Defender a vida é, entre as tarefas humanas, a que mais agrada a Deus

Mc 12,13-17

Naquele tempo, as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes, para apanharem Jesus em alguma palavra. Quando chegaram, disseram a Jesus: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro, e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas para as aparências do homem, mas ensinas, com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: É lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?” Jesus percebeu a hipocrisia deles, e respondeu: “Por que me tentais? Trazei-me uma moeda para que eu a veja”. Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: “De quem é a figura e a inscrição que estão nessa moeda?” Eles responderam: “De César”. Então Jesus disse: “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. E eles ficaram admirados com Jesus.

Reflexão: Como é bom saber que Deus não olha a aparência dos seres humanos, mas a interioridade. Como é bom saber que Deus não faz acepção de pessoas. Todos fomos feitos à Tua imagem e semelhança. Para Deus somos todos lindos, cheios de talentos e com capacidade de mudar tantas coisas. Basta que acreditemos em nós mesmos e nas qualidades que recebemos de Deus. Todavia, os talentos recebidos não são para nosso gozo pessoal. Temos que ser capazes de colocar em comum os dons recebidos, sobretudo em ações de solidariedade. O Evangelho de hoje nos ensina que temos obrigações com Deus e com o mundo. O que não devemos fazer jamais é colocar Deus e César no mesmo patamar. Tudo o que pertence a este mundo é fugaz, termina. Só Deus e eterno. Ainda que fiquemos indignados com o mau uso do dinheiro público por parte de alguns “César” que atuam no poder público, temos que ter a capacidade de viver bem essas duas instâncias: a divina e a terrena. A boa educação e o respeito pelas realidades terrenas têm início dentro de nós mesmos. Temos direitos, mas também deveres, é verdade. E a melhor forma de sermos responsáveis com as realidades terrenas, é ajudando os seres humanos a terem vida com dignidade. É decepcionante constatar que nem todo o dinheiro dos nossos impostos são revertidos em benefício dos mais necessitados. Defender a vida é, entre as tarefas humanas, a que mais agrada a Deus e a que mais gera santidade e salvação. E só defenderá a vida quem coloca Deus em primeiro lugar na sua própria vida. Deus tem o primeiro lugar em nossas vidas? Conseguimos provar a presença d’Ele em nós com ações concretas? Então, realmente, temos fé. Fé sem obras perde a sua consistência.

Fonte:http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-marcos-1213-17/

fonte: http://paroquiaperpetuosocorro.net/3a-feira-da-9a-semana-do-tempo-comum.html

ORAÇÃO

Senhor Jesus, Tu que vês a minha interioridade e sabes que fui criado à Tua imagem e semelhança, renova em mim a Tua imagem sagrada. Desse modo serei capaz de reconhecer-Te novamente, sobretudo no rosto de cada irmão e de cada irmã. A Tua fortaleza em mim, Jesus, me ajude a ser capaz de entregar a vida na defesa da vida. Livra-me de fazer mau uso do dinheiro ou dos bens que disponho. Liberta-me da tentação do consumismo desenfreado. Educa-me para que eu consiga dar a César o que é de César, mas, a Ti, o que efetivamente Te pertence: o meu existir. Dá-me, Jesus, o dom da sensatez para que eu saiba cada vez mais que devo entregar a Ti o que tenho de melhor: A minha própria vida. Amém.

Fonte: http://ironispuldaro.com.br/site/evangelho-marcos-1213-17/

Anúncios

O fruto que a comunidade é chamada a produzir é o amor

Jo 12,20-33
Naquele tempo: Havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém, para adorar durante a festa.Aproximaram-se de Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e disseram: ‘Senhor, gostaríamos de ver Jesus.’ Filipe combinou com André, e os dois foram falar com Jesus. Jesus respondeu-lhes: ‘Chegou a horaem que o Filho do Homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre,ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. Agora sinto-me angustiado. E que direi? `Pai, livra-me desta hora!’? Mas foi precisamente para esta hora que eu vim.Pai, glorifica o teu nome!’ Então, veio uma voz do céu: ‘Eu o glorifiquei e o glorificarei de novo!’ a multidão que lá estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão. Outros afirmavam: ‘Foi um anjo que falou com ele.’ Jesus respondeu e disse: ‘Esta voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, e eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim.’ Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer.

Reflexão : Se o grão de trigo quer dar fruto, é preciso que ele passe pela terra onde vai apodrecer, mas o seu percurso não pára aí, o fruto brotará. Jesus quer dar a vida, Ele escolhe passar pela morte, dando então a maior prova de amor. Mas a sua missão não pára aí, a vida brotará: a sua própria vida é a ressurreição; e a vida da humanidade é a salvação. “Não era necessário que Cristo sofresse tudo isto para entrar na sua glória?”, dirá Ele aos discípulos no caminho de Emaús. Se queremos que os outros vivam, é preciso que passemos por um certo número de renúncias, de esquecimentos de nós próprios, e isto através do serviço, do acolhimento, do perdão. Mas a nossa relação com os outros não pára aí, a alegria brota nos rostos e no nosso próprio rosto. A morte é uma passagem obrigatória para aquele que ama e quer amar até ao fim.
Fonte: http://www.paroquiadivino.org.br/index.php/se-a-semente-que-cai-na-terra-nao-morrer-jo-1220-33/

29

Fonte: http://franciscanos.org.br/?p=107370

ORAÇÃO

Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus e buscar, em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.
Fonte:http://liturgia.catequisar.com.br/senhor-queremos-ver-jesus-jo-1220-33/

É preciso andar com Jesus a nossa frente

Lucas 11,14-23
Naquele tempo, Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar, e as multidões ficaram admiradas. Mas alguns disseram: “É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa os demônios”.Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. Mas, conhecendo seus pensamentos, Jesus disse-lhes: “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra.Ora, se até Satanás está dividido contra si mesmo, como poderá sobreviver o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus. Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava, e reparte o que roubou. Quem não está comigo está contra mim. E quem não recolhe comigo dispersa”.

Reflexão: Jesus realizou milagres, curas, libertações, mas tudo isso não era o essencial da Sua missão. O essencial da missão de Jesus era a implantação do Reino de Deus pelo anúncio da salvação, que era Ele mesmo. Claro que a salvação alcança o homem por inteiro, e que Deus se interessa pela cura, mas não há dúvida de que a grande salvação do homem é a salvação de sua alma. O corpo também é salvo porque será remido por Cristo na ressurreição final. Será um corpo glorioso. Mas, na realidade, até mesmo a cura física é transitória. Exemplo disso é que Lázaro, que foi ressuscitado por Cristo, veio a falecer algum tempo depois desse fato. Ele foi curado, mas não viveu eternamente sobre esta terra.

Quando Jesus opera milagres e curas, está querendo atrair para aquilo que é essencial. O problema é quando ficamos apenas com o que é acidental, quando vemos Cristo com se Ele fosse um curandeiro, quando O queremos apenas para que cure nossas feridas e não queremos ter aliança alguma com Ele. É como se nós quiséssemos apenas a cura que vem de Jesus e não O quiséssemos. Na verdade, a grande cura da nossa vida é tê-Lo em nosso coração. Se tivermos Jesus em nosso coração, se Ele for o Senhor de nossas vidas, com certeza todas as áreas de nossa vida serão curadas.

Todo cristão passa por batalhas espirituais. É preciso andar com o Senhor à nossa frente. O mal não tem poder diante de Deus. Que o Senhor nos ajude a ter o olhar fixo Nele e que esse tempo Quaresmal seja um tempo de conversão a Deus.

Fonte: https://www.comshalom.org/comentario-do-evangelho-de-hoje-o-que-voce-espera-de-deus/

Fonte: http://www.pequeninosdosenhor.org/index.php/2011/03/com-ele-sempre/

ORAÇÃO

“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade, queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.”

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/quem-nao-esta-comigo-e-contra-mim-lc-1114-23/

O que faria Jesus em meu lugar?

Mt 21,33-43.45-46
Naquele tempo, dirigindo-se Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo, disse-lhes: “Escutai esta outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, pôs uma cerca em volta, fez nela um lagar para esmagar as uvas e construiu uma torre de guarda. Depois arrendou-a a vinhateiros, e viajou para o estrangeiro. Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos vinhateiros para receber seus frutos. Os vinhateiros, porém, agarraram os empregados, espancaram a um, mataram a outro, e ao terceiro apedrejaram. O proprietário mandou de novo outros empregados, em maior número do que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma. Finalmente, o proprietário, enviou-lhes o seu filho, pensando: ‘Ao meu filho eles vão respeitar’.

Os vinhateiros, porém, ao verem o filho, disseram entre si: ‘Este é o herdeiro. Vinde, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança!’ Então agarraram o filho, jogaram-no para fora da vinha e o mataram. Pois bem, quando o dono da vinha voltar, que fará com esses vinhateiros?” Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “Com certeza mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros vinhateiros, que lhe entregarão os frutos no tempo certo”. Então Jesus lhes disse: “Vós nunca lestes nas Escrituras: ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isto foi feito pelo Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos’?” Por isso eu vos digo: o Reino de Deus vos será tirado e será entregue a um povo que produzirá frutos. Os sumos sacerdotes e fariseus ouviram as parábolas de Jesus, e compreenderam que estava falando deles. Procuraram prendê-lo, mas ficaram com medo das multidões, pois elas consideravam Jesus um profeta.

Reflexão: A história de Israel, que se desenrolou como uma espécie de luta entre Deus e o povo eleito, é como que a parábola de toda história humana. Enquanto Deus se empenha em salvar a humanidade, esta insiste em caminhar para a condenação. Ele vai lhe apresentando os meios necessários para que se salve, mas o ser humano continua destruindo a obra divina. Deus confia na conversão do coração humano; este, no entanto, frustra, continuamente, a confiança divina.

Apesar disto, o Pai mostra-se sobremaneira paciente. O primeiro gesto de rebeldia do ser humano seria suficiente para merecer a punição. Afinal, ele é quem tem uma dívida de gratidão para com Deus. Criado com todo o carinho, fora-lhe dadas as condições para viver em comunhão com o Criador e com os demais seres humanos. Dele se esperava frutos de amor e de justiça. No entanto, seu coração perverteu-se, levando-a a se rebelar contra Deus. Até mesmo Jesus, que representa o gesto supremo da boa-vontade divina de salvar o ser humano, acabou sendo crucificado.

Ao ressuscitar seu Filho, o Pai estabeleceu-o como sinal de seu amor pela humanidade. Sempre que o ser humano quiser voltar-se para Deus, pode contar com Jesus. Aquele que fora rejeitado pelo ser humano, o Pai constituiu-o como “pedra angular” da salvação.

Fonte:http://www.cristominhacerteza.com/2013/02/homilia-comentario-e-reflexao-do_28.html

Fonte: http://aurelianogondim.blogspot.com.br/2016/02/sexta-feira-da-2-semana-da-quaresma.html

ORAÇÃO

Senhor Jesus, nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade queremos aprender de vós o modo de ver, julgar e agir.
Oh! Senhor Deus Pai Todo Poderoso, que possamos em todas as situações que vivermos nos perguntar sempre: O que faria Jesus em meu lugar? Amém!

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/parabola-da-vinha-mt-2133-43-45-46/

A salvação esta em quem sabe servir

Mateus 20,17-28
Naquele tempo, enquanto Jesus subia para Jerusalém, ele tomou os doze discípulos à parte e, durante a caminhada, disse-lhes: “Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei. Eles o condenarão à morte, e o entregarão aos pagãos para zombarem dele, para flagelá-lo e crucificá-lo. Mas no terceiro dia ressuscitará”.A mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. Jesus perguntou: “Que queres?” Ela respondeu: “Manda que estes meus dois filhos se sentem, no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”. Jesus, então, respondeu-lhe: “Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam: “Podemos”. Então Jesus lhes disse: “De fato, vós bebereis do meu cálice, mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou”.Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados contra os dois irmãos. Jesus, porém, chamou-os, e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. Entre vós não deverá ser assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.

Reflexão: Nós gostamos dos primeiros lugares, da exaltação, gostamos de que as pessoas nos sirvam, mas, a lógica evangélica de quem é seguidor de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo não é ser servido, ser exaltado, ser curtido, ser o mais importante e sempre lembrado, a lógica de quem segue Jesus Cristo é a de seguir os Seus passos.

Jesus Cristo lavou os pés dos Seus discípulos, cuidou dos doentes e dos enfermos, dos últimos, dos desprezados e dos humilhados. Ele colocou-se aos pés dos homens e desceu ao pó da terra, para dela (misturada a sua saliva) retirar a cura para tantas enfermidades e doenças da humanidade.

Se nós queremos salvar a humanidade não é nos engrandecendo, exaltando ou nos elevando, porque a salvação está em quem abaixa-se, humilha-se, a salvação está em quem sabe descer, servir, em que se coloca aos pés dos outros.

A salvação não vem pela cabeça. É muita cabeça pensando e muita gente querendo ser mais do que o outro. A salvação vem pelos pés, depois ela sobe. Então, para salvar coração e cabeça, é preciso descer para servir e se colocar a serviço dos outros. E, muitas vezes, em nossas comunidades o que mais faltam são seguidores – pessoas que tem o espírito de serviço e doação.

Temos que começar pela nossa própria casa, a obrigação de cuidar da casa não é da mãe, da empregada e seja lá de quem for. Acho uma tremenda humilhação e falta de consideração, ter alguém em nossa casa, seja a mãe ou seja a pessoa que está lá para fazer o serviço da casa, e muitos de nós não serem capazes de colocar nem a louça que comeu na pia. A pessoa levantar da cama e não ser capaz de dobrar a sua coberta. Ninguém tem escravo e nem empregado e as pessoas que nos “servem” têm de ser bem tratadas, amadas e cuidadas, e não não querer colocar essas pessoas abaixo de nós.

Não podemos servir resto de comida para as pessoas, ninguém tem direito a resto; não podemos dar para as pessoas as coisas que não nos servem mais, isso é próprio de gente que tem nariz empinado, que se sente mais importante do que os outros. Não podemos admitir que um filho dentro de uma casa, não seja capaz de pegar a sua roupa e a colocar na máquina ou no local em que se recolhe para poder lavar. Não podemos pensar que, em uma casa, mesmo que trabalhemos fora, não possamos colaborar com o cuidado da nossa própria casa.

Servir é atitude de quem serve a Jesus. Servir não é na Igreja: fazer uma leitura bonita, mostrar minha voz de cantor, ou que, sou isso ou aquilo. Servir é, acima de tudo, ter atitude de humildade em todas as situações de vida. Humildade nos salva, porque o veneno do orgulho nos perde e nos perde muito.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/2012/03/mt-2017-28-o-filho-de-deus-veio-para.html

ORAÇÃO

Senhor Deus de amor,Pai de bondade,nós vos louvamos e agradecemospelo dom da vida,pelo amor com que cuidais de toda a criação.

Vosso Filho Jesus Cristo,em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermose de todos os sofredores,sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.

Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversãose faça sempre mais, solidária às dores e enfermidades do povo,e que a saúde se difunda sobre a terra.Amém!

Fonte: http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/2012/03/mt-2017-28-o-filho-de-deus-veio-para.html

O conhecimento espiritual da Sua verdadeira identidade

Mt 16,13-19

Naquele tempo, Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”

Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

Reflexão: Com o propósito de fazê-los participantes do mistério da Salvação, Jesus quis dar ciência aos Seus discípulos de quem era Ele, enquanto caminhava com eles na Sua missão evangelizadora. Por isso, os motivava a que refletissem a Seu respeito, e lhes inquiria: “E vós quem dizeis que eu sou?” Ele os provocava a fim de que eles próprios se situassem e tivessem conhecimento espiritual da Sua verdadeira identidade. Todos nós precisamos ter convicção da nossa missão aqui na terra, portanto é também muito importante ter conhecimento acerca de nós mesmos, e de quem somos para aqueles (as) com quem nos relacionamos e interagimos. Cada um de nós tem uma incumbência muito especial aos olhos de Deus. Somos instrumentos Seus na concretização do Plano de Salvação. E, por isso, a nossa maneira de ser e de agir, as nossas aptidões naturais vão dando o matiz para que as pessoas nos ajudem a descobrir a nossa vocação. Quanto mais temos consciência de quem somos aos olhos do nosso próximo, mais facilmente poderemos descobrir o nosso carisma e, consequentemente a missão que a nós foi destinada por Deus. No entanto, para que possamos entender a nossa identidade e das pessoas que nos cercam precisamos entrar em comunhão com o Espírito Santo, que nos convence da verdade e ilumina a nossa inteligência. Inspirado pelo Espírito Santo Simão foi aquele que apontou a verdadeira identidade de Jesus. Por isso, o próprio Jesus o congratulou! Ele soube escutar a revelação do Pai e proclamar que “Jesus é o Messias, o Filho do Deus vivo”. E foi aí, então, que Jesus o conscientizou da sua missão aqui na terra, dando-lhe poder e autoridade para ser o chefe da Sua Igreja. “Tu és Pedro”, disse Jesus, mostrando que o seu nome identificava a sua missão de pedestal da Igreja nascente. Quando entregou a Pedro as chaves do reino dos céus, Jesus mostrou que o reino dos céus começa aqui na terra, na Igreja que Ele fundou e que tem autoridade para ligar ou desligar. Somos felizes na medida em que, como Pedro, também reconhecemos que “Jesus é o Cristo o Filho do Deus vivo”, por isso está no meio de nós. – Você também diante de Deus tem um nome que designa uma missão muito especial. O que pode significar? Pergunte ao Espírito Santo! – Você sabia que tudo o que você fizer na terra, terá também repercussão no céu? – Dê a você mesmo (a) um nome que designe uma virtude, uma qualidade, ou uma maneira de ser.

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mt-1613-19-6/

Fonte: http://pclectiodivina.blogspot.com.br/2016/02/lecito-divina-del-22-de-febrero-de-2016.html

ORAÇÃO

Senhor Jesus, cria no meu coração o mesmo amor por ti e por tua Igreja, que puseste no coração de Pedro e de Paulo. Amém!

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/catedra-de-sao-pedro-apostolo-ano/?future=all

O peso da graça é ter um coração que saiba entender o coração do outro

Mc 2,23-28
Jesus estava passando por uns campos de trigo, em dia de sábado. Seus discípulos começaram a arrancar espigas, enquanto caminhavam. Então os fariseus disseram a Jesus: “Olha! Por que eles fazem em dia de sábado o que não é permitido?” Jesus lhes disse: “Por acaso, nunca lestes o que Davi e seus companheiros fizeram quando passaram necessidade e tiveram fome? Como ele entrou na casa de Deus, no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote, comeu os pães oferecidos a Deus, e os deu também aos seus companheiros? No entanto, só aos sacerdotes é permitido comer esses pães”. E acrescentou: “O Sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. Portanto, o Filho do Homem é senhor também do sábado”.

Reflexão: Muitas vezes, estamos presos aos rituais, às normas; estamos cobrando “A” por “B”, queremos que as pessoas sejam dessa forma, porque é isso que exigem.

Não se trata de tornar-se uma pessoa relaxada, relapsa, relativista, que trata tudo de qualquer maneira. É preciso ter seriedade, ter uma direção na vida, uma luz por onde nós devemos caminhar. Isso tudo com o olhar da graça.

Na vida tem que ter horário para tantas coisas: horário para chegar, para comer, horário para isso e para aquilo, nessa sentido, pensemos assim: se na nossa casa estabelecêssemos que o horário para tomar banho é às 18h; mas, se não foi possível tomar banho nesse horário, não sejamos tão rigorosos, tomemos às 18h30 ou mesmo às 19h. Entenda que não foi possível; eu dei o exemplo do banho, mas poderia ser o exemplo de tantas coisas da vida.

Algumas relações acabaram-se, muitas coisas na nossa vida destruíram-se, porque relaxamos ou deixamos tudo de qualquer jeito. Não levamos a sério os preceitos, os compromissos que precisamos ter, ou levamos tudo a “ferro e fogo”, levamos tudo ao “pé da letra”.

Acumulamos as coisas, cobramos “isso e aquilo”, mas, viver o espírito da graça é saber entender primeiro a pessoa humana.

Há pessoas que estão mais a frente, conseguem viver as coisas de forma mais disciplinada, organizada; há outras que estão aprendendo. Há pessoas que conseguem ir à missa todos os dias, há outras que estão esforçando-se para irem a cada domingo. Há aqueles que, não conseguem rezar um rosário inteiro, e ainda, aqueles os quais conseguem rezar um terço, um Pai Nosso ou 10 Aves Marias.

É preciso tratar cada pessoa como humana, porque não é o peso da Lei que vai nos salvar ou nos condenar. O que vai nos salvar e nos condenar é, acima de tudo, o peso da graça, o peso de ter um coração que saiba entender o coração do outro, e que saiba dar o melhor de si, para viver a graça que se recebe de Deus.

Jesus é Senhor do sábado, é o Senhor da vida e a Ele devemos nos voltar de todo o nosso coração.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com