O Senhor nos quer de pé e não paralisados na vida

Mc 2,1-12
Alguns dias depois, Jesus entrou de novo em Cafarnaum. Logo se espalhou a notícia de que ele estava em casa. Reuniram-se ali tantas pessoas, que já não havia lugar, nem mesmo diante da porta. E Jesus anunciava-lhes a Palavra. Trouxeram-lhe, então, um paralítico, carregado por quatro homens. Mas não conseguindo chegar até Jesus, por causa da multidão, abriram então o teto, bem em cima do lugar onde ele se encontrava. Por essa abertura desceram a cama em que o paralítico estava deitado. Quando viu a fé daqueles homens, Jesus disse ao paralítico: “Filho, os teus pecados estão perdoados”. Ora, alguns mestres da Lei, que estavam ali sentados, refletiam em seus corações: “Como este homem pode falar assim? Ele está blasfemando: ninguém pode perdoar pecados, a não ser Deus”. Jesus percebeu logo o que eles estavam pensando no seu íntimo, e disse: “Por que pensais assim em vossos corações? O que é mais fácil: dizer ao paralítico: ‘Os teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘Levanta-te, pega a tua cama e anda’? Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem, na terra, poder de perdoar pecados, — disse ele ao paralítico: eu te ordeno: levanta-te, pega tua cama, e vai para tua casa!” O paralítico então se levantou e, carregando a sua cama, saiu diante de todos. E ficaram todos admirados e louvavam a Deus, dizendo: “Nunca vimos uma coisa assim”.

Reflexão: Uma grande multidão está aglutinada em torno de Jesus, essa multidão queria ouvi-Lo, queria tocar em Jesus e ser tocada por Ele. Outros, no meio daquela multidão, estavam em busca de novidade, em busca de uma palavra para a sua vida e assim por diante.

O paralítico não podia chegar até Jesus, ele não tinha mobilidade. Por isso, quatro homens de fé e convicção pegaram aquele paralítico e deram um jeito de levá-lo até Jesus. Eles passaram por meio daquela multidão, mas não conseguiram entrar na casa, então, eles deram um jeito de entrar pelo teto daquela casa, para que o paralítico pudesse ir ao encontro de Jesus.

Esses homens são exemplos do que nós devemos ser. Precisamos ir até Jesus! Esses homens foram ao encontro de Jesus e foram tocados, transformados por Ele, e com a fé que tinham, levaram aqueles que não podiam chegar até Jesus.

Seja um instrumento, um canal da graça, seja o meio para levar a Jesus, esse mundo tão paralisado. Leve a Ele, aquelas pessoas que estão paralisadas nas diversas situações da vida, e que não podem chegar até a Jesus. Precisamos dar o melhor de nós, o nosso esforço, o nosso tempo, a nossa dedicação, e em muitas situações precisamos pegar a pessoa pela mão, pelos braços e até mesmo pelo colo, mas levá-las para que sejam tocadas por Jesus.

A graça que Jesus trouxe para aquele homem, não foi somente de libertá-lo da paralisia física, Jesus o libertou daquilo que paralisava a sua vida, por isso Ele disse: “Os teus pecados estão perdoados”.

Precisamos ter consciência da forma como o pecado paralisa a nossa vida, como ele deixa a nossa vida realmente parada. Não nos permite ir para frente, de irmos para as águas mais profundas. O pecado vai criando um embaraço em nossas pernas, em nossa mobilidade; o pecado vai criando em nós, uma situação onde tudo se embaralha e fica confuso. Muitos dizem: “Eu quero colocar ordem na minha vida. Eu quero que a minha vida vá para frente”. Mas, não é possível uma vida ir “pra frente” paralisada em meio ao pecado.

Eu não sei qual é o pecado que nós temos, mas, humildemente, reconhecemos que nós temos pecados e, mas muitas vezes, nos conformamos com nossos pecados, paramos ou nos deparamos com ele, e dizemos assim: “Eu sou assim. É assim que eu quero viver”; e não saímos do pecado e ele também não sai de nós. E quando o pecado não sai de nós, ele nos embaraça, prende; e proclama-nos reféns dele. Posso dizer no plural, porque, todos nós, nos tornamos reféns dos “pecados”.

Diante de Jesus que perdoa os nossos pecados, nos liberta de nossas paralisias, busquemos ir ao encontro d’Ele, para renunciarmos ao pecado, nos purificarmos dele e sermos renovados e curados por Ele.

Levanta-te e anda, porque, o Senhor, nos quer de pé, Ele não nos quer paralisados na vida.

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2018/01/homilia-diaria-cancao-nova-mc-21-12.html

ORAÇÃO

Senhor Jesus, cura-me de minhas deficiências espirituais, pela força de tua graça, para que eu possa caminhar sempre no amor. Amém!

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/levanta-te-pega-tua-maca-e-vai-para-casa-mc-21-12/

Anúncios

A conversão acontece com a mudança da mentalidade e do coração

Mc 1,14-20
Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: “O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos, e crede no Evangelho!” E, passando à beira do mar da Galileia, viu Simão e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. Jesus lhes disse: “Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens”. E eles, deixando imediatamente as redes, seguiram a Jesus. Caminhando mais um pouco, viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes; e logo os chamou. Eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os empregados, e partiram, seguindo Jesus.

Reflexão: A missão de Jesus acontece com o anúncio o Reino de Deus, o qual nos diz quais são os ingredientes necessários para que a nossa vida seja introduzida à vida do Senhor.

Primeiro, é preciso converter-se. Não precisamos esperar que aconteça alguma coisa, que vivamos o tempo da Quaresma para nos convertermos. A conversão é agora, ela não pode ser depois, não podemos esperar e dizer: “Lá na frente eu vou me converter”, pois essa hora não chega. A conversão acontece com a mudança da mentalidade e do coração.

Muitas vezes, estamos vivendo uma vida em Deus, mas não nos deixamos converter. Deixar-se converter é deixar-se convencer por Deus, pela graça d’Ele, pelo Evangelho, e por isso Ele está dizendo: “Convertei-vos e crede no Evangelho”.

Crer no Evangelho, na Palavra do Senhor, é acreditar que nenhuma outra palavra pode nos transformar e nos renovar, a não ser a Palavra de Deus. Por isso, creiamos n’Ele e levemos a vida em nome de Jesus, em nome desse Evangelho.

A conversão começa na cabeça, porque é a cabeça que manda em cada um de nós, é a cabeça que nos direciona e nos dá os pensamentos que devemos ter a cada dia. É na cabeça que está a nossa mentalidade. Se temos uma mentalidade mundana e pagã, se temos uma mentalidade que foi, muitas vezes, nutrida com os elementos deste mundo, precisamos mudar essa mentalidade, a forma de pensar, de agir, de conversar.

Quando olhamos para a nossa vida, logo percebemos que existem coisas essenciais para as quais precisamos mesmo nos converter, mas se não nos deixamos convencer por Deus, não somos um convertido, e Deus e a graça d’Ele não nos convertem.

A cada dia, coloco-me de pé para ouvir o Evangelho, para deixar que Deus fale ao meu coração, para que Ele traga a luz para as situações mais sombrias da minha alma e do meu ser, para que Ele me convença que preciso me converter, que preciso ter atitudes novas, pensamentos e sentimentos novos. Se ontem eu pensava assim, a graça do Evangelho me permite pensar diferente. Jesus converte o meu coração.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

 

5-OQueEConversao

Fonte: https://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/10/o-que-e-conversao-2/

ORAÇÃO

Pai, torna-me solícito em atender o convite à conversão, proclamado por Jesus. Que eu não perca a chance que me é dada de aderir, com sinceridade, ao teu Reino. Amém!

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/01/homilia-comentario-e-reflexao-do_13.html

Preencha seu coração com amor

Mc 7,1-8.14-15.21-23
Naquele tempo, os fariseus e alguns mestres da Lei vieram de Jerusalém e se reuniram em torno de Jesus. Eles viam que alguns dos seus discípulos comiam o pão com as mãos impuras, isto é, sem as terem lavado. Com efeito, os fariseus e todos os judeus só comem depois de lavar bem as mãos, seguindo a tradição recebida dos antigos. Ao voltar da praça, eles não comem sem tomar banho. E seguem muitos outros costumes que receberam por tradição: a maneira certa de lavar copos, jarras e vasilhas de cobre.

Os fariseus e os mestres da Lei perguntaram então a Jesus: “Por que os teus discípulos não seguem a tradição dos antigos, mas comem o pão sem lavar as mãos?”

Jesus respondeu: “Bem profetizou Isaías a vosso respeito, hipócritas, como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim. De nada adianta o culto que me prestam, pois as doutrinas que ensinam são preceitos humanos’. Vós abandonais o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens”.

Em seguida, Jesus chamou a multidão para perto de si e disse: “Escutai, todos, e compreendei: o que torna impuro o homem não é o que entra nele vindo de fora, mas o que sai do seu interior. Pois é de dentro do coração humano que saem as más intenções, imoralidades, roubos, assassínios, adultérios, ambições desmedidas, maldades, fraudes, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo. Todas estas coisas más saem de dentro, e são elas que tornam impuro o homem”.

Reflexão : O Evangelho de hoje nos apresenta o drama dos fariseus e de boa parte dos judeus, porque eles só comiam depois de lavar bem as mãos, segundo a tradição que receberam dos antigos.

Lavar as mãos para fazer as refeições é uma atitude higiênica, e não tenha dúvida de que faz muito bem à saúde! A questão, no entanto, é ficarmos somente no ato de lavar as mãos, pois isso quer dizer lavar o corpo, ou seja, cuidar do exterior para que tudo aparente estar bem, mas não cuidamos daquilo que é o essencial.

Muitas vezes, há um exagero na maneira de ver as coisas! “Temos de lavar bem esse alimento, se não, ele vai ‘nos estragar’”. Sabemos os danos que um alimento não lavado pode causar, por isso é muito importante cuidarmos da higiene, e aqui não discutimos esse fato. O problema da humanidade e de cada um de nós são os extremos da vida, porque cuidamos excessivamente de um lado e, às vezes, relaxamos ou descuidamos do outro.

O Evangelho de hoje nos aponta a necessidade de cuidarmos do nosso interior, pois o que o faz se deteriorar e ficar impuro não é o que comemos, não é aquilo que vem de fora, mas o que já está dentro de nós: os maus pensamentos, os maus sentimentos, a cobiça, o adultério, o sentimento negativo em relação ao outro e a inveja. É dentro do nosso coração que guardamos ressentimentos, mágoas, rancores e acumulamos o ódio.

Precisamos cuidar daquilo que guardamos em nosso interior, porque a beleza humana reflete aquilo que vem de dentro e não de fora. O cuidado que precisamos ter é para não vivermos de cascas nem de aparências. Vivemos na era da maquiagem e do retoque, para darmos atenção só àquilo que as pessoas vão ver em nós. Mas, na verdade, a Palavra de Deus diz que a essência humana está dentro do coração do homem.

Precisamos, cada vez mais, mergulhar no nosso interior e contemplar as belezas que temos dentro do nosso coração, porque, graças a Deus, muita coisa bela foi semeada em nós. No entanto, nossa beleza está se estragando com as coisas velhas e estragadas que deixamos acumular dentro do nosso coração.

Que beleza e que pureza de vida aquela criança que é carregada no colo! Mas, à medida que cresce, o mundo vai jogando coisas velhas dentro daquele coração; então, crescem e alguém diz: “Nem parece aquele menino que eu conheci: tão bonzinho, tão bonito, tão cheio de coisas belas e bonitas!”. A verdade é que o tempo pode nos melhorar, mas ele também pode nos piorar. E não é melhorar a aparência para ser bela segundo os critérios mundanos. O que nos torna piores é não cuidarmos daquilo que está dentro de nós e se acumula dentro do nosso coração.

Hoje, a Palavra de Deus nos convida a irmos no fundo da nossa alma e olharmos o que está dentro de nós para purificar, limpar e renovar. Algumas coisas são importantes: exame de consciência diário, olhar para nossa consciência, rever os nossos atos, as nossas atitudes e práticas, e não abrirmos mão de uma boa confissão para renovar, lavar, purificar e não nos conformarmos com o mal que quer morar em nós.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Foto

O coração de Jesus é um coração apaixonado por salvar almas

Jo 19,31-37
Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. Os soldados foram e quebraram as pernas de um e, depois, do outro que foram crucificados com Jesus. Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. Aquele que viu dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro; e ele sabe que fala a verdade, para que vós também acrediteis. Isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: “Não quebrarão nenhum dos seus ossos”. E outra Escritura ainda diz: “Olharão para aquele que transpassaram”.

Reflexão: Hoje, na alegria de celebrarmos a Festa Solene do Sagrado Coração de Jesus, olhamos para Jesus pendente na Cruz e para o Seu lado aberto, onde brota sangue e água. O sangue de Jesus foi derramado por amor a nós, é o sangue d’Ele que nos alimenta, renova-nos e coloca-nos em comunhão com o Pai, o Filho, o Espírito Santo e toda Trindade.

É o sangue de Jesus que nos dá a vida em Deus, o sangue eucarístico e amoroso do Senhor. Do lado aberto do coração de Jesus brota a água que nos lavou no batismo, água que nos renova no sacramento da penitência, água que nos dá vida nova, revitalizada, água que nos dá vida em Deus. Assim é o coração de Jesus: um coração que nos ama profundamente.

Queremos contemplar o coração apaixonado e amoroso de Jesus. Não se trata apenas de um coração físico, é o coração na dimensão psíquica e psicológica mais profunda, que corresponde a todo sentimento da alma e da vontade. Deus tem sentimentos, e o mais profundo, o único sentimento que há n’Ele, é o amor.

Deus sente amor, compaixão e ternura por nós! E a expressão do coração de Jesus é de um coração apaixonado por salvar almas, por resgatar os filhos de Deus. É um coração inquieto, enquanto uma só alma estiver perdida e distante do Seu amor misericordioso.

O coração de Jesus se dilacera, rasga-se para acolher o nosso coração. O nosso coração fica inchado, machucado, ferido e dilacerado. É o coração de Jesus que cura as mágoas do nosso coração, cura todas as fendas abertas da nossa alma.

Mergulhemos no coração misericordioso de Jesus, para que tenhamos, como Ele, um coração manso, humilde, curado e cheio de amor. Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://www.alianca.fm.br/palavradesalvacao/2694

ORAÇÃO

Senhor, ajuda-me a transformar a vida no melhor testemunho do Teu amor solidário, regenerador e salvador. Que as minhas atitudes possam testemunhar a Tua presença amorosa em minha vida. Doce coração de Jesus que tanto me amas, faze que Te ame cada vez mais. Amém!

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-joao-1931-37/

 

A aliança é feita nos corações

Mc 10,1-12
Naquele tempo, Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do Jordão. As multidões se reuniram de novo em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava. Alguns fari­seus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher. Jesus perguntou: “O que Moisés vos ordenou?” Os fari­seus responderam: “Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la”. Jesus então disse: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moi­sés vos escreveu este mandamento. No entanto, desde o começo da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e os dois serão uma só carne. Assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!” Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto. Jesus respondeu: “Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra, cometerá adultério contra a primeira. E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério”.

Reflexão: Jesus continua falando para nós, hoje, e nos instruindo sobre coisas que fazem parte da nossa vida e do nosso dia a dia. Diante do que Ele expõe nós percebemos que ainda hoje a aliança entre os casais se rompe por causa da dureza dos corações que não se rendem ao Amor e à graça de Deus que se derramam em forma de uma bênção especial no momento que assumem o compromisso um com o outro. A verdadeira aliança se realiza no corpo e no espírito e uma coisa não pode está dissociada da outra. Tem que ser em espírito e em verdade e não apenas de fachada e de aparência. Quem quebra esta aliança está tentando quebrar um elo que Deus fez. Muitos casamentos são falsos aos olhos de Deus, pois Ele conhece as intenções dos corações e percebe os interesses que estão ocultos por detrás do que aparentam. Nesses casos, o Senhor não abençoa a união. Para que? Quando não há sinceridade não há aliança, é fantasia, é utopia. Há que se ter uma formação humana e espiritual aprofundada para que haja uniões lícitas aos olhos de Deus. Precisamos a cada dia nas nossas orações pedir ao Espírito Santo discernimento e sabedoria para fazermos as escolhas que serão abençoadas por Deus. E aos que já se consagraram diante do Altar, também cabe fortalecer esta aliança através de uma renovação constante porque o Senhor, todos os dias, nos dá as graças necessárias. Somente em função de um amor abençoado por Deus, o homem, pode deixar seu pai e sua mãe para unir-se a uma mulher e vice-versa. A aliança é feita nos corações. Deus é quem une o homem e a mulher numa só carne através deste anel.

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mc-101-12/

liturgia-20-5

Fonte: http://sousagradosoufeliz.com/mc-101-12-2.html

ORAÇÃO

Oração da Paz pedindo esta paz para as famílias

Senhor,

Fazei-me um instrumento de vossa paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor;

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;

Onde houver discórdia, que eu leve a união;

Onde houver dúvida, que eu leve a fé;

Onde houver erro, que eu leve a verdade;

Onde houver desespero, que eu leve a esperança;

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre,

Fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado;

Compreender, que ser compreendido;

Amar, que ser amado,

Pois é dando que recebe,

É perdoando que se é perdoado,

E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Amém !

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2013/05/homilia-comentario-e-reflexao-do_23.html

Tenhamos uma vida interior renovada pela presença de Jesus dentro de nós

Mateus 28,8-15
Naquele tempo, as mulheres partiram depressa do sepulcro. Estavam com medo, mas correram com grande alegria, para dar a notícia aos discípulos. De repente, Jesus foi ao encontro delas, e disse: “Alegrai-vos!” As mulheres aproximaram-se, e prostraram-se diante de Jesus, abraçando seus pés.Então Jesus disse a elas: “Não tenhais medo. Ide anunciar a meus irmãos que se dirijam para a Galileia. Lá eles me verão”. Quando as mulheres partiram, alguns guardas do túmulo foram à cidade, e comunicaram aos sumos sacerdotes tudo o que havia acontecido. Os sumos sacerdotes reuniram-se com os anciãos, e deram uma grande soma de dinheiro aos soldados, dizendo-lhes: “Dizei que os discípulos dele foram durante a noite e roubaram o corpo, enquanto vós dormíeis. Se o governador ficar sabendo disso, nós o convenceremos. Não vos preocupeis”.Os soldados pegaram o dinheiro, e agiram de acordo com as instruções recebidas. E assim, o boato espalhou-se entre os judeus, até o dia de hoje.

Reflexão: A alegria é o sinal que o cristão dá ao mundo da sua fé e esperança na ressurreição de Jesus. O medo é consequência da nossa limitação humana e é mais intenso na medida em que nós não conseguimos nos apoiar na fé e na esperança. As mulheres estavam com medo, por causa da sua limitação humana, mas correram com grande alegria para dar a notícia aos seus amigos. A alegria e o destemor são sinais de que a nossa vida está guardada com Jesus e é a nossa motivação para também anunciar ao mundo a sua presença em nós. Jesus também vem a nós na hora que nós estamos temerosos (as) diante das coisas que ainda não entendemos e nos alenta: “Alegrai-vos, não tenhais medo; Ide anunciar”! Só podemos dar testemunho de que Jesus está vivo e faz vida em nós, quando vivemos realmente esses três mandatos de Jesus. A alegria é o primeiro sinal de uma vida em Deus; O destemor faz parte da vida do cristão, e anunciar o Evangelho é a missão de todos (as) aqueles (as) que vivem em Cristo. O medo faz parte da nossa humanidade, porém, quando nós nos apropriamos da Palavra de Cristo e assumimos as suas promessas nós podemos atravessar o vale escuro sem nenhum temor. Tudo na vida passa e todas as dificuldades nós poderemos suportar em vista da alegria de ter uma vida interior renovada pela presença de Jesus dentro de nós. Alegremo-nos: Jesus ressuscitou e está no meio de nós, vitorioso para nos fazer também vencedores.
Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mateus-288-15-4/

Fonte: http://www.mdmonthly.com/tag/national-institutes-of-health/

ORAÇÃO

Salmo 15
Senhor Deus,
Vós me ensinais vosso caminho para a vida; junto a vós, felicidade sem limites, delícia eterna e alegria ao vosso lado! Amém!

Fonte: https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/oitava-da-pascoa-segunda-feira/?sDia=2&sMes=04&sAno=2018

Vamos permitir que as Palavras de Deus transformem, renovem e sejam a palavra da nossa vida

Jo 8,51-59
Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: “Em verdade, em verdade, eu vos digo: se alguém guardar a minha palavra, jamais verá a morte”. Disseram então os judeus: “Agora sabemos que tens um demônio. Abraão morreu e os profetas também, e tu dizes: ‘Se alguém guardar a minha palavra jamais verá a morte’. Acaso és maior do que nosso pai Abraão, que morreu, como também os profetas? Quem pretendes ser?” Jesus respondeu: “Se me glorifico a mim mesmo, minha glória não vale nada. Quem me glorifica é o meu Pai, aquele que vós dizeis ser o vosso Deus. No entanto, não o conheceis. Mas eu o conheço e, se dissesse que não o conheço, seria um mentiroso, como vós! Mas eu o conheço e guardo a sua palavra. Vosso pai Abraão exultou, por ver o meu dia; ele o viu, e alegrou-se”. Os judeus disseram-lhe então: “Nem sequer cinquenta anos tens, e viste Abraão!” Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, vos digo, antes que Abraão existisse, eu sou”. Então eles pegaram em pedras para apedrejar Jesus, mas ele escondeu-se e saiu do Templo.

Reflexão: Não queremos a morte, pelo contrário, queremos a vida. Como teremos a vida em Deus? Como teremos a vida eterna? Guardando a Palavra de Deus, fazendo com que a nossa vida seja guiada por Sua Palavra.

A nossa vida é guiada e conduzida por palavras; são as palavras que escutamos dos nossos pais, são as ouvimos de conselhos, de orientações, de direções que vamos recebendo ao longo da vida. Têm palavras que entram em nossos ouvidos, em nossa mente e em nosso coração.

Os discípulos de qualquer escola são movidos à vida de acordo com as palavras que escutam. Palavra é instrução, é direção, a palavra vai formando o homem e a mulher que somos. Portanto, se seguimos as palavras a fundo, somos formados de acordo com esses conceitos que o mundo vai formando dentro de nós.

Há uma confusão de palavras no meio de nós; a própria confusão vem das palavras que saem de nós: palavras de maldição, palavras feias, ofensivas, grossas, pornográficas, impuras, sujas. Mas, são palavras que entram pelos nossos ouvidos e saem pela boca e vão para os ouvidos de tantos.

A palavra tem o poder de levantar, de destruir, de iludir, de enganar, mas há uma palavra que tem o poder de salvar, essa é a única palavra que transforma, renova, santifica e faz nova todas as coisas. Muitas vezes, resistimos a ela ou fazemos pouco caso, não colocamos essa palavra como aquilo que ela deve ser, com a primazia que ela deve exercer em nossa vida. Não trata-se de palavras [letras], que lemos, mas, da “Palavra Viva” que é o próprio Cristo Jesus.

“Guardar” quer dizer: viver, introjetar e permitir que as Palavras de Deus transformem, renovem e sejam a palavra da nossa vida, trazê-las no coração, na mente, na boca, em nossas ações.

Às vezes, tudo o que uma pessoa precisa é de uma palavra de conforto, de consolo e, muitas vezes, as pessoas levam até ela, palavras que não consolam e não transformam.

Jesus é a Palavra eterna do Pai, é a Palavra que encarnou-se e está no meio de nós. Guardemos Suas palavras e vivamos delas.
Fonte: https://homilia.cancaonova.com/homilia/jesus-tu-tens-palavras-de-vida-eterna/?sDia=22&sMes=03&sAno=2018

Fonte: http://www.caminhandocomele.com.br/cristo-1-mais-conhecer-para-mais-amar-e-servir-introducao-1/

ORAÇÃO

Pai, coloca-me em sintonia com as palavras e o modo de pensar de teu Filho Jesus, para que eu possa compreender seus ensinamentos, sem deturpá-los. Amém!
Fonte:http://liturgia.catequisar.com.br/aquele-que-guardar-minha-palavra-jo-851-59/

O Ponto Afinal

O ponto esclarece ao final ou provocar se faz necessário ?

Deixando Deus falar...

"O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão-de passar." (Mateus 24:35)

Doando Amor

Faça mais do que existir !