis ao Apocalipse, em cada página da Sagrada Escritura, Cristo está presente, predito, anunciado, preparado, concretizado, realizando prodígios e milagres e ressuscitando a minha e a sua vida pelo poder da Sua Palavra!” (trecho da Homilia diária de 09/04/15 da Canção Nova). Leia na íntegra, no http://homilia.cancaonova.com/homilia/a-luz-de-cristo-ilumina-o-nosso-coracao-e-a-nossa-mente/

Oração antes da leitura da Bíblia

Ó Deus onipotente, Pai de amor e de bondade, vós nos destes a Bíblia Sagrada como luz para os nossos passos e força para as nossas fraquezas, alimento para nossa fé. No livro Sagrado nos ensinastes as Palavras de Vida Eterna.

Por isso, ó Pai, nossa família, nosso grupo está hoje em vossa presença para este compromisso filial.

Prometemos de todo o coração ter sempre a Bíblia em casa, tratando-a com todo respeito. Queremos ler a Bíblia em família, como alimento de cada dia, a força de nossa fé e vida.

Ela será a luz de nossa casa, afastando todo tipo de maldade, em nossa vida de amor e de paz.

Agradecemos vossa Palavra, que nos dá tamanha alegria.

Amém.

(Livraria Paulinas)

…”Os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus” (Lc 24,31)

No caminho para Emaús os dois discípulos de Jesus caminhavam entristecidos e sem nenhuma esperança, pois para eles as expectativas das promessas que poderiam mudar Israel caíram por terra, com a crucificação de Jesus. De repente encontraram Jesus nesta caminhada e não o reconheceram. Ao chegarem próximo ao povoado de destino convidaram Jesus para ir com eles.
“Eles, porém, insistiram com Jesus, dizendo: “Fica conosco, pois já é tarde e a noite vem chegando!” Jesus entrou para ficar com eles. Quando se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía. Nisso os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus. Jesus, porém, desapareceu da frente deles. Então um disse ao outro: “Não estava ardendo o nosso coração quando ele nos falava pelo caminho, e nos explicava as Escrituras?”(Lc 24, 29-32).

Devemos confiar mais na nossa Fé, principalmente nas coisas espirituais que são invisíveis aos olhos, pois a partir da experiência destes dois discípulos, Jesus vem nos mostrar que devemos confiar na sua verdadeira presença na Eucaristia e de que jamais iria nos deixar sozinhos, mas estaria para sempre conosco, mesmo que não esteja visível aos nossos olhos. Jesus desapareceu dos seus olhos físicos, mas permanece conosco através da leitura das Escrituras e do partir do pão. Os dois discípulos retornaram a comunidade que haviam abandonado levando a mensagem pascal.

Os bispos, em Aparecida, fizeram uma bela oração a partir de Emaús:
“Guiados por Maria, fixamos os olhos em Jesus Cristo, autor e consumador da fé e dizemos a Ele com o Sucessor de Pedro:
“Fica conosco, pois cai a tarde e o dia já se declina” (Lc 24,29).
Fica conosco, Senhor, acompanha-nos ainda que nem sempre tenhamos sabido reconhecer-te.
Fica conosco, porque ao redor de nós as mais densas sombras vão se fazendo, e Tu és a Luz; em nossos corações se insinua a falta de esperança, e tu os faz arder com a certeza da Páscoa. Estamos cansados do caminho, mas tu nos confortas na fração do pão para anunciar a nossos irmãos que na verdade tu tens ressuscitado e que nos tem dado a missão de ser testemunhas de tua ressurreição.
Fica conosco, Senhor, quando ao redor de nossa fé católica surgem as névoas da dúvida, do cansaço ou da dificuldade: tu, que és a própria Verdade como revelador do Pai, ilumina nossas mentes com tua Palavra; ajuda-nos a sentir a beleza de crer em ti.(…)” (DAp 554).