O melhor testemunho que podemos dar ao mundo, é o de testemunhar como perdoamos e amamos uns aos outros

Lc 17,1-6
Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: “É inevitável que aconteçam escândalos. Mas ai daquele que produz escândalos! Seria melhor para ele que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço e o jogassem no mar, do que escandalizar um desses pequeninos. Prestai atenção: se o teu irmão pecar, repreende-o. Se ele se converter, perdoa-lhe. Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’, tu deves perdoá-lo”. Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” O Senhor respondeu: “Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria”.

Reflexão:Hoje, o Evangelho nos apresenta três elementos fundamentais para a vida de um discípulo, de um seguidor de Jesus Cristo, Nosso Senhor e Mestre. O primeiro desses elementos é o testemunho de vida. É só pelo testemunho que evitamos escandalizar os pequenos.

Jesus é muito repressivo e duro àqueles que praticam escândalo. Praticar escândalos quer dizer, justamente, tirar a fé do coração das pessoas, não testemunhar aquilo que nós acreditamos.

O discípulo de Jesus deve, de todas as formas, primeiro, evitar escandalizar e, segundo, testemunhar com a vida aquilo que nós acreditamos.

Uma das melhores formas de testemunharmos é pela força do perdão. Um discípulo de Jesus que não perdoa, não testemunha o amor de Deus no seu coração. O discípulo de Jesus que vive cultivando ódio, ressentimento, mágoa contra o seu irmão e não consegue perdoar, escandaliza. Um casal que vive junto e não se perdoa, não se reconcilia, causa escândalo para os filhos e para outros. Às vezes, a pessoa está testemunhando na Igreja, está rezando, mas não vive o testemunho do perdão e da misericórdia.

Se o irmão pecar contra nós sete vezes num só dia, sete vezes devemos perdoá-lo. Mas, como vamos perdoar? Pela experiência com a Palavra de Deus.

Quando eu digo perdoar, não é ser complacente com o erro do outro. Perdoar quer dizer: não viver com ódio e ressentimento com o erro que o outro fez, porque é o nosso coração que ficará magoado.

O perdão reconstrói e levanta o outro. O perdão exige, com certeza, reconsideração das atitudes, dos fatos, da convivência e assim por diante. Mas, o que nunca pode faltar na vida de um cristão é o testemunho do perdão. Talvez, você possa perguntar: “Como vou conseguir perdoar se nem tamanha fé para isso eu tenho?”. Não é preciso ter muita fé.

Jesus está nos dizendo que se nossa fé for pequena como um grão de mostarda, diremos para esse ressentimento: “Sai daqui, se não consigo pelas minhas forças humanas, que eu consiga pela fé, arrancar as “plantas” que estão dentro do meu coração. Plantas venenosas e perigosas para a minha vida e para a minha saúde”.

Essas plantas são, com certeza, as plantas que temos de perdoar nesta vida. Se não conseguimos perdoar pelas nossas forças, que perdoemos pela fé e pelo amor. Se não conseguimos, é preciso buscar em Deus essa força.

O melhor testemunho que podemos dar ao mundo, é o de testemunhar como perdoamos e amamos uns aos outros.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

ORAÇÃO

Senhor Jesus, fonte perene do perdão e do amor misericordioso, concede-me a graça de nunca escandalizar ninguém. Que minhas atitudes de cristão(ã) maduro(a) e consciente das atitudes decorrentes desta opção de vida, me ajudem a viver na justiça, na paz e no perdão. Elimina do meu coração a tentação de me fixar no ódio, na vingança, na falta de perdão e compreensão de quem foi fraco na fé. “Aumenta, Jesus, a minha fé!” Faze-me ir em frente, superando a inimizade e o desamor. Jesus, Tu que és Deus de perdão e de misericórdia, robustece-me numa fé madura e operativa que me faz crescer na capacidade de agir em favor dos menos favorecidos da sociedade. Impele-me a tomar posse do dom da fé que me deste no Batismo. Que a lógica do Teu amor misericordioso me transforme e me faça crescer na santidade. Amém.

Fonte:http://diariodepositividade.blogspot.com/2016/11/evangelho-do-dia-lucas-171-6-aumenta.html

Anúncios

Devemos ser bons para acolher a Palavra ou começamos a ser bons quando a acolhemos e a pomos em prática?

Mt 13,18-23

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Ouvi a parábola do semeador: Todo aquele que ouve a palavra do Reino e não a compreende, vem o Maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho. A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento: quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo. A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto. A semente que caiu em boa terra é aquele que ouve a palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.

Reflexão : Neste trecho  do Evangelho é como se Mateus perguntasse às comunidades: “E vocês, como acolhem a palavra de Jesus? Será que vocês ainda mantêm seu compromisso com a justiça do Reino? Que tipo de terreno são vocês? Que obstáculos vocês põem à Palavra?”

O primeiro obstáculo é a superficialidade ou a insensibilidade (estrada de chão batido, onde a semente não nasce). A opção por Jesus não foi suficientemente forte a ponto de “amolecer” a insensibilidade; não atingiu a profundidade, ficou só na superfície. O Maligno rouba e leva embora.

O segundo obstáculo são as perseguições. Diante delas surge facilmente o desânimo. Não se trata, todavia, de qualquer tipo de perseguição. São as perseguições “por causa da Palavra”. É o testemunho que provoca conflito e rejeição, exatamente como se deu com Jesus.

O terceiro obstáculo é caracterizado como “as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza”. Isso denota que o cristão vive num contexto concreto: em meio a estruturas políticas e econômicas que fascinam e seduzem. Elas têm o poder de anestesiar (sufocar), de tornar estéril e ineficaz o poder da Palavra.

O tipo de cristão ideal é identificado com o terreno bom. Ele compreende a Palavra; e, porque assim age, é terra boa. É a única alternativa para o ser cristão. Será que ele compreende a Palavra porque é bom terreno ou é bom terreno enquanto vai compreendendo a Palavra e a faz frutificar? Cuidado, portanto, para não cair no determinismo. Devemos ser bons para acolher a Palavra ou começamos a ser bons quando a acolhemos e a pomos em prática?

Pai, que o teu Espírito Santo me revista de fortaleza, e me predisponha a enfrentar todos os contratempos da vida para produzir os frutos que esperas de mim.

Fonte: http://homiliadopebantu.blogspot.com/2010/07/jesus-explica-parabola-do-semeador-mt.html

Fonte: http://sobralonline.com.br/mestre-nao-te-importa-que-perecamos-mc-435-41/

ORAÇÃO

“Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/parabola-do-semeador-mt-1318-23/

A grandeza está no servir

Mateus 20,20-28
Naquele tempo, a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. Jesus perguntou: “O que tu queres?” Ela respondeu: “Manda que estes meus dois filhos se sentem, no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”.Jesus, então, respondeu-lhes: “Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam: “Podemos”. Então Jesus lhes disse: “De fato, vós bebereis do meu cálice, mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou”.Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados contra os dois irmãos. Jesus, porém, chamou-os e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. Entre vós não deverá ser assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.

Reflexão: Apesar do testemunho de Jesus, os discípulos estavam aferrados aos esquemas mundanos, mostrando-se pouco sensíveis aos ensinamentos do Mestre. O intento dos filhos de Zebedeu foi uma prova disto.Fazendo ouvido de mercador, quando Jesus revelou seu destino de sofrimento e morte, estavam preocupados em garantir para si os melhores lugares no Reino a ser instaurado. Bem se vê que estavam longe de sintonizar com o Reino anunciado por Jesus, pois imaginavam um reino onde os chefes se tornam tiranos, e os grandes se tornam opressores, por estarem revestidos de autoridade.No Reino almejado por Jesus, a grandeza consiste em pôr-se ao serviço do semelhante, de maneira despretensiosa, e o primeiro lugar será ocupado por quem se dispusera assumir a condição de servo. A tirania cede lugar ao serviço, e a opressão transforma-se em amor eficaz em benefício do próximo. Bastava contemplar o modo de proceder do Mestre Jesus que se autodenomina “Filho do Homem”. Jamais buscara ser servido, como se a sua condição de enviado do Pai lhe desse este direito; tampouco teve a arrogância de se considerar superior a quem quer que seja. Manteve sempre sua postura de servo, consciente da missão recebida do Pai, a ponto de entregar a sua própria vida para que toda a humanidade obtivesse salvação. Dera o exemplo no qual os discípulos deveriam inspirar-se.

Fonte: http://www.diocesedejiparana.org.br/noticias-det.php?cod=2469

ORAÇÃO

“Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Fonte: http://liturgia.catequisar.com.br/entre-vos-nao-devera-ser-assim-mt-2017-28/

 

Tenhamos uma vida interior renovada pela presença de Jesus dentro de nós

Mateus 28,8-15
Naquele tempo, as mulheres partiram depressa do sepulcro. Estavam com medo, mas correram com grande alegria, para dar a notícia aos discípulos. De repente, Jesus foi ao encontro delas, e disse: “Alegrai-vos!” As mulheres aproximaram-se, e prostraram-se diante de Jesus, abraçando seus pés.Então Jesus disse a elas: “Não tenhais medo. Ide anunciar a meus irmãos que se dirijam para a Galileia. Lá eles me verão”. Quando as mulheres partiram, alguns guardas do túmulo foram à cidade, e comunicaram aos sumos sacerdotes tudo o que havia acontecido. Os sumos sacerdotes reuniram-se com os anciãos, e deram uma grande soma de dinheiro aos soldados, dizendo-lhes: “Dizei que os discípulos dele foram durante a noite e roubaram o corpo, enquanto vós dormíeis. Se o governador ficar sabendo disso, nós o convenceremos. Não vos preocupeis”.Os soldados pegaram o dinheiro, e agiram de acordo com as instruções recebidas. E assim, o boato espalhou-se entre os judeus, até o dia de hoje.

Reflexão: A alegria é o sinal que o cristão dá ao mundo da sua fé e esperança na ressurreição de Jesus. O medo é consequência da nossa limitação humana e é mais intenso na medida em que nós não conseguimos nos apoiar na fé e na esperança. As mulheres estavam com medo, por causa da sua limitação humana, mas correram com grande alegria para dar a notícia aos seus amigos. A alegria e o destemor são sinais de que a nossa vida está guardada com Jesus e é a nossa motivação para também anunciar ao mundo a sua presença em nós. Jesus também vem a nós na hora que nós estamos temerosos (as) diante das coisas que ainda não entendemos e nos alenta: “Alegrai-vos, não tenhais medo; Ide anunciar”! Só podemos dar testemunho de que Jesus está vivo e faz vida em nós, quando vivemos realmente esses três mandatos de Jesus. A alegria é o primeiro sinal de uma vida em Deus; O destemor faz parte da vida do cristão, e anunciar o Evangelho é a missão de todos (as) aqueles (as) que vivem em Cristo. O medo faz parte da nossa humanidade, porém, quando nós nos apropriamos da Palavra de Cristo e assumimos as suas promessas nós podemos atravessar o vale escuro sem nenhum temor. Tudo na vida passa e todas as dificuldades nós poderemos suportar em vista da alegria de ter uma vida interior renovada pela presença de Jesus dentro de nós. Alegremo-nos: Jesus ressuscitou e está no meio de nós, vitorioso para nos fazer também vencedores.
Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-mateus-288-15-4/

Fonte: http://www.mdmonthly.com/tag/national-institutes-of-health/

ORAÇÃO

Salmo 15
Senhor Deus,
Vós me ensinais vosso caminho para a vida; junto a vós, felicidade sem limites, delícia eterna e alegria ao vosso lado! Amém!

Fonte: https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/oitava-da-pascoa-segunda-feira/?sDia=2&sMes=04&sAno=2018

Somente quem se abre a Deus e à sua revelação reconhece a verdade em Jesus

Jo 5,31-47
Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: “Se eu der testemunho de mim mesmo, meu testemunho não vale. Mas há um outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro. Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade. Eu, porém, não dependo do testemunho de um ser humano. Mas falo assim para a vossa salvação. João era uma lâmpada que estava acesa e a brilhar, e vós com prazer vos alegrastes por um tempo com sua luz. Mas eu tenho um testemunho maior que o de João; as obras que o Pai me concedeu realizar. As obras que eu faço dão testemunho de mim, mostrando que o Pai me enviou. E também o Pai que me enviou dá testemunho a meu favor. Vós nunca ouvistes sua voz, nem vistes sua face, e sua palavra não encontrou morada em vós, pois não acreditais naquele que ele enviou.

“Vós examinais as Escrituras, pensando que nelas possuís a vida eterna. No entanto, as Escrituras dão testemunho de mim, mas não quereis vir a mim para ter a vida eterna! Eu não recebo a glória que vem dos homens. Mas eu sei que não tendes em vós o amor de Deus. Eu vim em nome do meu Pai, e vós não me recebeis. Mas, se um outro viesse em seu próprio nome, a este vós o receberíeis.Como podereis acreditar, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do único Deus? Não penseis que eu vos acusarei diante do Pai. Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. Se acre­ditásseis em Moisés, também acreditaríeis em mim, pois foi a respeito de mim que ele escreveu. Mas se não acreditais nos seus escritos, como acreditareis então nas minhas palavras?”

Reflexao: Ninguém aceita gratuitamente algo como sendo verdadeiro. Só acreditamos que algo é verdadeiro quando temos um fundamento para isso. Assim as pessoas agem em relação a Jesus, exigem uma garantia de verdade a respeito de tudo o que ele fala para que creiam nela. Isso acontece em primeiro lugar porque não acreditam no amor e na ação do próprio Deus na vida das pessoas. Também acontece porque não são capazes de encontrar nas Sagradas Escrituras o testemunho de Jesus e de suas obras. Somente quem se abre a Deus e à sua revelação reconhece a verdade em Jesus.
Fonte: http://franciscanos.org.br/?p=13549

Fonte: https://elidemacedo.blogspot.com.br/2014/04/conheca-jesus-e-testemunhe-o.html

ORAÇÃO

Espírito de coragem, reveste-me com a força do Alto, para que eu possa estar do lado de Jesus, até o fim. Amém!
Fonte:http://www.cristominhacerteza.com/2012/03/homilia-comentario-e-reflexao-do_21.html

Missionários do Amor de Deus

Lucas 10,1-9
Naquele tempo, o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa. Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’ ”.

Reflexão: A paz de Deus excede a todo o conhecimento humano! Jesus é a paz, por isso, deseja através de nós, entrar em toda casa, em todo o coração, para manifestar Sua misericórdia, compaixão e amor. Cada um de nós é chamado a ser mensageiro da paz de Jesus deixando de lado todas as coisas que pesam e complicam a nossa vida. Anunciar o reino de Deus é anunciar o próprio Jesus que permanece muito próximo de cada um de nós. Assim como mandou Seus discípulos, Ele hoje nos manda ir à Sua frente preparar o caminho para que possa chegar perto de todos aqueles (as) que ainda não O perceberam na sua vida. Deus providencia a paz para quem anuncia que o reino está próximo, porque o trabalhador é digno do seu salário Quem encontrou o reino de Deus, não precisa “preocupar-se” em levar bolsa, sandália, sacola, quando sair em Nome Dele, mas somente apossar-se da paz que é fruto da justiça de Deus para com o homem. Bolsa, sacola, sandálias significam as coisas que acumulamos dentro de nós e que prejudicam o nosso relacionamento com Deus e com os irmãos: ódio, ressentimento, discriminação, julgamentos, riquezas, apegos etc. A nossa missão é muito importante: somos trabalhadores da messe do Senhor, missionários do Seu amor. Ele nos envia e nos orienta a fim de que o nosso trabalho seja frutuoso e não nos percamos no meio do caminho. É por meio do nosso testemunho de vida com o irmão (ã) que podemos anunciar a proximidade do reino, por isso, Jesus nos mandar ir dois a dois. Os nossos relacionamentos, a nossa convivência fraterna, a unidade com que vivenciamos as nossas diferenças, darão testemunho ao mundo de que já vivemos o reino, aqui, desde já. Reflita – Você já sente no seu coração a paz dos que vivem o reino de Deus? – Você tem dificuldades de relacionamento? – Você precisa do irmão, da irmã de comunidade para viver, ou pode passar sem eles? – Será que não existe aí perto de você alguém que precisa conhecer a Salvação e a cura? – Para você é difícil falar de Jesus para alguém?- Você tem medo de evangelizar as pessoas?

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/fe-em-deus/evangelho-de-hoje-lucas-101-9-5/

los_en1

Fonte: https://vidaenoracion.com/2017/02/14/evangelio-segun-san-lucas-10-1-9-3/

ORAÇÃO

Pai Santo, aumenta a nossa fé! Faze de nós sinais vivos do teu Reino de Amor. Que o nosso testemunho mostre aos irmãos gratidão pelo Reino que, ainda não em plenitude, já nos ofereces nesta terra abençoada. E que sejamos fontes da Paz. Por Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Fonte: http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

As mulheres transformadas e renovadas pela presença de Jesus

Lucas 8,1-3

Naquele tempo, Jesus andava por cidades e povoados, pregando e anunciando a Boa-Nova do Reino de Deus. Os doze iam com ele; e também algumas mulheres que haviam sido curadas de maus espíritos e doenças: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios; Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana, e várias outras mulheres que ajudavam a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.

Reflexão: A graça do Evangelho de hoje é nos mostrar Jesus anunciando e pregando a Boa Nova do Reino de Deus, que chega a todas as cidades, povoados e corações que se abrem para acolhê-la.

A grande graça que o Evangelho de hoje nos aponta são as mulheres seguindo Jesus e se tornando discípulas d’Ele. Primeiro, porque Ele fez diferença na vida delas, numa sociedade patriarcal como era a sociedade judaica da época, onde se levava em conta somente os homens, e as mulheres ficavam à deriva, à parte, à mercê dos homens. Jesus, no entanto, coloca as mulheres no centro do coração de Deus, primeiro agindo na vida delas, transformando tantas mulheres. Elas se tornam libertas, curadas, transformadas e renovadas pela presença de Jesus. As mulheres que são tocados, hoje, nas Sagradas Escrituras são: Maria Madalena, da qual saiu sete demônios, Joana que era mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes, Susana e tantas outras mulheres que foram transformadas por Jesus.

Quando Jesus transforma a vida desses homens e dessas mulheres, estes não se tornam apenas discípulos, mas testemunhas da ação que Jesus fez na vida deles. Você, mulher que me escuta, sabe a diferença que Jesus fez em sua vida? De que forma Ele chegou? O que Ele mudou? O que Ele transformou e renovou? Ele é o homem que fez toda a diferença na sua existência. Não deixe de testemunhá-Lo nem de segui-Lo. Testemunhe-O para o mundo e para as pessoas, fale de Jesus, anuncie-O, proclame a diferença que Ele faz na sua vida.

Há muitas mulheres que seguem homens e ídolos, deste mundo, e sabem o quanto são escravizados por eles. Mas uma mulher que encontrou Jesus e foi por Ele tocada, transformada, renovada, sabe qual é a diferença que Jesus faz em sua vida.

Mulheres do Senhor, testemunhem para os homens e para as mulheres, deste mundo, a diferença que Jesus faz em sua vida.

Fonte: https://homilia.cancaonova.com

O Ponto Afinal

O ponto esclarece ao final ou provocar se faz necessário ?

O eu insólito ...

Jaqueline Bastos

Deixando Deus falar...

"O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão-de passar." (Mateus 24:35)

Doando Amor

Faça mais do que existir !