Encontrar o tesouro é abrir seus corações à ação da Graça

Mt 13,44-46

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: “O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo. O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas. Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola”.

Reflexão: Jesus apresenta mais comparações envolvendo o Reino dos Céus, através de parábolas: “Reino dos Céus é semelhante ao tesouro escondido no campo, e O Reino dos Céus é ainda semelhante ao negociante que busca de pérolas finas e a encontra”. Nessas parábolas podemos ver semelhanças entre si, porém com diferenças que devemos nos deter um pouco.

A semelhança consiste apenas na ideia de valor dos bens, comparativamente à importância infinita, à riqueza incomensurável do Reino dos Céus. O Rei da Glória do Reino dos Céus é o nosso Deus. Estar envolvido com esse Reino é estar sob o governo e proteção de nosso Deus Criador, Eterno e Todo Poderoso: “Teu trono é de Deus, para sempre e eternamente! O cetro do teu Reino é cetro de retidão e justiça (Salmos 45,7)”.

Jesus compara o Reino dos Céus com tesouro ou pérola fina, para que possamos melhor compreender o que pode representar o Seu Reino. Temos o caso de um homem que – sem procurar – encontrou um tesouro escondido num campo; e o caso onde a pérola foi achada – após ser procurada: “O negociante que anda em busca de pérolas finas acha uma pérola de grande valor”.

Na primeira parábola o tesouro já está no campo, no mundo, na vida, perto de nós. Parece escondido. Alguns o encontram. A realidade é que nem todos abrem seus corações à ação da Graça que busca atingi-los. Aqueles que percebem o valor desse Tesouro procuram retê-lo. A condição é gerar frutos. É preciso fazer uma limpeza nos corações. Limpar as os armários da alma. Purificar a mente. Santificar-se.

Como disse João Paulo II: “Vive em cada pessoa um impulso religioso inato”, e isto é o que podemos considerar aquele que já conhecia o valor da pérola fina no seu íntimo. O encontro definitivo com Jesus Cristo, é encontrar a pérola mais valiosa, disponível para todo ser humano. E para o seguimento de Sua doutrina Efésios 6,10ss nos orienta: “Fortalecei-vos no Senhor. Revesti-vos da armadura de Deus. Cingi-vos os rins com a justiça, propagai o Evangelho da paz, empunhando o escudo da fé. E tomai o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus”.

fonte: http://www.rosario.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=897:mateus-13-44-46-383&catid=45:espaco-de-evangelizacao&Itemid=187

ORAÇÃO

Pai Santo, que o nosso coração, iluminado pelo teu Espírito, possa discernir o Bem Maior – aquele que a nossa inteligência, ávida pelos saberes do mundo, não foi capaz de encontrar: o Teu Reino de Amor. E que tenhamos força, Pai amado, para seguir nos caminhos da vida o Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.

Fonte: http://www.cristominhacerteza.com/2012/07/homilia-comentario-e-reflexao-do_31.html

Anúncios

A criança é para nós o símbolo maior de que o Reino de Deus está vivo e presente no meio de nós

Precisamos nos tornar como uma criança, nos refugiar, nos esconder, nos colocar nos braços de nosso Pai e depender d’Ele em tudo aquilo que fazemos!

“Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim” (Lucas 9, 48).

A criança representa a plenitude do Reino dos Céus. Humanamente, em muitas culturas, a criança não tem valor, nem significado é, muitas vezes, desprezada, excluída e não se leva em conta aquilo que ela diz, pensa e sente.

Mas, na verdade, é na criança que está o Reino de Deus em sua plenitude. A criança é para nós o símbolo maior de que o Reino de Deus está vivo e presente no meio de nós. A criança, com sua pureza, bondade, retidão, com tudo aquilo que uma criança pode ensinar ao nosso coração. Quanto menor, quanto menos idade tiver uma criança, mais perto do céu se encontra, está mais pura, menos contagiada por este mundo cercado de maldades e malícias.

A criança, quanto mais criança for, nos ensina a ‘minoridade’. E o que é a ‘minoridade’? É a dependência de alguém maior. A criança quanto menor é, mais dependente é de seus pais, se coloca no colo de seus pais . Quanto mais ela cresce, mais vai fugindo do colo dos pais. Por isso, precisamos nos tornar como uma criança, nos refugiar, nos esconder, nos colocar nos braços de nosso Pai e depender d’Ele em tudo aquilo que fazemos!

Pode parecer que Deus não queira que cresçamos, pelo contrário, Ele quer que cresçamos, que tenhamos maturidade, responsabilidade, que assumamos os nossos compromissos. Mas, que não percamos a sensibilidade de uma criança dependente de seus pais. Que nos tornemos dependentes de Deus, que tenhamos a pureza que uma criança tem, porque assim o Reino de Deus se abrirá para nós!

Se na sua casa tem criança, se por onde você anda vê crianças, as abençoe, acolha estes pequeninos, não as despreze nunca. Pelo contrário, esteja de coração aberto para acolher essa expressão magnífica do Reino de Deus!

Eu chamo a sua atenção para tantas crianças abandonadas, que estão nos orfanatos, que estão refugiadas. A nossa ajuda fraterna, o nosso acolhimento amigo e se você pode, financeiramente, fazer algo por essas crianças, não deixe de fazer. É grave, é uma situação emergente em qualquer país, em qualquer cidade, em qualquer estado, em qualquer lugar do mundo deixarem nossas crianças perecerem por falta de cuidado.

Se queremos crescer no Reino dos Céus, cuidemos dos pequenos, pois são os maiores no coração de Deus!

fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/sejamos-sempre-dependentes-de-deus-pai/

O maior é aquele que serve – Lc 9,46-50

Surgiu entre os discípulos uma discussão sobre qual deles seria o maior. Sabendo o que estavam pensando, Jesus pegou uma criança, colocou-a perto de si e disse-lhes: “Quem receber em meu nome esta criança, estará recebendo a mim mesmo. E quem me receber, estará recebendo Aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior”. Tomando a palavra, João disse: “Mestre, vimos alguém expulsar demônios em teu nome, mas nós lhe proibimos, porque não anda conosco”. Jesus respondeu: “Não o proibais, pois quem não é contra vós, está a vosso favor”.

imagem fonte: http://www.ofminmaculada.org/

ORAÇÃO

Senhor,

queremos tanto ter poder e ser reconhecidos!

Faz-nos pequeninos no orgulho, Senhor, e “grandes” na humildade.

Amém.

fonte: http://apenasoracao.blogspot.com.br/2013/09/rezando-o-evangelho-de-hoje-lc-946-50.html